sexta-feira, 29 de julho de 2011

Parabéns ao pc@maral pela coragem de retirar do seu blog a postagem de um jornalista pró-gay. O Genizar precisa desta coragem também. Entenda alguns fatos...


PARABÉNS AO PC@AMARAL!


Por Ricardo Ribeiro


Depois de muitas denúncias aqui neste Blog e lá também, o PC@maral retira do seu blog a publicação favorável aos Homossexuais, postura que estava tendo Ricardo Gondin e Lana Holder. Esta que resolveu assumir publicamente sua orientação sexual que afronta os princípios bíblicos. Queremos na oportunidade esclarecer que postamos aqui e printamos a postagem, afim de que outros blogs não se sintam encorajados pelo fato de não verem resistência na Blogosfera, fazendo com que haja um clima favorável a esta onda que vem do Inferno contra a Igreja do Senhor. Parabenizamos a coragem do irmão Amaral em recuar, o que mostra humildade de sua parte em reconhecer seu erro. O que seria muito bom que ocorresse com o GENIZAR também. Os que conhecem nossa história desde que começamos este humilde blog, há pouco mais de um ano atrás, sabem que inicialmente pretendíamos postar temas teológicos que é a nossa área. Contudo, ao sabermos do Movimento Internacional Homossexual-Socialista imposto pelos governantes de orientação Homossexual, a exemplo de Obama e tantos, resolvemos arregaçar as mangas e agir. Muita coisa já sabíamos porém, não tínhamos a real dimensão do problema para a Igreja e suas implicações a longo, médio e curto prazos.

Por esta razão, resolvemos nos inteirar melhor em nosso companheiro Júlio Severo que sofre há anos com a perseguição Gayzista contra a sua pessoa, tendo que sair do Brasil com esposa grávida e filhos e estabelecer-se em local ignorado em país que pensa-se ser os EUA, porém não se tem certeza. Enquanto o aqui, o Pedófilo descarado e amigo de Lula, o sr. Luís Motti anseia o dia da liberação da pedofilia enquanto ele "...está com tudo em cima..." E de lá, ele informa-nos de toda a trama Gayzista Mundial contra a Família Cristã Hétero, juntamente com todo o grupo de autoridades e pastores que jaz no Baner na parte superior deste Blog, junto com a minha pessoa. Este movimento encabeçado pelo Pr. Malafaia, Júlio e outros, partindo como furacão da Blogosfera até o palácio do Planalto, fêz as autoridades brasileiras entrarem em alerta e lembrarem que a primavera árabe começou pela Internet. Daí o porquê Dilma pela pressão Cristã Católico-Evangélica, rejeitar o Kit-Gay e afirmar que seu Governo não fará promoção de Orientação Sexual de ninguém. O que enfureceu líderes gays como Marta Suplicy e Jean Willis, o inimigo número um dos Cristãos no Brasil, entre outros.

Apesar de sempre respeitar o indivíduo Homossexualizado, como à exemplo do tempo em que fui Diretor Adj. de Presídio, em Alhandra-PB, onde se vê na foto abaixo minha pessoa com um rapaz que além de ser Homossexual, era "pai-de-santo" e estava com aids. Notem que o estou abraçando expontâneamente, sem precisar da PL 122 me ameaçar. Toda essa estória de Homofobia com os Cristãos é a maior farsa.

Em nenhum momento o discriminávamos com préconceitos. Se vê inclusive na foto nossa pessoa o incluindo nos exemplos da pregação que fazíamos. Fazendo ele se sentir alguém dentro do contexto criado. Ainda supervisionávamos seus direitos, como o fazíamos com outros. Mesmo assim, por conta do meu ativismo Pró-Família, os Gays da região pressionaram para que eu fosse demitido de minha função. O que acabou ocorrendo. E isso só prova uma coisa após sabermos no mundo que o sofrimento da Igreja só está aumentando com essa Cristofobia, Evangelicofobia, Pastorfobia, Bibliofobia, etc, que devemos separar sim, o trigo do joio e apoiarmos os Homossexuais que precisam de ajuda. E existem muitos. Mas, devemos ser no entanto, contundentes com o Movimento Político Social-Gayzista pois, está em curso um plano que eles não querem recuar em sua implantação. Ora diminuem a velocidade, ora aumentam mas, jamais recuam. Não é uma questão de salvar homossexuais do sofrimento porque isso, nós fazemos como capelães da UNIPAS conforme a foto abaixo. Nela você encontra Gays aidéticos abandonados pelos companheiros e pelo GLSBT e quem cuida deles são nossos capelães e da Associação Beneficente e Educacional Emanuel que apoiamos.








Querendo confirmar entre no site : http://www.unipasinternational.org/site/index.php?option=com_content&view=article&id=9&Itemid=12

Eles querem nossas famílias subjugadas a esse doutrinamento anti-natural. Os cristãos da Blogosfera não podem estar mais dispersos e desatentos. Hoje me encontro em Minas Gerais, minha esposa grávida deverá ganhar bêbê esta semana. Deus tem cuidado de nós de uma forma especial. Não tem deixado faltar nada. Mas, quando paramos para darmos atenção às ridicularizações que o Genizar faz com pessoas que tem se esforçado como o Pr. Silas Malafaia, Júlio Severo e outros (à parte qualquer lapso pessoal dele), e vemos por outro lado eles defendendo árduamente estes Ativistas Homossexuais, ao ponto de serem condecorados como o foi o Hermes Fernandes na ONU, sim, a mesma que está impondo junto com os EUA e a Europa a agenda gay, ficamos estarrecidos com o apoio que lhes é dado por muitos que se dizem cristãos. Os tais não se esforçam para fazer nada e ainda ridicularizam os que tentam fazer algo. Algo muito errado em tudo isso. Principalmente quando sabemos que o Governo Gay de Obama designou dezenas de oficiais para trabalharem exclusivamente defendendo os interesses Sodomitas na Internet, protegendo a imagem e pretensões do mesmo.

Olha para a Twittosfera. Parece mais uma praça de alimentação ou Estádio de Futebol. Quer conhecer o grau de espiritualidade do seu pastor? Seu saber teológico, bíblico e espiritual? Acompanha lá seus Twitters e verás o desespero deles pelo seu time de futebol favorito. Apreciar atletismo é uma coisa, idolatria com jogadores é outra totalmente diferente. E olha que eu joguei futebol no Sport com Juninho Pernambucano em 87. Prá falar do que realmente interessa ao povo de Deus, pará soar o alarme contra os invasores que se aproximam, eles não falam nada. Claro, conta corrente gorda, carros luxuosos à disposição, um sistema eclesiástico pior que o sistema político secular pois, pará ele pressupõe-se a santidade como requisito mínimo. Mas, sabemos de pastores que estão contratando pistoleiros, mandando prender os que lhes denunciam, como é o caso do Pr. Manoel Ferreira Deputado Federal e Líder da Assembléia de Deus Madureira. Que coisa terrível! Agora a casa tá caindo totalmente prá o seu lado, afim de que ele saiba que a aliança que ele fêz com aquele filhote de Anticristo do Reverendo Moon não ficará impune.

Nos unamos verdadeiramente. Não nos distraiamos com coisas que podem ser secundarisadas. A prioridade agora são nossas famílias, nossa sobrevivência cultural e espiritual. Pressionem seus pastores. Se souberem que eles pertencem a Maçonaria que impulsiona a Agenda Gay, ordenem que renunciem a ela ou ao pastorado. Saiba que o grande avivalista Charles Finney foi Maçom e descobriu na sua conversão a incompatibilidade da mesma com o Cristianismo. E desligando-se dela, passou a ser perseguido pelos pastores Maçons que lhes fecharam as portas de suas Igrejas. Lembre-se do que falou nosso Mestre: "Vós sois o Sal... e se o sal não salgar, para nada mais presta a não ser para ser pisado pelos Homens". (Mt. 5:13)  Ele queria nos dizer que se não influênciarmos a sociedade ao nosso redor com a santidade, ela nos influenciará com o pecado. Se não salgarmos esta sociedade que está apodrecendo com o Homossexualismo, os Homossexuais irão nos pisar. Eu que estou lutando para salgar já sinto as botas deles bem perto, e você?

Pc@maral se irrita com brasileiros que no ibope foram contrários ao casamento gay. Ricardo Gondin, Lana Holder e agora esta postagem de quem menos esperávamos. Será? O Genizar deve tá feliz.




Por Leonardo Sakamoto

Uma pesquisa do Ibope Inteligência, divulgada hoje, mostra que 55% dos brasileiros são contrários à decisão do Supremo Tribunal Federal que reconheceu a união de casais do mesmo sexo. Segundo o estudo, as mulheres, os mais jovens, os mais escolarizados e as classes mais altas são os que menos se incomodam com o acesso a esse direito. Sobre a adoção de crianças por casais do mesmo sexo, a 55% também são contrários.

Para ser sincero, imaginei que a porcentagem ia ser bem maior, considerando que nossa sociedade foi forjada no que há que de pior do machismo e do patriarcalismo. Além disso, toda ação de vanguarda para garantir direitos, como foi a decisão do Supremo, gera sempre uma reação contrária. Ou seja, quando um grupo consegue acesso à cidadania e à dignidade tende a gerar manifestações no sentido inverso por aqueles que se sentiram atacados ou ofendidos. Ressaltando, é claro, que um grupo que se sente atacado ou ofendido quando outro ser humano obtém o direito a uma vida decente não é um grupo e sim uma horda ou uma matilha.

Some-se a isso que o tema ganhou espaço nos veículos de comunicação e, portanto, o debate chegou às ruas, levando pessoas que não tinham opinião a formarem ao menos um pitaco e a se manifestarem. Essa opinião inicial ainda é carregada de achismo e de superficialidades. Com o tempo, mantendo-se o tema em foco, e sabendo que dar o direito a alguém não tira o meu, tenho a esperança (palavra que está difícil de ser usada ultimamente na área de direitos humanos) de que a informação vá tirar muita gente desse obscurantismo.

Não é possível fazer uma comparação devido às diferenças de metodologias das duas pesquisas. Mas, em abril de 2007, uma pesquisa Datafolha apontou que 49% rejeitavam a união civil homossexual (ou seja, a maioria, uma vez que 42% eram a favor) e 52% eram contrários à adoção de filhos por casais do mesmo sexo. Além disso, 55% dos brasileiros defendiam a adoção da pena de morte, 57% eram contra a eutanásia (o direito do paciente terminal em sofrimento de pôr fim à sua própria vida) e 65% defendiam que a lei do aborto não fosse ampliada para além dos casos de estupro e risco para a mãe.

Como já disse anteriormente, se essas pesquisas fossem um gabarito, eu já teria sido reprovado retumbantemente como brasileiro, uma vez que minhas posições pessoais são opostas àquelas apontadas como as da maioria da população pelas pesquisas Datafolha e Ibope . Em uma hipotética avaliação de segunda época que também incluísse a redução da maioridade penal, a prisão perpétua, a manutenção do uso de drogas como crime (que só atrasa a solução do problema), seria reprovado novamente.

Ainda bem que as decisões do STF sobre a interpretação da Constituição Federal visando à garantia de direitos não são tomadas com base em pesquisas de opinião ou para onde sopra a opinião pública em determinado momento. Afinal de contas, uma democracia verdadeira passa pelo respeito às minorias, garantindo sua dignidade mediante a uma maioria que pode ser avassaladoramente violenta.

Dizem que falta informação e por isso temos uma sociedade que pensa de forma tão excludente. Mas isso não basta. Deve-se saber como trabalhar com essa informação que recebemos, refletir sobre ela. Entramos aqui na questão da consciência social, que não se aprende nos bancos de escola, mas no trato com a sociedade. O contato com o “outro”, e com suas diferenças, contribui para fomentar essa consciência. Ou seja, aceitar que as pessoas têm direito à própria vida e ao próprio corpo e que não é com uma sociedade ditatorial e sumária que se resolverão os problemas.
***

Fonte: Blog do Sakamoto - Leonardo Sakamoto é jornalista e doutor em Ciência Política. Cobriu conflitos armados e o desrespeito aos direitos humanos em Timor Leste, Angola e no Paquistão. Já foi professor de jornalismo na USP e, hoje, ministra aulas na pós-graduação da PUC-SP. Trabalhou em diversos veículos de comunicação, cobrindo os problemas sociais brasileiros. É coordenador da ONG Repórter Brasil e seu representante na Comissão Nacional para a Erradicação do Trabalho Escravo.

Fonte: Blog do PC Amaral
Nota: Não temos nada de pessoal contra o senhor PC Amaral. 
Mas estamos surpresos com a matéria que publicou totalmente 
pró-gays o que já não é tanta surpresa vindo de quem é aliado da 
Lixeira dos Escribas, a Genizar.

quinta-feira, 28 de julho de 2011

G8 - a Conspiração - Filme excepcional que revela as razões para não se crê em tudo que o governo gay dos EUA diz. Recomendamos.


Elenco: Christopher Plummer, Rachelle Lefevre, Bruce Grenwood, 
James Purefoy, Mia Maestro.
Direção: Nick Copus
Gênero: Ação
Duração: 186 min.
Distribuidora: Paris Filmes
Estreia: Direto em DVD - Novembro 2009
Sinopse: Às Vésperas do encontro anual da cúpula do G8, 
os oito mais ricos do mundo, Maria Puerta(Mia Mestro) busca
desesperadamente por justiça quando seu filho é assassinado,
vítima de um vírus desenvolvido por uma corrupta indústria
farmacêutica. Maria então decide desmascarar a terrível 
conspiração se infiltrando na prparação do encontro do G8 
portanto uma amostra do sangue infectado, quando é interceptada 
por Thom Lightstone (James Purefoy), um experiente bio-terrorista. 
Juntos, eles devem chamar a atenção dos mais poderosos e 
influentes líderes do mundo e impedir uma epidemia que poderá 
colocar em risco todo o futuro do mundo ocidental.


Fonte: Cinepope



Mais da metade (Prá não dizer 95%) dos brasileiros são contra união gay, diz Ibope (Reconhecem gayzistas do Bol)


DE SÃO PAULO
Uma pesquisa do Ibope Inteligência divulgada nesta quinta-feira mostra que 55% dos brasileiros são contrários à decisão do STF (Supremo Tribunal Federal) que autorizou a união estável para casais do mesmo sexo.
Arquivo reúne os principais resultados da pesquisa

O estudo, realizado entre os dias 14 e 18 de julho, identifica que as pessoas menos incomodadas com o tema são as mulheres, os mais jovens, os mais escolarizados e as classes mais altas.

Sobre a decisão do STF, 63% dos homens e 48% das mulheres são contra. Entre os jovens de 16 a 24 anos, 60% são favoráveis, enquanto 73% dos maiores de 50 anos são contrários.

Considerando a escolaridade, 68% das pessoas com a quarta série do fundamental são contra a decisão, enquanto apenas 40% da população com nível superior compartilha a opinião.

Nas regiões Norte, Nordeste e Centro-Oeste, 60% são contra. Já no Sul a proporção cai para 54% e, no Sudeste, 51%.

"Os dados mostram que, de uma maneira geral, o brasileiro não tem restrições em lidar com homossexuais no seu dia a dia, tais como profissionais ou amigos que se assumam homossexuais. Mas ainda se mostra resistente a medidas que possam denotar algum tipo de apoio da sociedade a essa questão, como o caso da institucionalização da união estável ou o direto à adoção de crianças", afirma Laure Castelnau, diretora do Ibope Inteligência.

A pesquisa ouviu 2.002 pessoas com mais de 16 anos em 142 municípios do país. A margem de erro é de dois pontos percentuais, com 95% de intervalo de confiança.
Fonte: Bol

quarta-feira, 27 de julho de 2011

Comprovado: Terrorista Norueguês era ativista homossexual segundo revista Veja. Imprensa gay atira no próprio pé.


Foto do Facebook de Anders Behring Breivik, suspeito do ataque terrorista em Oslo, na Noruega
Anders Behring Breivik, suspeito do ataque terrorista em Oslo, na Noruega, em sua foto no
 Facebook: "Ganhei meu primeiro milhão aos 24 anos" (Facebook/GettyImages)

Atirador de Oslo se via como um "idealista disposto a correr riscos por suas crenças"


Contribuidor frequente de sites políticos da Noruega, ele tinha o multiculturalismo como principal inimigo, mas também se definia como anti-racista, pró-homossexuais e pró-Israel


Detido para interrogatório pela polícia da Noruega como principal responsável pelos atentados que deixaram mais de 90 mortos em Oslo, capital do país, nesta sexta-feira, Anders Behring Breivik, de 32 anos, fazia comentários políticos regularmente em diversos sites - notadamente no Document.no, mantido por um expoente da direita norueguesa. Entre julho de 2009 e outubro de 2010 ele deixou dezenas de comentários no blog, que os agrupou neste sábado. Os textos formam um mosaico das ideias de Breivik e ajudam a compor o seu perfil. Como outros que acabaram se provando sociopatas, ele mostra ser bastante culto e articulado. 

Num de seus posts, Breivik revela sua desilusão com o Partido Progressista norueguês, ao qual foi filiado por 10 anos. Em nota publicada nesta sábado, o partido informou que Breivik entrou para o seu grupo de jovens em 1997 e permaneceu na agremiação até 2007 - tendo ocupado cargos de confiança entre 2002 e 2004  na regional do partido na área oeste de Oslo.

Partido Progressista foi fundado em 1973 e é conhecido por abrigar políticos de extrema direita. Atualmente, é a segunda maior legenda do parlamento do país, ocupando 41 cadeiras. Defensor ávido dos preceitos do liberalismo econômico, o partido prega a redução do poder do estado norueguês e dos impostos pagos pela população. No entanto, quando se trata de questões sociais, sua veia extremista sobressai – principalmente quando o tema é a imigração.

O Partido Progressista é a principal voz contrária aos gastos do governo norueguês com auxílio social para refugiados e trabalhadores que chegaram de forma ilegal ao país. Em editorial publicado em 2010, o jornal britânico The Guardian classificou o partido como um dos maiores sucessos da direita europeia das últimas décadas. Segundo a publicação, apesar de contar com apenas 27.000 membros, o partido teria, no ano passado, apoio de 33% da opinião pública norueguesa. Segundo o site da legenda, seu número de apoiadores dobrou nos últimos dez anos.

No entanto, para Breivik, o Partido Progressista amoleceu em anos recentes. Num comentário publicado em 24 de janeiro de 2010 no Document.no, ele critica a falta de rigidez do partido - sobretudo quando o tema é o combate ao multiculturalismo. "A resistência genuína foi reduzida à mera divulgação de comunicados antes das eleições, para assegurar que as vozes do partido estão sendo ouvidas", escreve Breivik. 

Ele também critica o fato de os membros mais proeminentes do partido serem políticos de carreira, e não "idealistas que querem assumir riscos e trabalhar por seus ideais”. Breivik compara os progressistas com políticos da esquerda, e afirma que esses últimos conseguem unir forças e disseminar suas ideias de maneira muito mais eficaz.
Essa perda de fé no Partido Progressista parece ter sido um dos motivos da colaboração de Breivik com o Document.no. “A maioria da direita, infelizmente, ainda não percebeu que é preciso derrotar o multiculturalismo parra derrotar a islamização”, diz ele em um de seus comentários.  No último dos posts coligidos pelo site, datado de 29 de outubro de 2010, Breivik descreve o Document.no como uma das "poucas vozes ideológicas alternativas" da Noruega.

terça-feira, 26 de julho de 2011

Livro: “Psicopatas da Fé”: usam sua influência para intimidar, ameaçar e abafar erros ministeriais e ao que chamam de 'conspirações'.



Sinopse:Há homens de natureza “má” que se aproveitam da palavra de Deus, como fonte de manipulação da fé de pessoas isso é fato, e temos que separar o “Joio do trigo”, este livro “Psicopatas da fé” - lançado e distribuído pela Editora Asas - tem essa proposta de mexer com nosso interior e de chamar a atenção para fatos que realmente estão acontecendo em nosso meio, no emocional e no caráter de alguns que se dizem ungidos e cristãos. Não podemos mais nos omitir, colocar a sujeira em baixo do tapete, “O mal só pode triunfar se os homens de bem cruzarem os braços”, se os verdadeiros profetas se manifestarem a favor dos líderes de boa índole e da transparência em suas igrejas e lutar pela prática incondicional da ética Cristã e contra os desmandos dos falsos profetas que sempre existiram, e continuam a existir (o que nos causa pesar) poderemos enfim continuar a sonhar com um mundo justo, com verdade sem hipocrisia como é o evangelho de Jesus Cristo.

Muitos acham que é escândalo reconhecer os erros cometidos por estes que se dizem cristãos e acham que escandalizamos o evangelho de Jesus quando expomos nossas falhas, para esta autora, Marisa Lobo, cristã, psicóloga, pós graduada em saúde mental especialista em transtornos psicológicos, é mais uma manipulação,perigosa de uma mente com transtorno grave , sem remorso, sem afeto, de uma personalidade   provinda de uma mente demoníaca, é uma tentativa de manipular a inteligência humana e Divina, pois Deus nunca escondeu os escândalos cometidos pelos seus profetas, pelos seus escolhidos e muito menos deixou passar impunes seus erros, Deus nunca foi omisso, e a omissão é uma forma de “psicopatia eclesiástica” uma forma de manipulação da palavra de Deus se é vontade de Deus, é justo, é bom agradável é ético, se contra a vontade de Deus causa escândalo, fere,oprime, traumatiza, e deve ser revelado.


VERDADES QUE ELES NÃO QUEREM QUE VOCÊ SAIBA OU TENHA ACESSO,
POIS É EXTREMAMENTE IMPORTANTE QUE PERMANEÇAMOS NA IGNORÂNCIA.
E JÁ PREPARAM NOVAMENTE A BLOGOSFERA PARA UMA NOVA INVESTIDA.
VOCÊ DEVE ESTAR SABENDO QUEM SÃO. DEFENSORES DO GOVERNO
GAY DE OBAMA, REJEITADO PELO POVO CRISTÃO AMERICANO. ESTÃO USANDO
ATÉ ESCRITORES E PASTORES CONHECIDOS NOSSOS. NÃO SE ASSUSTE, JUDAS
ERA O TESOUREIRO DE JESUS.




Conteúdo



O livro retrata a situação real degradante de muitas líderes espirituais de  igrejas  que se denominam cristãs, pastores, padres, homens que usam seu pseudo poder  Espiritual para sub julgarem seus membros, usam seu poder de manipulação, com ameaças espirituais, para manterem sob sua vigilância seus seguidores, mantendo-os sob regime de escravidão espiritual, impedindo seu crescimento, pois crescer significa  estar em conhecimento acima deles, ou simplesmente reconhecer que muito do que dizem é puro embuste engano é manipulação do evangelho de Jesus que não poderia de forma alguma  ser mudado. Homens que não são cristãos más  que usam a   fé de muitos  para aplicarem golpes, pequenos, médios , grandes  e se escondem atrás de um título que muitas vezes foi adquirida ilicitamente e ou com manipulação da própria liderança..



Assim muitos vão dissimulando sem o mínimo de constrangimento, tudo em prol de seu ego narcisista, passam por humildes, homens santos, más no fundo são verdadeiros lobos vestido de cordeiro, Teorias da Prosperidade que mais são formas de arrecadar dinheiro, para motivações pessoais do que para o reino de Deus. Pessoas comuns que usam o nome de Cristão para aplicar golpes graves,que colocam a vida espiritual física e psicológica em total degradação sem o mínimo de culpa, e ou compaixão  como pedofilia por exemplo

E assim , esses homens vão, fazendo estragos emocionais, e pelo poder que representam socialmente e que exercem , vão enganado a fé de seus súditos? Sim porque esses falsos profetas querem mais tomar o lugar de Deus, e não são servos, são reis ou pelo menos batalham para isso. Se formos servos do altíssimo, não nos ofenderemos com nada escrito nesse livro, más como profissional e cristã temente a Deus digo com verdade que, se alguma dessas frases o atormentou ou criou repulsa no sentido de criticar quem escreveu, peço que procure ajuda, psiquiátrica, pois o Psicopata da fé tem defeitos graves de caráter, e não suporta ser desmascarado, e se nem o poder de Deus que você vê todos os dias, não o impede de cometer maldades, grandes e ou pequenas tome muito cuidado Deus está de olho em todos nós.

Porém amados Cristãos que com verdadeira ética humildade e caridade altruísmo têm levado sua vida Cristã, se a dor do seu irmão te causa piedade, parabéns continuem nessa fé, do amor a caridade, pois esse é o verdadeiro mandamento que Jesus nos deixou e nele não cabe nenhum tipo de maldade.
Fonte: Editora Asas

Via: www.guiame.com.br

segunda-feira, 25 de julho de 2011

Imprensa Pró-Gay desmascarada: terrorista norueguês não é cristão fundamentalista mas um adepto da Maçonaria.


Manifesto de Breivik, que matou cerca de 80 pessoas no final de semana, mostra um jovem agnóstico e adepto do darwinismo social

Em mais uma demonstração de precipitação e preconceito, a maioria esmagadora da imprensa internacional apressou-se em classificar o terrorista norueguês Anders Behnring Breivik, que matou cerca de 80 pessoas no final de semana, como “fundamentalista cristão”, quando o seu manifesto de 1.500 páginas, divulgado recentemente, mostra exatamente o contrário. Breivik afirma que não é religioso, declara ter dúvidas sobre a existência de Deus e que não ora, coloca a cultura cristã no mesmo nível de importância da cultura pagã dos antigos nórdicos e diz que em relação ao cristianismo é apenas pragmático, apoiando nele apenas aquilo que poderia servir estrategicamente à sua ideologia tresloucada.

Da mesma forma como aconteceu com o terrorista norte-americano Timothy McVeigh, autor dos terríveis atentados a bomba em Oklahoma City (EUA) no final dos anos 90, e que chegou a ser tratado pela mídia internacional inicialmente como “fundamentalista cristão”, mas que afirmou categoricamente que não tinha nenhuma crença religiosa, era ateu e depositava a sua fé apenas na ciência, o mesmo ocorre agora com Breivik, que sequer é membro ou congregou alguma vez em alguma igreja cristã em sua vida, esposa crenças que se chocam frontalmente com a fé cristã e prega a desconstrução das igrejas protestantes e católicas para adequá-las à sua ideologia, mas foi classificado pela imprensa como “fundamentalista cristão” porque defende uma “cruzada contra o Islã”.

Em seu manifesto, Breivik faz elogios a Charles Darwin, cujas teorias evolutivas se chocam com as afirmações da Bíblia. Diz ele: “Quanto à Igreja e à Ciência, é essencial que a Ciência tenha uma prioridade incontestável sobre os ensinamentos bíblicos. A Europa sempre foi o berço da Ciência, e deve sempre continuar a ser assim. Quanto à minha relação pessoal com Deus, acho que não sou um homem profundamente religioso. Sou, em primeiro lugar, um homem de lógica. No entanto, eu sou um apoiador de uma Europa cristã monocultural”.

O terrorista norueguês declara ainda que não encontra apoio para suas ideias violentas em qualquer uma das igrejas cristãs, sejam elas a católica ou as protestantes, e diz que deseja vê-las todas reformadas para adequarem-se à sua visão de mundo. Escreve Breivik: “Espero que a futura liderança de uma hegemonia cultural europeia conservadora na Europa vá garantir que a liderança da Igreja atual seja substituída e os sistemas, reformados. [...] Temos que ter uma liderança da Igreja que apóia uma Cruzada futura com a intenção de libertar os Balcãs, Anatólia e criar três estados cristãos no Oriente Médio. Devem ser feitos esforços para facilitar a desconstrução da Igreja Protestante, cujos membros devem converter-se de volta ao Catolicismo. A Igreja Protestante teve um papel importante uma vez, mas seus objetivos originais foram realizados e têm contribuído para reformar a Igreja Católica também. Europa deve ter uma Igreja unida conduzida por um papa justo e não-suicida, que estaja disposto a lutar pela segurança de seus súditos, especialmente no que diz respeito a atrocidades islâmicas”.

Breivik demonstra muito orgulho pela cultura pagã nórdica, para qual dá o mesmo status de importância à cultura cristã. Escreve ele: “Estou muito orgulhoso de minha herança Viking”. Destaca até o orgulho que tem pelo seu nome de origem Viking: “Meu nome, Breivik, é um nome local a partir do norte da Noruega, e pode ser datado de antes mesmo da era Viking. Behring é um nome pré-cristão germânico, que é derivado de Behr, da palavra germânica para Bear (ou ‘os que são protegidos pelo urso’)”. E voltando a falar sobre o cristianismo, ele diz que defende “uma reforma do protestantismo que o conduza a ser absorvido pelo catolicismo”.

Sobre sua crença em Deus, Breivik afirma que era até pouco tempo um “agnóstico moderado” e que hoje se considerada apenas alguém “moderadamente religioso”, mas diz que “nunca” orou.

Em uma seção de perguntas e respostas de seu manifesto, Breivik se pergunta: “Quais devem ser nossos objetivos civilizacionais? Como você imagina uma Europa perfeita?”. Sua resposta: “Lógica e pensamento racionalista (com um certo grau de darwinismo nacional) devem ser os fundamentos de nossas sociedades. Apoio a propagação do pensamento racional coletivo, e não necessariamente em um nível pessoal”. Sim, o tal “fundamentalista cristão”, como foi erroneamente pintado Breivik, declara com todas as letras que os fundamentos que ele defende para a formação de uma sociedade ideal são “a lógica e o pensamento racionalista com um certo grau de darwinismo social”. Isso é simplesmente a antítese do pensamento cristão: racionalismo e darwinismo social.

Breivik também faz questão de deixar claro que seu apoio a certos valores da cultura cristã são fruto de conveniência política e pragmatismo, em vez de compromisso religioso ou fé: “A minha escolha [por apoiar certos aspectos da cultura cristã] não tem nada a ver com o fato de que não estou orgulhoso das minhas próprias tradições e herança. Minha escolha foi baseada puramente no pragmatismo. Todos os europeus estão neste barco juntos, então temos de escolher uma plataforma mais moderada que possa apelar a um grande número de europeus – preferencialmente 50% deles, realisticamente até 35%”.

Breivik também afirma ser membro da maçonaria, o que a maioria dos cristãos considera ser uma organização que se choca com a fé cristã. Mais especificamente, ele chama a si mesmo um “cavaleiro justiceiro”, uma espécie de cruzado, e explica o que isso significa: “Como esta é uma guerra cultural, a nossa definição de ser um cristão não constitui necessariamente que você é obrigado a ter um relacionamento pessoal com Deus ou Jesus. Ser um cristão pode significar muitas coisas: que você acredita e quer proteger a herança cristã da Europa cultural, o patrimônio cultural europeu, nossas normas (códigos morais e as estruturas sociais incluídos), as nossas tradições e nossos sistemas políticos modernos, que são baseados no cristianismo (protestantismo, catolicismo e cristianismo ortodoxo) e no legado do iluminismo europeu – a razão é a nossa fonte primária de autoridade e legitimidade. Não é necessário que você tenha um relacionamento pessoal com Deus ou Jesus, a fim de lutar pela nossa herança cultural cristã e estilo europeu. Em muitos aspectos, nossas sociedades modernas e o secularismo europeu são resultado da cristandade europeia e do iluminismo. Portanto, isso é essencial para entender a diferença entre uma ‘teocracia fundamentalista cristã’ – tudo que não queremos – e uma sociedade secular europeia, com base em nossa herança cultural cristã – o que queremos). Então, não, você não precisa ter um relacionamento pessoal com Deus ou Jesus para lutar por nossa herança cultural cristã. Basta que você seja um agnóstico ou um cristão ateu: um ateu que quer preservar pelo menos o básico do legado cultural europeu cristão – feriados cristãos, Natal e Páscoa. O PCCTS, os Cavaleiros Templários, portanto, não são uma organização religiosa, mas, sim, uma ordem militar ‘culturalista’ cristã”.

Mais de uma vez, Breivik faz questão de frisar que não é motivado pela fé cristã. E ressalta: “Eu não vou fingir que sou uma pessoa muito religiosa, pois isso seria uma mentira. Eu sempre fui muito pragmático e influenciado pelo meu ambiente secular. No passado, eu lembro que eu costumava pensar: ‘A religião é uma muleta para as pessoas fracas. Por que acreditar em um poder superior se eu tiver confiança em mim mesmo? Patético’. Talvez isso seja verdade para muitos casos. A religião é uma muleta para muitas pessoas fracas, algumas pessoas abraçam a religião por razões de auto-ajuda, como uma fonte para delinear sua força mental (para alimentar o seu estado emocional fraco, por exemplo, durante a doença, a pobreza, a morte etc). Como não sou hipócrita, eu vou dizer diretamente que essa é a minha agenda também. No entanto, eu ainda não senti a necessidade de pedir a Deus força”.

Fonte: Por Silas Daniel para o CPAD News com informações do World Net Daily

domingo, 24 de julho de 2011

Homossexualismo e Nazismo: ligações históricas que voltam a preocupar o mundo, pois o 4° reich será Gay.



Será que ele era? (Título Original)


Revista Veja.

Em O Segredo de Hitler, um historiador alemão defende a tese de que o führer
era gay. Indícios (picantes) não faltam.

A idéia de que o ditador nazista Adolf Hitler tinha algo de homossexual não é novidade. Suas poses em fotografias, seus trejeitos, seu bigode e seu chicote – tudo isso já foi visto como indício de uma "inclinação homoerótica". Muitos escritores registraram suas suspeitas de maneira clara. "Hitler não desprezou as mulheres, mas preferiu mil vezes o jeito másculo dos rapazes", escreveu o alemão Heinrich Mann, para ficar num exemplo só. Entre os biógrafos e historiadores, contudo, esse tipo de diagnóstico sempre foi tratado com desconfiança. A principal causa disso é a escassez de documentos que sirvam de prova. Hitler resguardou como pôde sua vida privada. Enquanto esteve no poder, mandou apreender e destruir inúmeros papéis referentes a si, o que tornou difícil fazer afirmações categóricas sobre sua intimidade. Difícil, mas não impossível – é o que argumenta o historiador alemão Lothar Machtan, que lança nesta semana O Segredo de Hitler (tradução de Kristina Michahellis; Objetiva; 352 páginas; 37,90 reais). Machtan explora a fundo, pela primeira vez, a sexualidade do líder nazista. Para tanto, reúne depoimentos que nunca receberam muita atenção dos especialistas e procura submetê-los a um escrutínio rigoroso. Machtan acaba convencido de que Hitler foi para a cama com homens a partir da adolescência, e que aprendeu a sublimar seus desejos na década de 30. Mais do que mera curiosidade biográfica, esse fato ajudaria a explicar passos fundamentais de sua carreira.

Hitler nasceu em 1888. O primeiro capítulo do livro cobre o período que vai de 1905 a 1914, quando ele tentou viver como artista em Viena e Munique. A tese de Machtan sobre essa fase é forte: para sustentar-se, Hitler teria virado garoto de programa. Com talento escasso para a pintura e pouco dinheiro no bolso, ele morava em albergues notórios pela concentração de homossexuais. Percorria as ruas com suas aquarelas debaixo do braço, tentando chamar a atenção de homens mais velhos e endinheirados, com quem depois se deitaria. "Tudo indica que Hitler não oferecia apenas sua obra, mas a si próprio", diz Machtan. Nessas páginas iniciais, o autor também propõe uma solução para um antigo enigma: a origem do anti-semitismo de Hitler. Como ele próprio declarou mais tarde, esse sentimento o acometeu pela primeira vez em 1907. Ora, observa Machtan, foi exatamente nesse ano que a imprensa judaica de Viena dispensou tratamento raivoso a um caso de denúncia homossexual, o que ensejou a ira e a aversão do jovem Adolf. Deve-se dizer, no entanto, que as fontes do autor para esse período não são das melhores. Ele se apóia em relatos de amigos de Hitler, como August Kubizek ("Gustl" na intimidade) e Reinhold Hanisch, que dividiram alojamento com ele e teriam sido seus amantes. Tudo que esses depoimentos oferecem são insinuações. Nada definitivo.

O material esquenta nos capítulos seguintes. Machtan apresenta personagens que foram bem mais explícitos a respeito da sexualidade de Hitler. O primeiro é o soldado Hans Mend, companheiro de Hitler no Exército alemão durante a I Guerra Mundial. Em 1932, Mend publicou um livro que deveria ter servido à propaganda do líder nazista, então em plena ascensão, mas acabou não agradando. Enfurecido por ter sido colocado de escanteio, Mend ameaçou revelar velhos segredos. Fez uma aposta arriscada – e perdeu. A partir de 1933, Hans Mend foi perseguido pela Justiça alemã. Morreu na prisão nove anos mais tarde. Como era de esperar, a documentação oficial sobre ele sumiu. Mas um dossiê se salvou em duas cópias, hoje depositadas no Arquivo Central da Baviera e no Instituto para História Contemporânea de Munique. O chamado Protocolo Mend pinta um retrato negativo do cabo Hitler na I Guerra: bajulador, dissimulado, hipócrita. Sem rodeios, ele aborda a questão sexual. "Observávamos que ele nunca olhava para as mulheres. Desde o início suspeitamos que fosse homossexual, pois tinha fama de anormal. Era extremamente excêntrico, revelando traços efeminados", diz o texto. Hitler tinha um companheiro inseparável em seu regimento, Ernst Schmidt – ou Schmid, seu apelido carinhoso. Mend se refere a esse homem como "queridinho" e "prostituta masculina" do futuro chanceler do III Reich.

Outras fontes importantes para Machtan são o diplomata Eugen Dollman e o escritor Erich Ebermayer. Dollman foi representante alemão na Itália. Serviu ao führer como intérprete nos encontros que esse manteve com o ditador fascista Benito Mussolini. Em 1949, publicou um livro de memórias que menciona a homossexualidade de Hitler logo nas primeiras páginas. Entre as recordações, inclui-se a de um jantar com o general Otto von Lossow, pouco depois de ele haver desbaratado o golpe de Estado que os nazistas tentaram dar no começo dos anos 20. Lossow teria mostrado aos convivas um relatório secreto que guardava para defender-se contra possíveis represálias. Segundo Dollman, eram várias páginas com depoimentos de jovens pobres que haviam sido abordados na rua por Adolf Hitler, levados para jantar em pequenos restaurantes, instruídos a respeito dos ideais nazistas e depois convidados a passar a noite em seu quarto. Ao contrário de Dollman, Erich Ebermayer não teve contatos pessoais freqüentes com Hitler, mas conhecia bem pessoas de seu grupo. Filho de uma família tradicional, era homossexual e nunca se preocupou em esconder o fato. Falou sobre a intimidade do ditador nas páginas de um diário pessoal que publicou em 1959. "Para todos aqueles que estão por dentro dos fatos, Rudolf Hess – mais conhecido nos círculos do partido como 'preta Emma' – foi por muitos anos amigo íntimo do führer. Meus informantes, que são totalmente confiáveis, enfatizam com orgulho a tendência homoerótica do führer e de seu círculo mais próximo. O próprio não está mais vivendo sua opção depois que a política passou a absorver cada vez mais suas forças. Só de vez em quando, nas viagens de carro entre Berlim e Munique, ele tem a oportunidade de relaxar", registra o autor numa anotação de 1933.

Os capítulos mais importantes do livro de Machtan, contudo, são aqueles dedicados ao relacionamento entre Hitler e Ernst Röhm. Militar de carreira, esse último já tinha um alto posto no Exército alemão na I Guerra Mundial. Era um homem influente quando conheceu Hitler, em 1919. Encantou-se com sua oratória e resolveu incentivá-lo a ingressar na vida pública. Conforme observou um contemporâneo, foi Röhm quem "calçou as botas em Hitler e o colocou em marcha". Enquanto ele galgava os degraus da carreira política, Röhm tratava de ganhar a lealdade do Exército alemão. Tornou-se o grande líder da tropa regular nazista (a SA, que se contrapunha à SS, a tropa de elite). Os dois entrariam em rota de colisão. Em junho de 1934, pouco depois de Hitler ser eleito chanceler, Röhm foi executado. Juntamente com ele, dezenas de correligionários e opositores do regime foram eliminados. O episódio é interpretado nos livros sobre a II Guerra como resultado de uma luta interna pelo poder. Segundo Machtan, é preciso levar em conta a questão da homossexualidade nos círculos nazistas para entender de maneira completa os acontecimentos.

A tese do historiador é a de que Hitler, que havia tempos hesitava entre a arte e a política, só optou por essa última porque encontrou em Röhm um modelo e, em seu grupo de militares, um ambiente onde se sentia à vontade. Homossexual declarado, Röhm professava o ideário do escritor Hans Blüher, autor de textos sobre o "fenômeno erótico" que estiveram em voga no começo do século. Pode-se dizer que esses textos faziam apologia do amor na caserna. Defendiam a idéia de que o afeto entre amigos, no interior de agremiações masculinas, ajudava a forjar heróis e líderes carismáticos. Machtan demonstra que esse ideário foi muito influente nos primórdios do nazismo. "Erotismo e sexualidade entre homens carregados de ideologia foram pedras angulares da cultura fascista no período pré-1933", escreve ele. Depois da ascensão de Hitler ao poder, porém, o quadro político se complicou. No interior do governo formaram-se grupos opostos: Röhm de um lado, Himmler e Goebbels do outro. Não demorou para que as inclinações de Röhm fossem usadas contra ele. Durante algum tempo, Hitler procurou equilibrar-se nessa briga. Finalmente, postou-se contra o antigo mentor. Os assassinatos de 1934, e o de Röhm em particular, foram justificados como meio de expelir do partido seus quadros "degenerados". A partir dessa data, a perseguição aos homossexuais passou a fazer parte do programa nazista.

Machtan reconhece que essa perseguição parece um obstáculo à sua teoria de um "Hitler gay". Só à primeira vista, afirma ele. Em primeiro lugar, a lei alemã de repressão à homossexualidade não foi invenção nazista. Constava de muito antes no Código Penal e perdurou até 1969. Em segundo lugar, não se pode falar em holocausto gay como se fala de holocausto judeu. A eliminação não foi nem de longe tão sistemática. Homossexuais influentes, com ligações no partido nazista, foram poupados. O já citado Erich Ebermayer é um exemplo. Além disso, Hitler nunca se manifestou abertamente contra a homossexualidade. Os discursos mais ácidos sobre o tema foram feitos por outros, como Himmler. Se ele concordou com a caça às bruxas de 1934, foi por instinto de autopreservação. Há indícios de que Röhm tentou usar suas informações sobre a intimidade do führer para chantageá-lo. Para consolidar seu poder e livrar-se desse embaraço, Hitler o sacrificou. Também passou a sublimar a própria sexualidade. Voltou para dentro do armário. O namoro dos anos seguintes com a vendedora Eva Braun não seria mais que uma farsa conveniente. Nesse ponto os biógrafos são unânimes: nunca houve sexo entre eles.





































Fonte: VEJA; Edição 1 721 - 10 de outubro de 2001

quinta-feira, 21 de julho de 2011

Ataque das Hordas Bárbaras GAYs. Já é hora de trazer nossos expoentes para a frente da batalha.


É hora de trazer nossos expoentes para a frente da batalha



Por Pr.Paulo Cesar Nogueira

       Amados, acabei de ler duas matérias no site em questão http://terramagazine.terra.com.br/index.html (Opinião- Religiosos promovem cruzada para combater direitos civis gays) e (Sociedade Religiões estão fortes como na Idade Média, afirma escritor). Em ambas; escritas por um médico que também é escritor e um jurista, também colunista do site, observamos um tipo de "fobia" contra a religião e mais especificamente com a crença evangélica. Até ai nada de anormal. De certo modo, a nossa existência e a defesa que fazemos (e como fazemos) dos valores bíblicos está incomodando muita gente e também a grupos que têm como objetivo interesses particulares, que por sinal, são muito contraditórios a realidade pregada pelo Evangelho. 

       Nas duas matérias somos reduzidos a ignorantes manipuladores de uma massa sem nenhuma cultura, a qual nada é permitida, como se realmente ainda estivéssemos na Idade Média ou no início da era moderna. O teor destas duas matérias não é nada novo para nós, mas independente disso, é necessário atentar para o fato de que a rejeição ao avanço do Evangelho em nossos dias está devidamente organizada, bem como estruturada, sendo praticada por pessoas que detêm grande habilidade em se comunicar e de se colocar diante da opinião pública.Estamos lidando com opositores, infelizmente precisamos falar desta maneira, que dominam bem a comunicação e que estão usando a mídia de forma articulada, fazendo com que seus artigos, colunas e outros interajam harmonicamente na sua essência.
      Em vista do exposto acima, sugiro aos pastores, principalmente aos das grandes denominações, incentivarem dentro de suas igrejas as pessoas mais articuladas com a escrita e com a mídia a se posicionarem com mais freqüência e sobre todos os temas que implicam diretamente com a nossa fé. Estamos tendo uma atuação na internet e na mídia escrita e televisiva muito pequena e esporádica, faz-se necessário nesse momento utilizarmos “nossos expoentes”, que são muitos nas diversas denominações pela misericórdia de Deus, os fazendo chegar para frente da batalha, se utilizando da divulgação de idéias e do conhecimento que eles detêm sobre essas questões em voga.

     Paralelo a esta ideia, me animo também a estimular uma maior aproximação dos pastores nos seus respectivos bairros onde estão inseridos, independente da denominação que pertençam. Junto à atuação na mídia, vamos precisar trabalhar esses conceitos críticos nas nossas localidades, e com certeza, se estivermos unidos, conseguiremos melhores resultados. Não adianta só estarmos em comunhão dentro de nossas igrejas, precisamos agir de forma que as igrejas estejam em comunhão uma com as outras.

    Abrace esta ideia, tenha essa iniciativa como teve essa semana uma pastora em nosso bairro, convide os pastores do seu bairro, independente de já não ter dado certo outras vezes, a conversar sobre esses grandes temas que estão tentando parar o avanço do Evangelho no Brasil. Lembre-se que fazendo isso, estaremos militando pelo Reino e não apenas por nós.

     Esta é minha contribuição a esse momento que estamos vivendo. Espero que ela frutifique dentro do seu coração e de sua denominação. 
Em Cristo.

CRISTOFOBIA: Porque são mortos e perseguidos os cristãos hoje? Palestra Imperdível com Dr. Alexandre Valle.


Olá Ricardo,
Tenho dados aterrorizantes para lhe informar:
A cada cinco minutos um Cristão é morto por causa de sua Fé.
Ou seja, todo ano 105 mil pessoas são brutalmente assassinadas por professarem Jesus Cristo como Salvador da humanidade.
Isto sim é perseguição, ódio e violência contra um povo que simplesmente tem a Cruz de Nosso Senhor como estandarte.
Para abordar mais este tema, o Instituto Plinio Corrêa de Oliveiraconvida você para participar da palestra:




CRISTOFOBIA: Por que são mortos e perseguidos 
os cristãos de hoje?






A palestra vai acontecer dia 04 de agosto a partir das 19 horas no auditório do Colégio São Bento (ver mapa).
O palestrante será o Consultor do Parlamento Europeu, Doutor Alexandre de Valle.
Ele virá de Barcelona especialmente para este evento e possui um vastíssimo currículo, incluindo vários livros publicados sobre a
questão do Islã, da perseguição religiosa e do terrorismo.
O Doutor Alexandre também é professor de relações internacionais na Universidade de Metz, na França; consultor de geopolítica para várias importantes instituições européias e famoso articulista na área.





Ricardo, o assunto é sério e merece atenção.
Enquanto uma minoria faz passeata e aparece na mídia falando de casos isolados do que chamam de “homofobia”, milhares de cristãos SÃO MORTOS em conseqüência do ódio contra a fé em Cristo.
Mas esta questão quase não aparece na imprensa brasileira.
Por isso você não pode deixar de participar da palestra:




CRISTOFOBIA: Por que são mortos e 
perseguidos os cristãos de hoje?

Você terá dados concretos sobre a perseguição aos cristãos e subsídios essenciais para fazer frente a essa investida que procura banir o cristianismo do mundo.





Ricardo, a defesa de nossa fé está em jogo!
A realidade é macabra. Assassinatos, intimidações, ameaças e humilhações fazem parte da vida de muitos cristãos, e você
e eu precisamos divulgar estes dados alarmantes.
Encaminhe este e-mail a seus amigos, familiares e demais contatos na internet para esta palestra.
Vamos defender a nossa fé!
Atenciosamente,
Assinatura Sr Mário.jpg
Mario Navarro da Costa
Diretor de Campanhas do
Instituto Plinio Corrêa de Oliveira
www.ipco.org.br
P.S.: Não deixe para depois, inscreva-se aqui e garanta sua participação na palestra: CRISTOFOBIA: Por que são mortos e
perseguidos os cristãos de hoje?
Ao final da palestra será servido um cocktail para você conhecer cristãos que, como você, também tem interesse em defender o direito
de professarmos a fé em Nosso Senhor Jesus Cristo.
Acesse aqui se não quiser mais receber informações do Instituto Plinio Corrêa de Oliveira


Fonte: Email enviado pelo IPCO à minha pessoa.

quarta-feira, 20 de julho de 2011

9 regras para um Casamento Feliz.


casal felizO cotidiano agitado das pessoas, aliado á grande facilidade de obter o divórcio (segundo dados de uma pesquisa, a cada quatro casamentos, ao menos um acaba em divórcio), tem diminuído a duração das uniões matrimoniais. Hoje, o tempo médio de duração dos casamentos brasileiros é de apenas cinco anos, três vezes menor do que era há dez anos. Para se ter uma casamento pleno, as crises são necessárias, já que são elas que vão servir como termômetro para o casal medir a quantas anda o relacionamento. Um relacionamento que dá certo é um edifício que tem que ser construído todos os dias. A seguir, acompanhe os nove passos para você ter um casamento feliz!

1- Nunca se endivide. Tudo o que é barato, por mais barato que seja, se você não precisa, é caro!

2- Não deixe acabar o diálogo no namoro, o casal conversa por horas no portão ou pelo telefone. Recupere este hábito sempre, e nunca responda com monossílabos como ''Sim'', ''Não'', ''É'', ''Tô'', ''Vou''etc.

3- Não deixe acabar o romantismo. Não basta acender a fogueira, tem de colocar lenha para o fogo continuar a arder!

4- Não se esqueça de datas especiais, e não se canse de dizer Ëu te Amo''.

5- Tenha uma vida sexual ativa.

6- Deixe claro que família está sempre em primeiro lugar na sua vida.

7- Aprenda a perdoar. Não exija a perfeição - Que você não tem - no parceiro.

8- Não trabalhe demais. Tire, pelo menos, um dia de folga por semana. Faça ''Breaks''a cada três meses. Lembre-se de que o diabo não tira férias, mas vive no inferno.

9- Cultive a espiritualidade!

Silmar Coelho é pastor; doutor em teologia e liderança pela Universidade Oral Roberts, EUA; empresário; terapeuta; conferencista internacional; e escritor de 20 livros, entre eles: ''Jamais desista'', Editora Vida e ''Transformando lágrimas em vinho'', Editora MK.
Fonte www.estudosgospel.com.br

sábado, 16 de julho de 2011

"Deus é um fanático homofóbico pecador!", afirma ativista admirado por Obama.


WASHINGTON DC, EUA, 11 de janeiro de 2010 (Notícias Pró-Família) — Frank Kameny, ativista homossexual “pioneiro” que foi honrado pelo presidente Obama e seu governo, diz que o Deus da Bíblia é um “fanático homofóbico pecador” que precisa “se arrepender de sua homofobia pecadora”.
Kameny fez as afirmações sobre o Deus judaico-cristão numa carta para Peter LaBarbera de Americanos pela Verdade sobre a Homossexualidade, em 13 de outubro de 2009:
“Seu Deus de Levítico (e da Bíblia inteira) é claramente um fanático homofóbico pecador. Ele precisa se arrepender de seu pecado de homofobia. Ele precisa fazer expiação por esse pecado. E ele precisa buscar perdão pela dor e sofrimento que seu pecado de homofobia infligiu, sem necessidade alguma, nos gays nos 4.000 anos passados”, escreveu Kameny para LaBarbera. “Não é a homossexualidade que é sempre errada, imoral e pecado. É a homofobia, inclusive a homofobia de seu próprio deus que é errada, imoral e pecado. Por isso, seu deus é um pecador…”
Astrônomo que foi demitido de seu emprego no governo federal em 1957 devido à sua homossexualidade, Kameny liderou o primeiro protesto homossexual público dos Estados Unidos (por causa de sua demissão), em 1965. Kameny, que ficou famoso por seu lema agressivo e contra-cultural “Gay is Good” [Gay é bom], foi líder da campanha organizada de ativistas homossexuais para pressionar a Associação Psiquiátrica Americana a remover a homossexualidade da lista de desordens mentais (que foi bem sucedida quando a APA capitulou em 1973).
Em 17 de junho de 2009, Kameny recebeu do presidente Obama a caneta oficial da Casa Branca numa cerimônia da Casa Branca para a assinatura da ordem executiva de Obama decretando benefícios de parceria doméstica para certos funcionários federais.
Mais tarde, num discurso de 29 de junho na Casa Branca honrando o “mês do orgulho gay”, o presidente Obama louvou Kameny, dizendo: “Estamos orgulhosos de você, Frank, e estamos gratos a você por sua liderança”.
Kameny foi também honrado pelo homossexual assumido John Berry, que é diretor da Secretaria de Gerência de Recursos Humanos (SGRH), numa cerimônia especial em 24 de junho de 2009 patrocinada pela organização de funcionários gays da SGRH. Ali, Kameny recebeu a Condecoração Theodore Roosevelt, a mais elevada honra da SGRH, “Por Mais de Meio Século de Liderança na Luta por Direitos Civis”. Berry também deu para Kameny um pedido oficial de perdão por sua demissão 50 anos atrás.
Respondendo à carta de Kameny afirmando que Deus precisa se arrepender, LaBarbera da AVH disse:
“É claro que as declarações ofensivas de Frank Kameny sobre Deus são um atraso completo: É Frank que é o pecador obstinado que precisa se arrepender. Graças a Deus, nunca é tarde demais para os pecadores se afastarem de seus pecados e humildemente aceitarem o perdão de Deus por meio de Jesus Cristo.
“Contudo, num sentido pelo menos Kameny é franco acerca de como sua ideologia que celebra a homossexualidade está diametralmente oposta ao plano de Deus para a humanidade, conforme foi revelado na Bíblia. Infelizmente para Frank, ele não tem autoridade para julgar o pecado e a moralidade; essa esfera pertence exclusivamente ao Deus Todo-poderoso”.
Para ver a mensagem de email que foi enviada por Kameny para Americanos pela Verdade sobre a Homossexualidade em 13 de outubro de 2009, clique aqui:
Traduzido por Julio Severo: www.juliosevero.com
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...