domingo, 29 de janeiro de 2012

A menina, o banheiro e o marmanjo gay


A menina, o banheiro e o marmanjo gay

Julio Severo
Uma menina de dez anos entra no banheiro feminino de uma pizzaria e se assusta. Ela volta para sua mãe e cochicha: “Tem um homem lá dentro do banheiro! Ele tá vestido de mulher!”
A mãe não tem dúvida: numa reação natural que qualquer outra mãe teria, reclama para o dono da pizzaria.
O dono, em atenção à mãe e à segurança dela e sua filha, pediu, quase que implorando, para que o homem vestido de mulher não voltasse mais ao banheiro feminino.
Toda a humilhação e imploração do dono de nada valeram. O caso chegou à Secretaria da Justiça do Estado de São Paulo, que telefonou — não para a mãe e sua filha —, mas para o homossexual, de nome Laerte Coutinho, dizendo que a pizzaria violou a lei estadual 10.948/2001, sobre discriminação por orientação sexual ou identidade de gênero. A pizzaria será multada e ameaçada por forças governamentais a serviço e seviciadas pelo movimento gay. Laerte está determinado a exigir essa truculência estatal contra a pizzaria, como lição para todas as meninas do Brasil que encontrarem um gay no banheiro das mulheres.

Homossexual Laerte Coutinho exige “direito” de estar em banheiros femininos com meninas de 10 anos

A Secretaria da Justiça não se incomodou em telefonar para a menina de 10 anos, nem para sua mãe, talvez porque o marmanjo gay seja funcionário do notório jornal esquerdista Folha de S. Paulo, que já foi denunciado por defender descaradamente o assassinato de crianças em gestação.
O caso expõe nitidamente a hipocrisia do governo e da imprensa esquerdista. Na polêmica lei da palmada, os dois atacaram os pais e sua autoridade, alegando que os interesses das crianças devem estar acima de tudo. Mas quando um homossexual entra no cenário, o holofote fica só para ele, e a pobre criança é atirada para um cantinho escuro.
Se a menina tivesse ligado para a Secretaria de Justiça denunciando que sua mãe lhe deu umas palmadas, a resposta governamental teria vindo imediatamente para punir a mãe.
Mas se a menina tivesse denunciado, “Tem um homem vestido de mulher no banheiro!”, a resposta governamental nunca viria para punir o sem-vergonha. Viria, isso sim, para ameaçar o dono do estabelecimento, a mãe da criança (por ter ensinado “homofobia” para a menina) e para dar uma bronca na menina por deixar sua mãe lhe ensinar “preconceito, discriminação e ódio”.
O governo e a mídia incitam crianças a denunciar os pais, que são os maiores protetores de seus filhos.
Mas o governo e a mídia nunca incitam crianças a denunciar predadores homossexuais. Tudo indica que, na visão governamental e midiática, pais são muito mais perigosos do que esses predadores.
Folha de S. Paulo, que está gritando histericamente em favor de seu funcionário homossexual, calou-se para o fato de que uma menina estava envolvida. Nenhum jornalista nem autoridade governamental e muito menos um membro do Conselho Tutelarapareceu para dizer: “Ei, temos de colocar a menina antes do homossexual!” É uma vergonha colossal que o Estado de São Paulo sob o PSDB e a Folha de S. Paulo estejam colocando o homossexual na frente da menina.
Poderia haver perigo com a presença de um homossexual num banheiro feminino com uma menina por perto? Homens homossexuais também ameaçam meninas. Apesar de seu padrão politicamente correto, até mesmo a Globo não deixou de noticiar o caso de dois pais-de-santo homossexuais que estupraram uma menina de 9 anos.
Qualquer caso de uma menina na presença de um homem no banheiro feminino é suficiente para despertar justa indignação em qualquer pessoa normal, especialmente nos pais. Tal indignação só aumenta diante da injustiça de uma imprensa e até governo que tratam com descaso uma menina e sua mãe a fim de prestigiar um marmanjo homossexual.
Casos como esse só tendem a inflamar e incitar a violência contra os homossexuais, porque embora a imprensa e até o governo coloquem homossexuais na frente de uma menina e sua mãe, as pessoas normais sempre defenderão uma menina ameaçada pela presença de marmanjos em banheiros femininos.
Se até nos banheiros masculinos os homens estão enfrentando problemas provocados por homossexuais, por que estender agora essa insegurança aos banheiros das mulheres?
Cada vez mais, de forma descarada, shopping centers e outros lugares estão sendo usados como pontos de prostituição gay — bem nos banheiros masculinos. E, talvez por temor da obsessão anti-“homofobia, os homens olhem e ignorem. Já presenciei homossexuais que, dentro do banheiro do shopping, ficam ali como canibais do sexo anal, olhando cada homem que entra, esperando uma oportunidade de sexo.
A lei 10.948/2001, que está sendo usada para garantir que o marmanjo gay tenha acesso aos banheiros femininos, é uma insanidade do PSDB. Embora o PLC 122 não tenha sido aprovado como lei federal, o governo estadual do PSDB aprovou uma lei anti-“homofobia” no Estado de São Paulo em 2001. A lei foi criada em resposta à reivindicação de dois homossexuais que estavam se beijando em público e se queixaram de pessoas próximas que se sentiram ofendidas. A lei do PSDB foi criada especificamente para proteger o erotismo homossexual em público.
Como resultado direto dessa lei:
Homossexuais dançaram de calcinha na Assembleia Legislativa de São Paulo em 2007, sem nenhum impedimento.
* Um pastor foi preso no centro de São Paulo, após pregar contra as práticas homossexuais.
* O Estado de São Paulo lidera o ranking de incitação de denúncias por “homofobia”.
* Um bêbado foi multado em quase 15 mil reais por chamar um homossexual de “veado”.
* Uma  igreja evangélica teve seus outodoors com versículos bíblicos violentamente removidos pela “justiça” de São Paulo.
Todas essas consequências vieram de uma lei específica para beneficiar dois gays que queriam a liberdade de se beijar em público, na frente de adultos e crianças.
Que tipo de lei farão agora para atender ao marmanjo gay que exige estar com meninas e suas mães nos banheiros femininos?
Enquanto isso, o que uma mãe deverá dizer à sua filha de 10 anos que testemunhar um marmanjo gay no banheiro feminino? Ficar em silêncio para não ofender o marmanjo?

terça-feira, 24 de janeiro de 2012

E se acabar a Energia por causa de Apagões ou Guerras? Tem saída?




Ricardo Ribeiro

Tempos difíceis se avizinham. Sim, Deus cuidará dos seus. Mas, nossa parte temos que fazer. E se existe algo imprescindível ao Homem moderno, esse algo chama-se Energia. Sem ela seria insuportável a vida retroagindo às eras medievais. Ameaça de guerra com o Irã, ambição governista Americana com a Amazônia e o Pré-Sal, Apagão, etc. São alguns motivos para levar isso a sério. É uma pequena contribuição que deveríamos nos acostumar dar-nos mutuamente, visto que os tempos deste meio de comunicação chamado Internet, estão com os dias contados por incomodar aos que se acham grandes. Esta guerra motivada pelo fechamento do Megaupload, FBI X Anônimous, são só desculpa esfarrapada, pretexto. Então, faça bom proveito da pérola prática e simples e extremamente útil que te apresento e repasse para o maior número de pessoas possíveis. Procure pesquisar mais a respeito e aperfeiçoe se possível. Não esquecendo de compartilhar. Clique nas imagens para vê-las maior. Créditos ao eficiente blog Neomedes.

Bicicleta geradora de energia - Como fazer?

É comum ver pessoas pedalando pela praia, pela praça ou até pelas ruas de seu bairro, isso combate o sedentarismo e traz uma melhor qualidade de vida. Mas, que tal pedalar, no conforto de sua casa, cuidar de sua saúde além de cuidar do planeta e economizar energia elétrica?

Não só é legal, como é possível e você ainda pode gerar energia suficiente para, por exemplo, acender as luzes da sua casa. E agora, eu vou te ensinar como fazer uma bicicleta capaz de gerar energia elétrica.

Do que vamos precisar?
- 1 bateria comum 12V/45A;
- 1 bicicleta comum;
- 1 correia;
- 2 pedaços de madeira: um de 40cm x 25cm e outro de 50cm x 10cm;
- 1 alternador;
- Condutores: Para ligar o alternador a bateria e para ligar a bateria a carga (lâmpadas, cerca elétrica, caixa de força e etc.);
- Porcas e parafusos;

Como fazer?
a) Retire a roda dianteira da bicicleta e o pneu da roda traseira;
b) Faça um furo em uma das extremidades do pedaço de madeira de 40cm e prenda longitudinalmente o garfo da bicicleta com as porcas e os parafusos. Para maior estabilidade, apoie o eixo dos pedais na madeira;
c) Calce o suporte com o outro pedaço de madeira, o de 50cm, deixando-o logo abaixo do garfo traseiro e a uma distância suficiente para que a roda possa girar;
d) Coloque a correia na roda traseira e na polia do alternador, permitindo que a velocidade do pneu seja igual a velocidade da polia;
e) Com os condutores, ligue o alternador à bateria, e a bateria à carga;
f) Ao girar a roda traseira, a correia aciona o alternador que carrega a bateria. Desconecte os condutores que ligam o alternador a bateria, para poder colocá-la em uso;

Veja o esquema abaixo:


Dica: Como seria impossível saber a variação da amplitude da tensão, pode-se ainda usar reguladores de tensão simples como Diodos Zener, ou reguladores de três terminais, que tem por finalidade manter a tensão produzida pelo alternador dentro dos limites exigidos pela bateria e/ou pela carga que será alimentada.

Obs.: Quanto maior a capacidade de corrente da bateria, a "amperagem", maior vai ser o armazenamento de energia, e para armazenar mais energia, obviamente, é necessário pedalar por mais tempo.

Fonte: Neomedes

segunda-feira, 23 de janeiro de 2012

Mc Sheldon é preso com Maconha em Recife e investigado por Apologia à Pedofilia.

Mc Sheldon é preso com Maconha em Recife
Atualizada às 14h13
O músico MC Sheldon, 20 anos, foi detido e liberado ontem mesmo por porte de maconha. Sheldon da Silva Ferreira estava num posto de gasolina na Estrada Velha de Água Fria com um amigo, Geyson Bezerra da Silva, 18, e mais nove pessoas quando foi abordado por policiais da Coordenadoria de Operações e Recursos Especiais. Os agentes haviam recebido uma denúncia anônima sobre o uso de entorpecentes e encontraram três papelotes de maconha (cerca de 10 gramas), dois com Geyson e o restante no carro de Sheldon.

Por volta das 21h, os dois foram levados à Delegacia de Casa Amarela, onde foram ouvidos pelo delegado Carlos Gilberto, que entendeu que a droga era para consumo próprio e não para tráfico. Sheldon e o amigo vão responder a um termo circunstanciado de ocorrência. Fãs e colegas de trabalho aguardavam a liberação do músico.       Fonte: Pernambuco.Com

DISCARADA APOLOGIA A PEDOFILÍA
Título Original: Novos sucessos do jovem brega pernambucano fazem apelo ao erotismo. 


A noite está apenas começando. O ritmo frenético toma os corpos como uma onda. As meninas dançam sobre saltos, expõem jeans de marca, mostram decotes e pernas, piercings. Requebram até o chão. Os homens atendem ao chamado, aproximam-se, esfregam os corpos nos das garotas. Os MCs Metal e Cego põem fogo na noite, instigam uma multidão. É início de abril, gravação do DVD no Clube Internacional do Recife, na Madalena. Show de tecnobrega escrachado, apelativo, que cola nos ouvidos. O repertório que virou fenômeno está na boca das adolescentes de todas as classes sociais, convida à prática de sexo com “as novinhas”, como são chamadas as meninas menores de 17 anos. Chama de pente e tchecquinha os órgãos sexuais masculinos e femininos. Fala de um assunto que fervilha na cabeça dos adolescentes. “Passou dos 17 para mim já é coroa”, diz um trecho de uma das canções mais famosas.
Experimente perguntar ao seu filho adolescente se ele já ouviu ou assistiu a um show de Metal e Cego, ou quem sabe de Sheldon e Boco Prostituto. Os espetáculos promovidos pelos novos artistas da cena do tecnobrega local acontecem nas casas de show da periferia e aportam pelas boates da Zona Sul, como a Nox. São repletos de adolescentes, sem a companhia dos pais ou responsáveis, como determina uma portaria estadual, que cantam um sexo sem censura, mas que também consomem bebida alcoólica, cigarros, drogas e presenciam brigas.

Não se surpreenda se você não sabia de tamanha repercussão. Talvez os adolescentes se sintam pouco à vontade para falar sobre sexo tão abertamente com os pais. “Se eu mato, eu vou preso, se eu roubo, eu vou preso, se é para pegar novinha, eu vou preso satisfeito”, diz um outro refrão conhecido dos jovens, que faz menção à lei que prevê como crime de estupro presumido o sexo, mesmo que permitido, com menores de 14 anos.
“As meninas estão transando mais cedo. Ninguém quer saber se tá certo ou errado. A gente faz isso porque é bom”, explica uma fã dos MCs, 15 anos. Com a sexualidade à flor da pele, os adolescentes que vão aos shows das duplas contam que querem aproveitar o momento para namorar, curtir, sentir prazer. Na frente do clube, uma jovem pede, em público, que o namorado lhe faça sexo oral. Chega a abrir o short. A menina logo desiste do cenário. O casal segue para um lugar mais reservado.

No salão, uma loura dança. O vestido branco e transparente colado aos seios e nádegas balança junto com a jovem de 17 anos enquanto ela simula a “posição da rã”, quando a mulher acocora-se e se movimenta ao mesmo tempo sobre o parceiro, que está deitado. “Adoro as músicas, pois falam dos adolescentes.”

Na entrada do clube, meninos e meninas se espremem para entrar. Um deles, com 16 anos, termina com a camisa rasgada. “A gente só não pega menina de 7 a 10 anos. O resto pode”, comenta um garoto com 16 anos. Para uma jovem de 15 anos, a autorização dos pais para ir às festas não é problema. “Eles sabem que bebo”, conta. Os MCs uniram as Zonas Norte e Sul. Na matinê da Nox, em Boa Viagem, as meninas de classe média e alta gritavam por Sheldon e Boco junto com as da periferia. “Sei que as letras falam coisas erradas, mas não vou fazer o que cantam”, diz uma garota de 13 anos.

As letras das músicas dos MCs fazem culto ao corpo e citam o sexo sem censura com as chamadas “novinhas”. Apesar disso, os compositores demonstram conhecimento da lei no que se refere à prática de relações sexuais com menores de 18 anos. “As músicas retratam a realidade dos jovens da periferia porque a classe mais baixa trata o tema de forma mais aberta. Na classe média, o assunto também é falado, mas através de códigos menos evidentes”, explica a doutoranda em sociologia da Universidade Federal de Pernambuco (UFPE) e pesquisadora do consumo e produção musical, Cynthia Campos.
Se eles cantam a realidade das comunidades, nem por isso deixam de agradar às patricinhas ou intelectualizadas. “Na faculdade, meus amigos me criticam porque adoro esses MCs. Gosto do ritmo”, comenta uma estudante de filosofia da UFPE, com 18 anos.

O problema, na opinião de Cynthia, é que as canções reforçam o discurso de que a mulher perde o atrativo sexual com o avanço da idade e as meninas jovens não passam de objeto de prazer.
Para o professor da Universidade Católica de Pernambuco (Unicap) e mestre em comunicação pela UFPE, Fernando Fontanella, a valorização da juventude não é encontrada apenas no brega. “Isso acontece  em propagandas e em desfiles”, ressalta. “As adolescentes estão fazendo sexo, com música ou não. Essas letras só refletem a situação que elas vivenciam”, acrescenta (...)

Por Marcionila Teixeira e Mirella Marques, do Diario de Pernambuco

Posição da rã (Metal e Cego)
Tamos de volta na pegada
Esse moleque é bam bam bam Quero ver as novinhas
na posição da rã
E toda hora. Todo instante
Vive ligando pra mim
Amor eu quero, eu hoje to afim
E vai fazer a posição.
Depois não diga que eu sou ruim Fazer a noite toda
Se depender de mim...
E o comentário das novinhas se espalhou para geral.
Quem faz amor gostoso
É Cego e Metal

Se eu mato, eu vou preso (Sheldon e Boco)
Mas se eu mato, eu vou preso
Se eu roubo, eu vou preso
Se é pra pegar novinha,
Eu vou preso satisfeito
Porque eu sei que é complicado
Pela lei eu tô errado
Mas não posso fazer nada se o amor fala mais alto...

Tá lelé, tá maluco
(Sheldon e Boco)
Tá lelé, tá maluco,
Tá lelé, tá maluco
É o MC Sheldon e o
Boco Prostituto
Eu tô embrasado
De carro importado
Whisky red bull
No quarto espelhado
Pego uma novinha
Que tem uma marquinha
Entre quatro paredes onde começa a orgia
Papai começa a ligar mas elas não quer saber. Só quer Sheldon e Boco fazer o quê? 

Diário de Pernambuco


AS DECLARAÇÕES CONSCIÊNTES DO CRIME


Confira entrevista com os MCs Metal, Cego, Sheldon e Boco:

“As novinhas ficam loucas”
Uma média de 20 shows por mês para cada dupla e cachês que chegam a R$ 5 mil. Os quatro jovens de origem pobre iniciaram suas carreiras compondo e cantando letras de funk, mas o que eles queriam mesmo era sucesso. E ele veio rápido. O Diario conversou com os MCs Metal e Cego, autores de hits polêmicos como Gostou, novinha?, e com Sheldon e Boco, compositores de Se eu mato, eu vou preso. Eles falaram sobre sexo com meninas menores de 18 anos, sucesso e pressão do mercado. Em comum, os quatro defendem que estão apenas reproduzindo um tema real.

Em que vocês se baseiam para compor músicas que falam do relacionamento de adultos com meninas menores de 18 anos?Boco – Esse negócio de novinha começou quando a gente foi fazer um show em Caruaru. Lá, todas as meninas usavam blush e franjinha. Soube que depois do sucesso das nossas músicas, a venda de blush até aumentou.
Sheldon – Todas as nossas músicas de sucesso foram feitas por mim e por Boco. O nosso público são as novinhas mesmo. É por isso que a gente fala tanto delas nas músicas. Homem que gosta de novinha é o que mais tem no mundo. (Grifos nosso)
Metal – A música Posição da rã foi composta por mim e por Cego neste ano. A gente escreveu a letra observando o dia a dia, vendo as meninas dançando nos nossos shows. No palco, as novinhas ficam loucas. Para mim, novinha é aquela menina que tem 15, 16 e 17 anos. Muita gente gosta de novinha.
Cego – A inspiração para compor Posição da rã veio na hora. Sabemos que tratar sobre esse assunto, de forma tão aberta, é uma novidade. E vocês podem se preparar porque já estamos fazendo uma letra de outra música que também vai falar das meninas de menor. A gente só faz letra que o público pede no palco. Mas não esperava esse sucesso todo. Até a banda Aviões do Forró já gravou nossa música.

Vocês já receberam reclamação sobre as letras? 
Boco - Nunca recebi críticas. Mas se receber, vou encarar de forma natural. Somos pessoas públicas. Vai ter gente que gosta e que não gosta do nosso trabalho. Mas, graças a Deus, estamos sendo chamados para fazer muitos shows.
Sheldon – Já recebi críticas dos pais das novinhas. Muitos pais falam que a gente só faz música para elas. Algumas pessoas até já me pararam na rua para perguntar se eu tenho medo de ir preso. Digo a elas que, se eu for preso, pelo menos vou satisfeito. Que nada! Para mim, essas letras polêmicas não passam de música. Não é porque uma pessoa ouve “Se eu mato, eu vou preso” que vai fazer igual.
Metal – Nunca recebi críticas das nossas músicas por parte da polícia ou dos pais. Só algumas bandas chegaram para criticar. Mas acho que foi mais por inveja do nosso sucesso. Até porque, acho que a lei é certa, deve dar cadeia para quem se relaciona com meninas com menos de 14 anos. Mas se as próprias meninas quiserem sair com os caras, acho que não tem nada demais.
Cego – Acho que a gente nunca recebeu críticas porque as músicas falam de algo que é natural e que existe na sociedade. Nunca fomos criticados oficialmente.
Investigação - A presença de crianças e adolescentes desacompanhados de pais ou responsáveis no show de tecnobrega promovido pelos MCs Metal e Cego, no último dia 2 de abril, no Clube Internacional, vai ser investigada pela promotora do Ministério Público de Pernambuco (MPPE) Rosa Carvalheira, da Vara da Infância e da Juventude. A festa ocorrida no dia 19 de março na boate Nox, em Boa Viagem, também deverá ser investigada pelo MPPE. A dupla de MCs é autora de hits como Na posição da rã e Gostou, novinha?, cujas letras falam da prática de sexo com meninas menores de 17 anos.
A investigação do MPPE acontece depois da reportagem publicada no Diario, no domingo. A veiculação da matéria também motivou o reforço na fiscalização de eventos com a presença de jovens dentro dos próximos quinze dias. A tarefa deverá ser feita por fiscais da infância e da juventude do Tribunal de Justiça de Pernambuco (TJPE).


Paraíba dá o Exemplo contra a Pedofília: estabelecimento comercial que incentivar a prática, terá alvará de funcionamento cassado.

11/03/2011 - 15:41
Estabelecimento comercial instalado no município de João Pessoa que permitir, incentivar ou simplesmente fazer apologia a pedofilia poderá ter seu alvará de funcionamento cassado. É o que determina um projeto de lei do vereador Tavinho Santos (PTB) já em tramitação na Câmara Municipal de João Pessoa (CMJP).

O projeto, em seu artigo primeiro, aponta especificamente as casas de diversões, os estabelecimentos destinados à realização e promoção de eventos artísticos e musicais (boates, casas de shows e assemelhados), hotéis, motéis, pensões, bares, restaurantes e estabelecimentos congêneres que permitirem a prática ou fizerem apologia, incentivo, mediação ou favorecimento da exploração sexual infanto-juvenil e a pedofilia.

A cassação dos alvarás de funcionamento, conforme a iniciativa de Tavinho, será determinada após prévio processo administrativo, no qual será assegurado ao estabelecimento acusado o contraditório e a ampla defesa. Os proprietários dos estabelecimentos punidos também ficarão impedidos de atuar e constituir novas empresas nos respectivos setores de atuação por cinco anos a contar da data da cassação do alvará.

“A pedofilia e a prostituição infantil, infelizmente, andam lado a lado e estão arraigadas por todo o país”, lamenta Tavinho, denunciando: “Há no Brasil e no mundo redes de negócios altamente lucrativas envolvendo a exploração sexual infantil. Informações publicadas dão conta de que o ‘negócio da prostituição infantil’ só perde em rentabilidade para o comércio de armas e de drogas”.

O projeto, segundo Tavinho, tem como objetivo dar uma resposta aos anseios da sociedade, bem como complementar a legislação já existente e combater os verdadeiros “criminosos travestidos de pessoas do bem, que ameaçam nossas crianças e nossos adolescentes”.

Pedofilia é um distúrbio de conduta sexual onde o adulto sente um desejo compulsivo, de caráter homossexual ou heterossexual, por crianças ou pré-adolescentes.

Texto: assessoria do vereador
Edição: Jorge Rezende
Foto: Olenildo Nascimento
Fonte: Câmara Municipal de João Pessoa

domingo, 22 de janeiro de 2012

Ei, deixa de reclamar, Deus dá sempre um jeito.


Emocionante: Qian Hongyan – exemplo de superação!

Qian Hongyan – exemplo de superação!

1 FEVEREIRO 2010 11 COMENTÁRIOS
qian_hongyanEm 21 de outubro de 2000, quando tinha apenas três anos, a menina chinesa Qian Hongyan perdeu as duas pernas num acidente de carro. A família Hongyan não tinha dinheiro suficiente para conseguir-lhe equipamento ortopédico de alta tecnologia para ajudá-la a locomover-se; assim seu pai deu a ela uma bola de basquete improvisando uma proteção ao seu corpo.
Qian a caminho da escolaMesmo com toda essa dificuldade ela era capaz de ir de sua  casa até a escola literalmente saltando com a bola de basquetebol envolvendo uma armação de madeira acoplada ao seu corpo. Cinco anos mais tarde, em maio de 2008, especialistas do Centro de Pesquisas de Reabilitação Ortopédica da China, na capital Beijing,  conseguiram finalizar um projeto  dando-lhe pernas protéticas especialmente criadas para sua situação.

Durante o  sétimo encontro desportivo nacional para portadores de necessidades especiais (paraolímpicos)  realizado em Kunming em maio de 2007, Qian Hongyan esteve presente diariamente assistindo aos jogos e sentindo-se profundamente envolvida e comovida vendo a luta de jogadores deficientes durante as partidas. Isso fez com que traçasse uma nova meta em sua vida — a de entrar no clube de natação especial. Ela e seus pais estiveram com Zhang Honghu, conhecido treinador que já treinou vários campeões de natação para deficientes, consultando-lhe sobre essa possibilidade. Foi matriculada no clube de natação e passou ao  treinamento de natação profissional.

“Qian Hongyan é aplicada e estuda muito. Nunca abandonou sessões de treinamentos, embora tenha confrontado com muitas dificuldades no início”, disse seu treinador.

No início Zhang não deu muita atenção a Qian Hongyan. “Verificar a capacidade do indivíduo é importante na escolha de um atleta”, disse ele. “Qian Hongyan não tinha pernas. Parecia um navio sem leme, e um navio não pode funcionar bem se lhe falta a peça que permita a correta direção.” A fim de resolver o problema, Zhang fez um plano de formação especial para Qian Hongyan que ajudasse no equilíbrio ou balanço de seus ombros durante a natação, permitindo-lhe coordenar a direção correta  na lâmina d´água sem auxílio das pernas e pés .

Qian HongyanNesse trabalho Qian Hongyan nada diariamente cerca de 2000 metros. Com cuidado ela sempre faz os exercícios apropriados, uso de halteres e assim por diante. Após um curto período de treinamentos, para a surpresa de Zhang, ele descobriu que a garota era dotada da habilidades para a natação. 
Afirmou, “Hongyan é um nadadora muito boa. Eu não posso garantir que ela será uma campeã do mundo. No entanto, posso dizer que ela é definitivamente uma nadadora promissora. Nosso maior desejo é o de treiná-la a ter uma atitude positiva perante a vida.” O sonho de Qian Hongyan é participar nos Jogos Olímpicos Especiais de 2012  e tornar-se uma campeã do mundo. Tem trabalhado arduamente  para alcançar seu objetivo!
Créditos: 1. texto traduzido do inglês de “Xinhua – Women of China” em:http://www.womenofchina.cn/html/node/45700-1.htm
 2. fotos – download de fotos públicas na internet.
Nota do administrador do blog: existe na internet emails com mensagens abordando mesmo assunto, algumas são lendas pobres e apelativas, colocando a vida da atleta em situação de penúria e miséria, o que não corresponde a verdade nem é do agrado do governo chinês ou da família Hongyan, cuja filha tem sido um exemplo de superação no mundo todo. Ela vive bem e feliz de acordo com a realidade de seu país.

sábado, 21 de janeiro de 2012

Homossexual Luís Mott, defensor da Pedofilía é denunciado no Ministério Público por Advogado CACP.


"Excelentíssimo Senhor Procurador da República: Deparei-me com importante artigo intitulado: "Pedofilia já! Enquanto ainda 'estou com tudo em cima' escrito por Jael Savelli, onde transcreve entrevista dada por Luiz Mott, ocasião em que este teria feito apologia do crime nojento de pedofilia:
Advogado do CACP faz denuncia contra ativista Gay
Advogado do CACP, o Dr. Eliézer de Mello Silveira denunciou ao Ministério Público Federal da Bahia a apologia de crime de pedofilia havida em excertos de entrevista concedida, via "site" da internet, pelo líder do movimento gay no Brasil, Luiz Mott. Em reposta à sua denúncia o Procurador da República daquele Estado, o Dr. Sidney Madruga assegurou-lhe a instauração de Procedimento Administrativo para investigar e extingüir o site que a difundiu, assim como representação para abertura de Inquérito Policial contra os responsáveis. Confira-se trechos da denúncia empreendida pelo causídico do CACP, inclusive fragmentos textuais repugnantes concedidos pelo indigitado líder gay no Brasil nos quais baseou-se a denúncia, bem como a resposta do MPF daquele Estado:
"Excelentíssimo Senhor Procurador da República: Deparei-me com importante artigo publicado no site "www.midiasemmascara.com.br", intitulado: "Pedofilia já! Enquanto ainda 'estou com tudo em cima' escrito por Jael Savelli em 14 de julho de 2007, onde transcreve entrevista dada por Luiz Mott, ocasião em que este teria feito apologia do crime nojento de pedofilia:
"Nos últimos 36 anos de prática homoerótica, calculei que devo ter transado mais ou menos com uns 500 homens diferentes". "No meu caso, para dizer a verdade, se pudesse escolher livremente, o que eu queria mesmo não era um "homem" e sim um meninão. Um "efebo" do tipo daqueles que os nobres da Grécia antiga diziam que era a coisa mais fofa e gostosa para se amar e (...) "Queria que esse meu príncipezinho encantado fosse apaixonado pela vida, interessado em aprender comigo tudo o que de melhor eu mesmo aprendi nestes 50 e poucos anos de caminhada. Que gostasse de me ouvir, que se encantasse com tudo que sei fazer (desde pudim de leite e construir uma estante de madeira, a cuidar do jardim e navegar na internet), querendo tudo aprender para me superar em todas minhas limitações. Que acordasse de manhã com um sorriso lindo, me chamando de painho, que me fizesse massagem quando a dor na perna atacar. Honesto, carinhoso, alegre e amigo. Que me respondesse sempre ao primeiro chamado, contente de ser minha cara metade. Quero um moleque fogoso (...) "Assim é como imagino meu moleque ideal: pode ser machudinho, parrudo, metido a bofe. Pode ser levemente efeminado, manhoso, delicado. Traço os dois! (...)" "Ah, meu menino lindo! Se você existir, se você algum dia me aparecer, que seja logo, pois quero estar ainda com tudo em cima e dar conta do recado, pois do jeito que quero te amar e que vamos foder, vou precisar de muito mocotó ou viagra para dar conta do rojão.... Meu Moleque Ideal http://br.geocities.com/luizmottbr/cronica6.html" (...)" "Se as minhas pesquisas acadêmicas provam e os meus dados científicos demonstram que..."No útero o bebê já tem ereção e a libido infantil é aceita por todos, logo... As leis devem ser mudadas para que crianças e adolescentes sejam totalmente livres, até para escolher um adulto como parceiro afetivo e sexual Afinal... Estudos comprovam que ainda no útero o bebê já tem ereção e a teoria de Freud sobre a libido infantil hoje é aceita por todos... O princípio secularmente imposto pelo cristianismo de que o sexo só é permitido após a bênção nupcial, fere um direito humano fundamental, inclusive dos jovens e adolescentes: o direito ao exercício de sua sexualidade e respeito à sua livre orientação sexual. Direito inclusive que têm os jovens em escolher eventualmente um adulto como seu parceiro afetivo e sexual"... "que nossas leis sejam mudadas e sobretudo, que se mudem as mentalidades (...) daqueles que, sob a desculpa de proteger a inocência dos mais jovens, negam o direito inalienável das crianças e adolescentes de terem respeitadas sua livre orientação sexual e sua liberdade sexual". "Estudos antropológicos, acerca do comportamento das tribos em Papua (Nova Guiné) e nas ilhas da Melanésia, fornecem dados que evidenciam a atividade homoerótica, com graus de diferenciação, mas pautadas num mesmo princípio: de modo geral, acreditava-se que os meninos não produziam seu esperma naturalmente, daí, surgia a necessidade de inseminá-los aos primeiros sinais de puberdade, num processo de transição da infância para vida adulta". "Ao término da infância, todo menino era separado da mãe e retirado da casa das mulheres para dormir na casa dos homens, cabia ao tio materno a penetração anal, pelo período aproximado de três anos, assim, o esperma seria fornecido à criança, juntamente com suas propriedades de força e coragem necessárias à vida adulta". "Na Nova Guiné, entre os baruia, o sexo oral entre os homens de diferentes gerações e status é uma regra social e culturalmente aceita: nesse grupo cultural existe a crença de que a energia vital é transmitida pelo esperma, assim, os homens mais novos e as mulheres devem ser alimentados pelos homens mais velhos com essa energia"... "uma educação diferenciada... poderá fazer desabrochar em todo o menino, o seu lado feminino e em toda menina, o seu lado masculino. Afinal, as crianças nascem para serem felizes...". fonte: Guia de Prevenção das DST/Aids e Cidadania para Homossexuais organizadora: Lilia Rossi Ministério da Saúde Secretaria de Políticas de Saúde Coordenação Nacional de DST e Aids Setembro 2002.
http://www.aids.gov.br/data/documents/storedDocuments/%7BB8EF5DAF-23AE-4891-AD36-1903553A3174%7D/%7BBDD340E2-7A14-4210-B4B9-DD5E8522C088%7D/guia_prevencao_dst_aids_cidadania_homossexuais.pdf
"PEDÓFILOS ASSASSINOS E DIVERSIDADE SEXUAL é o título das mensagens escolhido por Leo Mendes e defendido por Luiz Mott nos seguintes termos: "Creio que Leo, sempre tão arguto e "agent provocateur", quiz chamar a atenção para tal polemica ao associar diversidade sexual a pedofilia - que no meu entender, é perfeitamente associável, pois diferentemetne de ORIENTAÇÃO SEXUAL, que inclui apenas Homo, Hetero e Bissexualidade, a Diversidade e a Livre Expressão sexual incluem todas manifestações libidionosas, inclusive as anti-sociais e ilegais.""http://www.google.com/search?q=meninos+emasculados+parana+&rls=com.microsoft:pt-br:IE-SearchBox&ie=UTF-8&oe=UTF-8&sourceid=ie7&rlz=1I7GGLG "Esta troca de e-mail aconteceu em maio/abril-2004, de fato, pode-se observar que os termos diversidade e livre expressão sexual passaram a ser mais amplamente utilizados pelo movimento homossexual desde então.
A seguir trechos de e-mail trocados entre Luiz Mott, Leo Mendes e Regina Facchini: DIVERSIDADE SEXUAL - PEDÓFILO ASSASSINOhttp://archives.lists.indymedia.org/cmi-mulheres/2004-April/001006.html Assunto: Re: Re: DIVERSIDADE SEXUAL - PEDÓFILO ASSASSINO p/ MOTT e demais [Cmi-mulheres] repassando (que não deve ser repassada) discussão - feminismo, diversidade sexual isadoralins em riseup.net isadoralins em riseup.net Sexta Abril 30 20:46:08 PDT 2004 Mensagem anterior: [Cmi-mulheres] repassando discussao - feminismo, diversidade sexual Mensagens classificadas por: [ date ] [ thread ] [ subject ] [ author ] >Gente, Achei tao interessante a discussao q repassei pra cah meio sem pensar. >Agora acho q posso ter feito algo nao muito legal, pq tirei uma discussao do seu contexto, q as pessoas escreveram pra uma outra lista e taquei aqui. Peço encarecidamente que nao repassem por ai. Beijos,Isa. >Estou repassando uma msg da lista gls pra cá. É uma discussão muito boa e ilustrativa dos mais recentes embates dentro do movto. homossexual e feminsita, e acho que o jargão acadêmico tah traduzidinho o suficiente. >--- Em listagls em yahoogrupos.com.br, Luiz Mott Regina, como vai querida? >otimo teu questionamento, pois assim voce poderia iniciar uma discussão teórica, >já que és mestra em antropologia, a respeito do termo DIVERSIDADE SEXUAL. >Sugiro também que, se quiseres e puderes, faça o papel de advogada de defesa do termo >LIVRE EXPRESSÃO SEXUAL pois, diferentemetne de ORIENTAÇÃO SEXUAL, que inclui >apenas Homo, Hetero e Bissexualidade, a Diversidade e a Livre Expressão sexual >incluem todas manifestações libidionosas, inclusive as anti-sociais e ilegais. >Estou aberto a discussão e, dialeticamente, a mudar de ponto de vista, desde que os >argumentos sejam sólidos e convincentes, de preferencia, com embasamento bibliográfico. >Está lançada a sugestão. Conto contigo".
O Dr. Eliézer, encerra a denúncia assim: "Espero que o MPF, do meu ponto de vista, último bastião na defesa da sociedade, não faça vistas grossas a tal apologia e desfaçatez. Nada de preconceito contra os homossexuais; mas o tema refoge do âmbito do homossexualismo e descamba mesmo para a apologia da pedofilia e daí é necessário a intervenção Estatal. Espero que não deixem passar batido. Obrigado. Eliézer".
Resposta do Procurador da República da Bahia:
"Eliézer já determinei a imediata instauração de Procedimento Administrativo para investigar e retirar o site, assim como representação para abertura de Inquérito Policial contra os responsáveis. Muito grato. SIDNEY MADRUGA Procurador Regional dos Direitos do Cidadão Procurador da República Ministério Público Federal – Bahia".
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...