quarta-feira, 30 de maio de 2012

Alerta! Golpe contra a Soberania do Brasil a caminho: ONU comunista recomenda fim da Polícia Militar.


O Conselho de Direitos Humanos da ONU pediu nesta quarta-feira (30/05) ao Brasil maiores esforços para combater a atividade dos "esquadrões da morte" e que trabalhe para suprimir a Polícia Militar, acusada de numerosas execuções extrajudiciais.
Esta é uma de 170 recomendações que os membros do Conselho de Direitos Humanos aprovaram hoje como parte do relatório elaborado pelo Grupo de Trabalho sobre o Exame Periódico Universal (EPU) do Brasil, uma avaliação à qual se submetem todos os países.
A recomendação em favor da supressão da PM foi obra da Dinamarca, que pede a abolição do "sistema separado de Polícia Militar, aplicando medidas mais eficazes (...) para reduzir a incidência de execuções extrajudiciais".

Já a Espanha solicitou a "revisão dos programas de formação em direitos humanos para as forças de segurança, insistindo no uso da força de acordo com os critérios de necessidade e de proporcionalidade, e pondo fim às execuções extrajudiciais".A Coreia do Sul falou diretamente de "esquadrões da morte" e Austrália sugeriu a Brasília que outros governos estaduais "considerem aplicar programas similares aos da Unidade de Polícia Pacificadora (UPP) criada no Rio de Janeiro".
O relatório destaca a importância de que o Brasil garanta que todos os crimes cometidos por agentes da ordem sejam investigados de maneira independente e que se combata a impunidade dos crimes cometidos contra juízes e ativistas de direitos humanos.
O Paraguai recomendou ao país "seguir trabalhando no fortalecimento do processo de busca da verdade" e a Argentina quer novos "esforços para garantir o direito à verdade às vítimas de graves violações dos direitos humanos e a suas famílias".
A França, por sua parte, quer garantias para que "a Comissão da Verdade criada em novembro de 2011 seja provida dos recursos necessários para reconhecer o direito das vítimas à justiça".
Muitas das delegações que participaram do exame ao Brasil concordaram também nas recomendações em favor de uma melhoria das condições penitenciárias, sobretudo no caso das mulheres, que são vítimas de novos abusos quando estão presas.
Neste sentido, recomendaram "reformar o sistema penitenciário para reduzir o nível de superlotação e melhorar as condições de vida das pessoas privadas de liberdade".
Olhando mais adiante, o Canadá pediu garantias para que a reestruturação urbana visando à Copa do Mundo de 2014 e aos Jogos Olímpicos de 2016 "seja devidamente regulada para prevenir deslocamentos e despejos". EFE

NÃO SOU NEM NEGRO, NEM ÍNDIO, NEM GAY, NEM ASSALTANTE, NEM GUERRILLHEIRO, NEM INVASOR. Como Faço??


Sou Branco, honesto, contribuinte, eleitor, hetero…Para quê???
Ives Gandra da Silva Martins*

Hoje, tenho eu a impressão de que o “cidadão comum e branco” é agressivamente discriminado pelas autoridades e pela legislação infraconstitucional, a favor de outros cidadãos, desde que sejam índios, afrodescendentes, homossexuais ou se autodeclarem pertencentes a minorias submetidas a possíveis preconceitos.

Assim é que, se um branco, um índio e um afrodescendente tiverem a mesma nota em um vestibular, pouco acima da linha de corte para ingresso nas Universidades e as vagas forem limitadas, o branco será excluído, de imediato, a favor de um deles! Em igualdade de condições, o branco é um cidadão inferior e deve ser discriminado, apesar da Lei Maior.

Os índios, que, pela Constituição (art. 231), só deveriam ter direito às terras que ocupassem em 5 de outubro de 1988, por lei infraconstitucional passaram a ter direito a terras que ocuparam no passado. Menos de meio milhão de índios brasileiros – não contando os argentinos, bolivianos, paraguaios, uruguaios que pretendem ser beneficiados também – passaram a ser donos de 15% do território nacional, enquanto os outros 185 milhões de habitantes dispõem apenas de 85% dele.. Nessa exegese equivocada da Lei Suprema, todos os brasileiros não-índios foram discriminados.

Aos ‘quilombolas’, que deveriam ser apenas os descendentes dos participantes de quilombos, e não os afrodescendentes, em geral, que vivem em torno daquelas antigas comunidades, tem sido destinada, também, parcela de território consideravelmente maior do que a Constituição permite (art. 68 ADCT), em clara discriminação ao cidadão que não se enquadra nesse conceito.

Os homossexuais obtiveram do Presidente Lula e da Ministra Dilma Roussef o direito de ter um congresso financiado por dinheiro público, para realçar as suas tendências – algo que um cidadão comum jamais conseguiria!

Os invasores de terras, que violentam, diariamente, a Constituição, vão passar a ter aposentadoria, num reconhecimento explícito de que o governo considera, mais que legítima, meritória a conduta consistente em agredir o direito. Trata-se de clara discriminação em relação ao cidadão comum, desempregado, que não tem esse ‘privilégio’, porque cumpre a lei.

Desertores, assaltantes de bancos e assassinos, que, no passado, participaram da guerrilha, garantem a seus descendentes polpudas indenizações, pagas pelos contribuintes brasileiros. Está, hoje, em torno de 4 bilhões de reais o que é retirado dos pagadores de tributos para ‘ressarcir’ aqueles que resolveram pegar em armas contra o governo militar ou se disseram perseguidos.

E são tantas as discriminações, que é de perguntar: de que vale o inciso IV do art. 3º da Lei Suprema?

Como modesto advogado, cidadão comum e branco, sinto-me discriminado e cada vez com menos espaço, nesta terra de castas e privilégios.

( *Ives Gandra da Silva Martins é renomado professor emérito das universidades Mackenzie e UNIFMU e da Escola de Comando e Estado do Exército e presidente do Conselho de Estudos Jurídicos da Federação do Comércio do Estado de São Paulo ).
Para os que desconhecem este é o :

Inciso IV do art. 3° da CF a que se refere o Dr. Ives Granda, em sua íntegra:

“promover o bem de todos, sem preconceito de origem, raça, sexo, cor, idade e quaisquer outras formas de discriminação.”

Assim, volta a ser atual, ou melhor nunca deixou de ser atual, a constatação do grande Rui Barbosa:

“De tanto ver triunfar as nulidades, de tanto ver prosperar a desonra, de tanto ver crescer a injustiça, de tanto ver agigantarem-se os poderes nas mãos dos maus, o homem chega a desanimar da virtude, a rir-se da honra, a ter vergonha de ser honesto”. (Senado Federal, RJ. Obras Completas, Rui Barbosa. v. 41, t. 3, 1914, p. 86)

Sucesso no Facebook (2525 Compartilhamentos), as Foto-Montagens do Capelão Ricardo Ribeiro foram motivos para o Sistema Pró-Gay bloqueá-lo.



terça-feira, 29 de maio de 2012

Zoofilía mata! Mulher morre após sexo com cão.


Enviado por Fernando Moreira - 
12.07.2011
 | 
17h13m
IRLANDA

Mulher sofre crise alérgica durante sexo e morre

Uma mulher de 43 anos morreu ao sofrer terrível reação alérgica durante uma relação sexual... Com um cachorro! O caso aconteceu em Limerick(Irlanda). A vítima, que deixou quatro filhos, teve forte reação ao sêmen do animal, noticiou o "Irish Daily Star". 

A morte aconteceu em 2008, mas só agora os peritos e os investigadores chegaram a uma conclusão sobre a causa da morte inusitada. 

De acordo com uma fonte ligada ao caso, a mulherconseguiu o pastor alemão após conhecer um homem em uma sala de bate-papo na internet. A vítima seria visitante contumaz de sites sobre bestialidades

O cão foi posto em quarentena desde a morte.


Fonte: O Globo

Uma Ilha particular num navio para a Elite - Prazer para alguns, sofrer para a maioria. Por isso disse o Mestre: "O mundo jaz no Maligno."



Este projeto ousado consiste em um navio com 
cara de ilha particular com direito a palmeiras, 
bangalôs em volta da piscina e até mesmo uma 
imitação de vulcão no fundo.

Realmente é um verdadeiro paraíso flutuante!

Drogas Pró-Homossexuais causam alteração física de Heterossexuais. Cuidado com as Campanhas de Saúde do PT Pró-LGBT.


Homens na Tanzânia desenvolvem seios após tomarem remédio anti-Aids

Alguns homens que moram em vilarejos na Tanzânia que tomaram drogas antirretrovirais para tratar da Aids estão vivendo uma situação insólita: desenvolveram seios!
(Reprodução)
Uma das vítimas, Joseph Mkanda (foto), de 43 anos, disse que, inicialmente, pensara que os seios fossem resultado de ausência de uma dieta balanceada. Mas logo percebeu que tinham relação com os medicamentos.
"Eu tenho muita vergonha de sair de casa, porque desenvolvi seios como uma mulher. Tenho medo que as pessoas riam de mim. Fui a um médico e ele me disse que esses sinais são normais em pessoas que tomam medicamentos durante muito tempo. Não sei o que fazer e aonde ir", disse ele, segundo o site "Africa News".

Tá reclamando do ônibus ou do metrô lotado?


(Imagens: Reproduções - Google imagens)

Marta Suplicy e Ativistas Gays, PhDs em Desonestidade: Substituiram o Congresso Nacional por meia dúzia de Juristas Pró-Homossexualismo.


Título original: Modo sorrateiro de criminalizar a “homofobia”



Há vários anos a esquerda procura aprovar no Congresso um projeto da senadora Marta Suplicy criminalizando os chamados “homofóbicos” – palavra talismã, difundida pela mídia para designar de modo pejorativo quem não concorda com as práticas homossexuais.
Mas não está fácil conseguir essa aprovação. Por quê? Simplesmente porque os congressistas têm o bom senso de não querer se indispor com a maioria da população brasileira, avessa à agenda homossexual.
A própria Marta Suplicy reconheceu que muito parlamentar “não se posiciona [a favor de seu projeto] por receio de desagradar eleitores” (Agência Estado, 15-5-2012).
Acontece que o lobby homossexual está pouco ligando para o que os brasileiros querem ou não querem. Está no programa deles aprovar leis “anti-homofóbicas” – e não só no Brasil, diga-se de passagem – de qualquer jeito.
E como não estão conseguindo fazê-lo, pelo menos por enquanto, através do Congresso, seus objetivos estão tendo um começo de realização, de modo oblíquo, através do anteprojeto de Código Penal. O mesmo anteprojeto que está servindo de instrumento para estender absurdamente as possibilidades de aborto, agora se volta para criminalizar a homofobia.
Na Folha online (25-5-2012), informa a repórter Nádia Guerlenda: “Comissão aprova criminalização da homofobia no novo Código Penal. A comissão de juristas que discute a reforma do Código Penal no Senado aprovou nesta sexta-feira a proposta que criminaliza o preconceito contra gays, transexuais e transgêneros (…) Quem for acusado dos crimes de preconceito pode ser processado a qualquer tempo e, preso provisoriamente, não pode ser solto após pagar fiança.” A pena prevista “vai de dois a cinco anos de prisão”.
Evidentemente, esse novo “crime” ainda precisa ser aprovado pelo Congresso Nacional, mas será mais fácil à esquerda conseguir sua aprovação dentro do “pacote” do anteprojeto, em meio a centenas de outros dispositivos, do que isoladamente. Como passa-moleque para não chamar a atenção da população não está mal pensado!
Não contentes com isso, no mesmo anteprojeto a homofobia foi também incluída entre as agravantes de crimes: “A comissão de juristas que discute a reforma do Código Penal no Senado aprovou incluir a homofobia, o racismo e outras formas de preconceito como agravantes de crimes de homicídio, lesão corporal e injúria. Segundo o texto, quem matar, bater ou ofender a dignidade de alguém motivado por preconceitos terá uma pena maior do que alguém que agir sem uma razão específica. Em caso de um assassinato provocado por preconceito, a pena prevista para o criminoso ficará entre 12 e 30 anos. O homicídio comum tem pena de 6 a 20 anos.” (Folha de S. Paulo, 25-5-2012). O texto refere-se ainda a outras formas de discriminação, de que não cabe aqui tratar.
Será preciso que todas as forças vivas da Nação se mobilizem para lutar contra a aprovação de medidas tão anti-naturais, e tão contrárias aos princípios religiosos da grande maioria da população.
Se aprovados tais dispositivos, todos estarão sujeitos à férula da nova lei: “O texto determina alguns comportamentos que serão considerados crimes, caso sejam motivados por preconceito. Entre eles estão impedir o acesso de alguém em transporte público, estabelecimento comercial ou instituição de ensino e a recusa de atendimento em restaurante, hotel ou clube. A proposta também criminaliza o ato de impedir o acesso a cargo público ou a uma vaga em empresa privada, e demitir ou exonerar alguém injustificadamente, baseado no preconceito.”
Alertar para o que está vindo sobre a Nação, eis um dever de todo brasileiro de fibra e bons princípios.

segunda-feira, 28 de maio de 2012

Senadores Magno Malta e Crivela não compareceram a Comissão que aprovou Casamento Gay no Senado. E Malta ainda apoiará Xuxa na luta contra a Pedofilia. É mole?





Senadores evangélicos se omitiram na votação que aprovou o casamento gay na Comissão de Direitos HumanosNa última quinta feira (24) foi aprovada na Comissão de Direitos Humanos (CDH) do Senado o Projeto de Lei 612/2011, que altera o Código Civil brasileiro e reconhece a legalidade da união estável entre homossexuais. No dia da votação que aprovou esse projeto, os dois senadores evangélicos que integram a comissão não compareceram.
O projeto, de autoria da senadora Marta Suplicy (PT/SP), altera os artigos 1.723 e 1.726 do Código Civil, de forma a permitir que casais homossexuais que vivem em união estável poderão solicitar o registro civil de casamento, e não apenas de união civil entre homossexuais.
A CDH tem entre seus integrantes os senadores evangélicos Magno Malta (PR/ES) e Eduardo Lopes (PRB/RJ), que é substituto do senador Crivella que se afastou para assumir o Ministério da Pesca. Porém os senadores não compareceram e votação e, segundo o holofote.net, também não informaram a seus eleitores sobre a possibilidade de aprovação da lei na comissão.
Entre os senadores que votaram a favor do projeto estava Eduardo Amorim, do Partido Social Cristão. Amorim não é integrante da bancada evangélica, mas faz parte de um partido que defende como bandeira o modelo de família defendido na Bíblia.
Diante da aprovação da lei o Deputado Marco Feliciano se manifestou no Twitter afirmando que iria divulgar os nomes dos parlamentares que votaram a favor do projeto, para que a população pudesse se manifestar.
Fonte: Gospel+

Sucuri = PLC 122: Defensor Pró-Família não tem medo de enfrentá-la e as covardias de Marta Suplicy.


Até Jô Soares é contra PLC 122 e Advogada LGBT e Ex-Desembargadora que defende o projeto já teve 5 maridos e diz que temos que saber "Amar".


O passado pedófilo de Xuxa atrapalha sua campanha e da Globo contra a Pedofilíia


28 de maio de 2012

Fantástico na luta contra a pedofilia?


Fantástico na luta contra a pedofilia?

Ibope de declaração de coelhinha dos baixinhos estimula Globo em campanha hipócrita

Julio Severo
Aproveitando o embalo da declaração de Xuxa, que posou de vítima de abuso sexual (se esquecendo de seu longo passado onde ela mesma erotizou milhares de crianças e ainda fez papel de destaque em filme pornográfico que a retrata seduzindo, totalmente nua, um menino de 12 anos), o Fantástico da Globo, em seu programa de 27 de maio, ensinou sua audiência a denunciar os casos de abuso sexual.
Se fossem honestos, deveriam ter dito: “Em primeiro lugar, parem de ver as novelas e filmes obscenos da Globo. Enfim, removam a Globo e a TV de seus lares!” Mas essa seria uma reação muito suave. A reação certa exige denúncia. Quem então denunciará a Globo?
A Rede Globo, com a cumplicidade de Xuxa entre muitos outros, passou décadas erotizando e sexualizando as crianças do Brasil, preparando-as para um sexo muito, muito antes do tempo e de um compromisso de casamento. E agora aparece toda essa turma posando de heróis e santos? Agora a merecedora de denúncias quer ensinar o povo brasileiro a denunciar outros?
Xuxa com um “baixinho” de 12 anos antes de se tornar a rainha dos baixinhos
A emissora erotizadora de crianças nunca viu nada de errado no histórico daquela que era a coelhinha do Pele, depois se tornou coelhinha daPlayboy e no final coelhinha dos baixinhos. Agora a coelhinha resolveu virar vítima com perda de memória das inúmeras crianças vítimas de suas coelhices erotizadoras.
Igualmente aproveitando o embalo do Ibope da rainha da erotização dos baixinhos, o senador Magno Malta já convocou Xuxa para depor na CPI da Pedofilia. Por que não? Ele poderia também convocar a Globo, a revista Playboy, etc.
E uma raposa esperta poderia ser convidada para entrar no galinheiro e ensinar as senhoras galinhas como se proteger das raposas.
Faz sentido, não?
Dá até para imaginar Stálin sendo convocado para uma campanha anticomunista e Hitler para uma campanha antinazista!
Antes de se tornar coelhinha dos baixinhos, Xuxa como coelhinha da Playboy
Não se assustem se a própria revista Playboy entrar na campanha contra a pedofilia, convidando Xuxa para posar nua novamente em sua capa, talvez junto com Malta. Tudo por “amor às crianças”. A nudez envelhecida deles, e da senhora Globo, não produzirá nenhuma atração, mas sua hipocrisia tem feito muito sucesso.
A hipocrisia deles é realmente fantástica!

domingo, 27 de maio de 2012

Sonhei com o Presidente da CGADB, Pr. José Wellington, sendo preso. No pesadelo as algemas que ele usava tinham um nome: OMISSÃO. Ao acordar abri a Internet e li a notícia que segue...


Reforma do Código Penal indica que homofobia deve virar crime Projeto amplia casos de discriminação passíveis de processo e bancada evangélica protesta
Reforma do Código Penal indica que homofobia deve virar crime
Nesta semana, duas notícias mudaram o entendimento que o Brasil pode ter do casamento de homossexuais. Primeiro, a Comissão de Direitos Humanos do Senado aprovou na quinta-feira (24) o projeto, que na prática, reforça o reconhecimento legal da união estável de pessoas do mesmo sexo.
Isso mudaria o artigo 1.723 do Código Civil, o qual exige que a relação seja entre um homem e uma mulher. Além disso, permite que essa união seja transformada em casamento civil. O material ainda precisa ser analisado pela Comissão de Constituição e Justiça (CCJ). Se aprovada, segue direto à Câmara dos Deputados.
“Convém ressaltar que o projeto dispõe somente sobre a união estável e o casamento civil, sem qualquer impacto sobre o casamento religioso”, ressaltou a senadora Lídice da Mata (PSB-BA), relatora da matéria.
Mesmo assim, a bancada evangélica já avisou que vai fazer de tudo para impedir sua aprovação.  Alguns deputados manifestaram-se publicamente, como o pastor Marco Feliciano, que resumiu “a Senadora Marta Suplicy mais uma vez a frente com esse assunto, fazendo de tudo pela militância LGBT”.
Além disso, a comissão de juristas do Senado responsável por propor o novo Código Penal pretende tornar crime a homofobia.
Se aprovado, quem praticar discriminação ou preconceito por questão de gênero, identidade, orientação sexual ou procedência regional poderá ser processado. Tal conduta será considerada imprescritível (o discriminado pode processar a qualquer momento), inafiançável e não passível de perdão ou indulto.
A pena seria a mesma aplicada hoje para crimes de racismo, de dois a cinco anos de prisão. Ela poderia ser aumentada em um terço caso a discriminação tenha sido cometida contra menores de idade.
Gilson Dipp, presidente da comissão e ministro do Superior Tribunal de Justiça (STJ), considerou a proposta aprovada um avanço. “Estamos ampliando qualquer figura discriminatória, dando cumprimento à Constituição e atualizando a lei já existente”, afirma.
As condutas que seriam consideradas discriminatórias são: impedir o acesso de alguém, devidamente habilitado, a uma repartição pública ou privada, assim como a promoção funcional. O crime também estaria configurado se a discriminação ocorrer em meios de comunicação e na internet.
A comissão já havia aprovado proposta para criar a figura da injúria qualificada, que prevê pena de até 3 anos de prisão e multa para quem faz referência ofensiva por motivo de raça, cor, etnia, sexo ou orientação sexual ou identidade de gênero, idade, deficiência, condição física ou social, religião ou origem. Essa figura não existe no Código atual.
A comissão tinha prazo até o fim do mês para entregar o anteprojeto ao presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP). Contudo, os trabalhos foram prorrogados até 25 de junho.
Com informações Estadão
Fonte; Gospelprime

Perseguição Gay se amplia: Google, Facebook e Apple estão censurando material cristão “Discurso do ódio” tem sido a justificativa mais comum para retirar do ar material religioso.



Google, Facebook e Apple estão censurando material cristão
Um estudo apresentado pela associação de comunicadores cristãos, National Religious Broadcasters (NRB), sediada nos Estados Unidos, aponta que existe uma tendência crescente a censurar questões religiosas na internet, especialmente  em relação ao cristianismo.
O informe tem um nome complicado: “True Liberty in a New Media Age: An Examination of the Threat of Anti-Christian Censorship and Other Viewpoint Discrimination on New Media Platforms” [Liberdade Verdadeira numa Nova Era Midiática: Análise da Ameaça da Censura Anticristã e da Discriminação de outras opiniões nas Novas Plataformas]. Mas a conclusão é que há fortes indícios disso, principalmente nas empresas Google, Apple, Facebook e Twitter.
A parte final mostra preocupação com os grandes grupos que hoje dominam a internet: “Nossa conclusão é de que as ideias e outros conteúdos religiosos cristãos enfrentam um perigo claro de censura nas plataformas de comunicação baseadas na rede”. Afinal, algumas empresas já proibiram abertamente conteúdo cristão, enquanto outras estabeleceram diretrizes que podem levar à censura. Veja os destaques:
A Apple já bloqueou vários aplicativos de conteúdo cristão na loja iTunes.  A primeira vez foi em março de 2011, quando censurou o material da Exodus International, ministério que se dedica a ajudar homossexuais a mudar seu estilo de vida. A empresa de Steve Jobs considerou o material ofensivo e disse que “violava suas diretrizes”.
Em julho de 2011, a Apple retirou da loja iTunes o material da Christian Values Network, portal que financia organizações de caridade. O motivo seria as reclamações recebidas de que algumas organizações assistenciais tinham posturas fundamentalistas e se posicionavam contra os direitos dos homossexuais.
O estudo conclui que a chamada “política de conduta da Apple” não usa os mesmos critérios quando se trata de humor ou comentários políticos, que desfrutam de privilégios mesmo que possam ofender determinados grupos.  Existem mais de 420 mil aplicativos e apenas os cristãos foram censurados.
Segundo o relatório, o site de buscas do Google se negou a veicular um do Christian Institute, justificando que tem “a política de não permitir publicidade relacionando a aborto e religião”.
O Christian Institute processou a empresa, porém, o Google ainda bloqueia qualquer anúncio que contenha frases como “o aborto é assassinato” ou similares.
Existem produtos e promoções que não são oferecidos a igrejas, grupos religiosos ou organizações que levem em consideração a religião ou orientação sexual ao contratar seus empregados. Além disso, a NRB afirma que quando operou na China com uma versão local, o Google mostrou concordância em cooperar com o governo para bloquear listas de palavras relacionadas com grupos religiosos.
O informe da NRB cita ainda o que disse Scott Cleland, ex-subsecretário adjunto norte-americano para Políticas de Informação e Comunicação. Segundo ele, “o Google rejeita os valores tradicionais judaico-cristãos”. Recentemente, dois ministérios evangélicos alegaram terem seus vídeos retirados do Youtube (que pertence ao Google) por exibirem “mensagem de ódio”. Na verdade, eram vídeos falando contra o aborto e o casamento gay.
“Na semana passada, o YouTube proibiu uma mensagem do rabino ortodoxo Yehuda Levin porque ele criticou o movimento pelos direitos dos gays”, disse Craig Parshall, vice-presidente da NRB. Novamente, a justificativa foi “discurso do ódio”.
Ainda segundo o informe, o Facebook proíbe “conteúdo religioso incitante e agendas político-religiosas” e também aplica censura, apagando comentários anti-homossexuais e mantem parcerias com organizações que promovem o estilo de vida LGBT.
O Twitter é quem possui o controle menos rígido, mas possui a  definições muito confusas do que consideram “discurso do ódio”, usando um filtro para que certos termos não entrem nos Trending Topics, assuntos mais comentados do momento.
Por fim, os provedores de serviços de internet Comcast, AT&T e Verizon também violam a liberdade de expressão e suas normas permitiriam censurar qualquer conteúdo cristão, afirma o estudo.
Traduzido e adaptado de CBN e Charisma News

Adeus Obama! Temendo derrota, Pastores negros apelam a Obama que mude de posição (!) em relação ao homossexualismo.


Segunda-feira, 21 de Maio de 2012

Pastores negros apelam a Obama que mude de posição (!) em relação ao homossexualismo

Mais de uma dúzia de pastores pertencentes à Coligação de Pastores Afro-Americanos ("Coalition of African American Pastors") reuniu-se em Memphis, Tenn., para falar contra o apoio de Obama ao "casamento" homossexual e para se opor ao "highjacking" que a comunidade LGBT fez ao movimento dos direitos civis.
O Rev. Robert Morris (New Jerusalem Church of God in Christ) afirmou:
O casamento [sic] entre pessoas do mesmo sexo é, na minha opinião, uma abominação perante Deus. É um pecado perante Deus. (...) Não vejo como é que alguém pode comparar isso aos direitos civis.
O Reverendo não vê nem o vê qualquer pessoa com dois dedos de inteligência. O que é que uma escolha sexual auto-destrutiva como o homossexualismo tem em comum com movimentos que visaram dar término a restrições impostas a um grupo de pessoas devido à sua composição genética?
Memphis alberga a "Church of God in Christ", uma denominação predominantemente negra e com uma longa história na luta pelos direitos civis das minorias, especialmente os cidadãos negros do Sul que suportaram um tratamento de segunda classe. É também a cidade onde o Dr. Martin Luther King, Jr. foi assassinado em 1968.
O Rev. Bill Ownes, organizador do evento e um veterano do movimento dos direitos civis que chegou a marchar com o falecido Martin Luther King, afirmou:
O grupo de clérigos negros e líderes do movimento dos direitos civis afirma que é tempo de mudar a maré contra o sequestro a que foi alvo o movimento dos direitos civis. . . . . Uma pessoa com 50 anos de idade pode apenas ler acerca das lutas e dos protestos da era dos direitos civis, mas alguns de nós, mais velhos, ainda tem as cicatrizes das batalhas para o provar, e os direitos pelos quais batalhamos de forma tão dura não incluíam o casamento [sic] entre pessoas do mesmo sexo.
A coligação alega que "não há comparação legítima entre a cor da pele e o comportamento sexual."
Fonte: Homossexualismo

sábado, 26 de maio de 2012

Artista japonês cozinha os seus próprios órgãos sexuais e serve-os a clientes. Pelo andar da carruagem no Brasil, logo teremos "Restaurante" Canibal Gay inaugurado por Marta Suplicy e Jean Willys.


Sábado, 26 de Maio de 2012


Issei Segawa, famoso Canibal Japonês, matou uma linda jovem
Holandesa e a comeu.

Como forma de pagar os custos médicos e gerar atenção em torno das "minorias sexuais", artista japonês cozinhou e os seus próprios órgãos genitais, servindo-os posteriormente a 5 pessoas que voluntariamente pagaram para comer.
Depois de terem sido cirurgicamente removidos em Março último, os testículos e o pénis de Mao Sugiyama foram mantidos congelados até o dia em que foram temperados, refogados e servidos a clientes num evento que decorreu no dia 13 de Maio, segundo a polícia local e segundo posts na sua conta do Twitter.
As pessoas envolvidas no jantar pagaram 20,000 yen ($250 e €199,720) pelo prato com uma porção dos seus órgãos genitais. Fotografias publicadas num site parecem mostrar o prato totalmente decorado com cogumelos e enfeites de salsa.
O pintor, alegadamente com 22 anos de idade, declarou na sua conta do Twitter que o seu órgão havia sido removido por um médico e nenhuma infecção havia sido detectada posteriormente. A "refeição" foi preparada segundo a supervisão dum cozinheiro certificado e os pagantes assinaram um documento libertando Sugiyama e os organizadores do evento de qualquer responsabilidade indemnizatória.
Nos seus tweets do dia 18 de Maio, o artista afirmou que os seus passos foram dados de forma a estarem de acordo com as leis relevantes, incluindo a proibição da venda de órgãos, o processamento de despojos médicos e até requerimentos em torno saneamento dos alimentos.
No dia 16 de Maio ele disse:
Recebo questões de algumas mulheres e alguns homens a perguntar "Haverá próxima vez? Por favor, sê anfitrião dum evento igual." Mas só há um conjunto de órgãos sexuais masculinos. Infelizmente não tenho planos para uma próxima vez.
Sugiyama, que se vê como "assexual", isto é, sem qualquer género, pensou inicialmente em comer os genitais mas decidiu mais tarde solicitar clientes pagantes como forma de pagar as contas médicas em torno da cirurgia.
Num email dirigido à AFP, Sugiyam confirmou que o evento havia já decorrido e que o mesmo havia sido feito como forma de consciencializar as pessoas em torno das "minorias sexuais, dos x-géneros e das pessoas assexuais".
As forças policiais de Tóquio afirmaram estar a par do episódio mas afirmaram que o evento não violou qualquer lei local uma vez que o canibalismo não é ilegal no Japão. Oficial da estação policial de Suginami disse à AFP:
Estamos cientes do caso e não houve nada criminoso com o mesmo. Não viola qualquer lei detalhada e como tal não há qualquer tipo de base para levarmos a cabo qualquer tipo de acção.
Fonte - Via
* * * * * * * *
Esta criatura verdadeiramente pensa que a remoção dos seus órgãos genitais de alguma forma desconhecida da realidade altera a sua composição cromossómica. O que ele não sabe é que ser "macho" ou ser "fêmea" não é algo que possa ser alterado através da engenharia social - ou através duma intervenção médica - visto que ambas sãoimutavelmente determinados depois da fecundação.
A remoção do pénis masculino não altera a sua condição imutável de macho, tal como a remoção do órgão sexual feminino não altera a sua condição de fêmea. A remoção do cérebro é que pode causar mudanças mais sérias, mas isso já é outro assunto.
Há dois anos atrás este site "profetizou"
Depois do homossexualismo ter sido totalmente normalizado, acredito que o canibalismo e se juntará à necrofilia e à pedofilia como as novas fronteiras dos "direitos civis". Não gostas de nenhum deles? Então prepara-te para seres denunciado como um canibalfóbico.
Para onde iremos parar demos disso, só a Grande Serpente é que sabe.
Entretanto, ficamos ansiosamente à espera que os engenheiros sociais e os relativistas morais nos expliquem o porquê deste acto ser condenável - se é que eles acham que é.

Marta Suplicy e PLC 122: a volta da mentira


23 de maio de 2012

Marta Suplicy e PLC 122: a volta da mentira


Marta Suplicy e PLC 122: a volta da mentira

Por inspiração de Obama, senadora homossexualista quer de volta PLC 122 do jeito da senadora derrotada Fátima Cleide

Julio Severo
Cansada da resistência do povo brasileiro, mas animadíssima com o recente mau exemplo de Obama apoiando o “casamento” gay, a senadora petista Marta Suplicy tomou a decisão, em 15 de maio, de retomar o texto do PLC 122 que havia sido proposto pela ex-senadora Fátima Cleide, a antiga relatora do PLC 122 que foi facilmente derrotada em seu estado exatamente por defender o supremacismo gay.
PLC 122: Gaystapo ataca de novo
Com a derrota de Fátima nas eleições de 2010, o PLC 122 foi sepultado no Senado, sendo desenterrado em seguida por Suplicy, que esperava que seu ativismo radical pudesse dar para o projeto supremacista gay o avanço que Fátima nunca conseguiu dar. Suplicy tentou de tudo, até mesmo dar uma concessão especial para que padres e pastores não fossem punidos se pregassem contra o homossexualismo dentro de suas igrejas.
Marta reconheceu publicamente que o texto de Fátima, o qual agora ela está trazendo de volta, condenava à prisão toda pessoa que dissesse qualquer coisa contra o homossexualismo. Por isso, ela havia criado uma isenção, conforme ela disse neste vídeo:http://www.youtube.com/watch?v=jIOOE0n2V5g

Antes dessa generosa concessão, as velhas palavras do PT e Fátima Cleide garantiam ao povo brasileiro que o PLC 122 jamais traria nenhuma perseguição aos cristãos. O projeto, segundo eles, visava exclusivamente proteger gays inocentes de supostas turbas “homofóbicas” que patrulham as ruas do Brasil à procura de estranhos com trejeitos para assassinar.
Os evangélicos ficaram desconfiados com as garantias de Fátima e do PT. Afinal, em 2002 o candidato Lula havia se comprometido com líderes evangélicos tradicionais, pentecostais e neopentecostais que seu futuro governo jamais promoveria o aborto e o homossexualismo. Mas o governo dele foi exatamente o contrário do que ele prometeu. (Alguém, com certeza, deve ter se gabado nos bastidores: “Enganei um monte de bobo na casca do ovo!”)
A desconfiança dos evangélicos com as promessas de Fátima produziu uma campanha de igrejas para derrotar a reeleição dela. Mas eis que vem como substituta Marta Suplicy, considerada a rainha dos gays.

Livro “O Movimento Homossexual”

Só não conhece Suplicy quem não quer. Ela já vinha sendo denunciada desde meu livro “O Movimento Homossexual”, publicado pela Editora Betânia em 1998. Ela é uma antiga defensora de toda prática sexual anormal, tendo sido treinada, nas décadas de 1960 e 1970, em universidades dos Estados Unidos. Ninguém no mundo consegue formar melhor um PhD em depravação do que uma grande universidade americana.
Obama: inspiração para Marta Suplicy e supremacistas gays do mundo inteiro
A motivação de Marta está muito longe de preocupações com homossexuais. Anos atrás, vendo que estava perdendo a eleição para a prefeitura de São Paulo, ela insinuou, na propaganda de sua campanha, que o candidato opositor era homossexual. Foi uma jogada estratégica: sabendo que a população é em grande parte contra o homossexualismo, Marta se aproveitou e tentou tirar a força o outro candidato do armário, a fim de que o povo reagisse contra ele e a favor dela.
Em seu oportunismo, Suplicy não hesitou em usar sua máquina de propaganda política para fazer bullying e perseguição contra um homossexual, fazendo de tudo para puxar o tapete dele.
Se a defesa dela da agenda gay não é movida por amor aos homossexuais, então qual é a motivação? Como esquerdista, Marta crê na “luta de classes”, conceito de Karl Marx para provocar uma revolução na sociedade que, no fim, traga a ditadura comunista.
Tendo essa ideologia como princípio de vida, é missão de Marta e outros esquerdistas fortalecer determinadas classes e categorias, dando-lhes poder para entrar em choque especialmente com os padrões morais da sociedade, a fim de produzir o caos social, que será a desculpa perfeita para a implantação de um feroz controle tirânico sobre todos os cidadãos.
A volta de Marta ao PLC 122 de Fátima Cleide nada mais é do que a volta ao projeto do caos e da mentira. Ouviremos novamente a ladainha, dita um milhão de vezes por Fátima, de que o PLC 122 não trará perseguição aos cristãos.
Marta Suplicy quer PLC 122 do jeito que Fátima Cleide havia proposto
Contrariando essa ladainha toda, passei anos alertando contra o PLC 122 e seus perigos. A grande mídia, como sempre, deixava suas audiências no escuro da desinformação e até mesmo da flagrante mentira. Mas com meu blog e com meu livro, fiz minha parte para conscientizar o povo.
Minha luta recebeu atenção internacional, dando-me a oportunidade de dar entrevistas para veículos de comunicação dos EUA e Canadá.
Enquanto isso, no Brasil jornais e revistas evangélicos, em grande parte nas mãos de esquerdistas, tentavam lidar com o PLC 122 de forma “imparcial”, respeitando a palavra de Fátima Cleide de que o projeto supremacista gay não representava ameaça aos cristãos.

“Moinhos de vento”

Crendo obviamente nessa palavra, numa entrevista carregada de deboches a revista Cristianismo Hoje me apontou como um “daqueles crentes quixotescos, disposto a lutar contra moinhos que talvez só ele consiga enxergar”.
A ameaça do PLC 122, que hoje é corretamente entendida como um perigo grave, foi tratada, em 2009, como mera ilusão ou até mesmo paranoia pela revista Cristianismo Hoje. Outras mídias evangélicas, como o tabloide sensacionalista Genizah, tratam os opositores do PLC 122 quase como doentes mentais. Essa atitude progressista lhes rende elogios e aplausos dos ativistas gays.
Mais recentemente, Danilo Fernandes, o dono do Genizah cuja ficha corrida está realmente crivada de escândalos judiciais, entrevistou Caio Fábio na revista Cristianismo Hoje. (O nome oficial completo do Danilo consta aqui.) A entrevista não dispensou deboche algum a ele, que foi tratado como um homem que, depois de sofrer inocentemente e ser “martirizado”, é elevado a sublimes alturas celestiais reservadas a um número restrito de santos esotéricos.
A única verdade importante que se aproveitou da entrevista foi Caio reconhecer, ainda que lamentando, que o explosivo crescimento das igrejas neopentecostais na década de 1980 atrapalhou a união das outras igrejas que estava acontecendo em torno da Teologia da Missão Integral (TMI) — que é, nas palavras de Ariovaldo Ramos, a vertente protestante da Teologia da Libertação.
Geralmente, os adeptos da TMI têm uma visão esquerdista da luta contra o PLC 122. A visão deles se traduz em apatia ou deboches, queCristianismo Hoje e Genizah fazem muito bem, em sua perfeita comunhão espiritual e ideológica. Para eles, a ameaça do PLC 122 é pura suposição ou “moinhos de vento” na cabeça de alucinados. Os não alucinados, para eles, são os que têm a TMI na cabeça.
Cristianismo Hoje e Genizah nunca insinuaram que Marta Suplicy, Fátima Cleide, Lula, Dilma Rousseff e o PT são um bando de alucinados ou têm a mente cheia de moinhos de vento. Pelo contrário, Lula, Dilma, Obama e seus descarados apoiadores evangélicos foram muitas vezes celebrados em suas páginas. Qualquer mídia evangélica que festeje tais criaturas fatalmente debochará de genuínos seguidores de Jesus Cristo.
Quando iniciei a luta contra o PLC 122 no meio evangélico, a grande mídia evangélica, encharcada até a alma com a TMI, só enxergava o lado mais positivo que Fátima Cleide apresentava. Eu vi o lado realista, que por acaso era sombrio e negativo. Essa não foi a primeira vez que vi perigos que muitos não viam. Quando meu livro “O Movimento Homossexual” foi lançado, muitos o julgaram “exagerado” por denunciar que os ativistas homossexuais chegariam ao ponto de exigir a doutrinação das crianças nas escolas. A resposta geral era: “Isso nunca vai acontecer no Brasil!”
Trabalhei, na década de 1990 (e posteriormente), como uma voz que clama no deserto. Quem leu meu livro naquela época, hoje me chama de profeta. Quem leu na década de 1990, sem ver o que ocorreria hoje, me achava um alucinado.

As ameaças dos ativistas gays não são ficção

No início da luta contra o PLC 122, muitos me viam da mesma forma. Dá para entender quando o povo não compreende. Mas os líderes muitas vezes têm outras motivações. Um grande líder evangélico que, num artigo da revista Ultimato, atacou os cristãos que lutam contra o PLC 122 tinha uma motivação particular: viajando o Brasil inteiro para ministrar para milhares de pessoas, deixava filhos pequenos e cônjuge abandonados. O resultado: os filhos acabaram se envolvendo com o estilo de vida homossexual.
O que não é de surpreender são as ligações desse líder com Caio Fábio, revista Ultimato e Genizah. Mas em que sua raiva contra os cristãos anti-PLC 122 poderia ajudar seus filhos que entraram no homossexualismo por causa de seu sobrecarregado trabalho de ministrar em todo o Brasil? Destroem suas famílias e depois querem, na maior cara de pau, posar de guardiões de uma ética cristã hipócrita que se opõe a uma genuína defesa da família. Em que seus ataques e deboches aos cristãos anti-PLC 122 poderiam ajudá-lo a resgatar seus filhos do homossexualismo?
Graças a Deus, a visão progressista da TMI, que pinta os opositores do PLC 122 como paranoicos, está perdendo força. Um número cada vez maior de pessoas está enxergando as horrendas consequências que a sociedade brasileira sofrerá se o se o projeto de supremacismo gay for aprovado.
Para a volta ao texto do PLC 122 de Fátima Cleide, Marta se apoia nas palavras de Toni Reis, presidente da ABGLT, que disse: “Mais de três mil homossexuais foram assassinados no Brasil nos últimos anos. Mas o projeto ainda não foi aprovado”.
Ele também garantiu que “o projeto não afeta a liberdade de expressão dos religiosos que são contra o homossexualismo”.
Voltaremos assim às desculpas (e mentiras) de sempre — com o apoio de líderes evangélicos negligentes que facilitam a entrada de seus filhos no homossexualismo e depois procuram bodes expiatórios para seus próprios pecados.
Se o PLC 122 “não afeta a liberdade de expressão dos religiosos que são contra o homossexualismo”, então por que, mesmo sem esse projeto, Toni Reis pressionou o Ministério Público Federal contra mim e contra Silas Malafaia? Mesmo antes dessa ação da ABGLT, a própria Associação da Parada do Orgulho Gay de São Paulo já havia feito queixa contra mim no MPF em 2006.
Por conta da minha luta contra o PLC 122, uma mobilização gayzista na rede social do Orkut levou um grande número de ativistas gays a pressionar o Google a fechar meu blog em 2007. O Google só o reativou depois da pressão de muitas pessoas, inclusive do filósofo Olavo de Carvalho, vários advogados e um procurador em Brasília.
Esse procurador telefonou para o Google perguntando sobre o fechamento do meu blog, recebendo como resposta que meus textos promovem violência contra os homossexuais. O procurador declarou ao advogado do Google que ele era assíduo leitor do meu blog e nunca havia visto um único texto meu de ódio ou violência contra os homossexuais. Em seguida, não vendo justificativa legal para manter meu blog encerrado e censurado, o Google o liberou.
Entretanto, as pressões gayzistas nunca cessaram. Mensagem interceptada de comunicação interna da ABGLT em 2010 mostra Toni Reis orientando os grupos homossexuais do Brasil a procurarem minha localização no exterior. Mais recentemente, por incitação de ativistas homossexuais do Brasil, AllOut, uma das mais ricas organizações homossexuais dos EUA, me incluiu numa campanha para pressionar o PayPal a fechar a conta de dez importantes organizações cristãs. WND, um dos maiores sites conservadores dos EUA, denunciou a campanha contra mim.
Sob pressão de AllOut, minha conta de PayPal foi fechada no final de 2011, bloqueando um canal por onde cristãos enviavam suas ofertas para mim e minha família. Esse caso do PayPal ficou conhecido como o quarto maior caso de perseguição anticristã nos EUA em 2011. Vendo a vitória de AllOut contra mim, ativistas gays do Brasil conseguiram convencer a organização gayzista americana a lançar uma campanha para aprovar o PLC 122.
Entretanto, muito diferente do que esperavam os militantes gays do Brasil e dos EUA, meu ministério de alerta prossegue. E prosseguem as tentativas deles de me censurar, bloquear, localizar, processar e, sim, até prender.
Em julho de 2011, WND já havia denunciado monitoração do Ministério de Segurança Nacional dos EUA ao meu blog. Como se sabe, hoje o governo mais pró-homossexualismo do mundo é o governo americano, que tem uma política mundial descaradamente a favor da agenda gay. Mesmo depois da denúncia, que se confirmou, meu blog continuou sofrendo visitações de órgãos americanos, numa vergonha revelação dos EUA agindo como uma polícia internacional pró-sodomia, patrulhando cristãos que se opõem ao supremacismo gay. As ameaças ao Blog Julio Severo estão agora registradas internacionalmente.
Pressões da Gaystapo brasileira e americana são uma ameaça constante ao Blog Julio Severo
Se mesmo não havendo nenhuma lei anti-“homofobia” no Brasil, meu blog já sofre todo esse patrulhamento, o que ocorreria depois da aprovação do PLC 122?
Com o PLC 122 aprovado, a ABGLT, a Associação da Parada do Orgulho Gay de São Paulo e outros grupos gays radicais não se limitariam a fazer queixas, mas iriam diretamente para a exigência de prisão para mim e outros que denunciam o pecado homossexual, com a alegação criminosa de que essa denúncia é a causa de assassinatos de homossexuais em ambientes de drogas, prostituição e brigas de parceiros ou clientes sexuais.
Se é verdade que três mil homossexuais foram assassinados no Brasil nos últimos anos, então é muito mais verdade que, no mesmo período, cerca de 1 milhão de brasileiros foram assassinados, e menos de dez por cento desses assassinatos foram solucionados. As outras centenas de milhares de assassinatos ficaram impunes.
Marta Suplicy fará tudo para que a luta de classes se torne realidade no Brasil, com a garantia de que o PLC 122 não trará nenhuma perseguição aos cristãos. Como reforço, a grande mídia evangélica esquerdista garantirá que a luta dos cristãos contra o PLC 122 é pura ilusão, é “luta contra moinhos de vento”. É a união perfeita do inútil com o desagradável. É um eco inconfundível da percepção da própria grande mídia secular do Brasil.
Sempre que lhe for ideologicamente conveniente, Suplicy continuará elogiando, adulando e defendendo os ativistas gays — a menos, é claro, que ela descubra que um concorrente político é homossexual.

Clodovil

Vale lembrar que provavelmente o maior inimigo de Suplicy era Clodovil Hernandes, que era homossexual assumido, mas inteligente o suficiente para se opor ao supremacismo gay por entender que a conduta homossexual não é natural. Clodovil não tinha receio de contrariar radicais ativistas gays.
Numa entrevista publicada na revista Veja, feita poucos dias antes de sua morte, o repórter perguntou: “Por que o senhor não apresentou nenhum projeto defendendo o direito dos homossexuais?”
Clodovil respondeu: “Deus me livre. Quais direitos? Direito de promover passeata gay? Não tenho orgulho de transar com homem”.
Clodovil: Não tinha orgulho de transar com homem e era o maior inimigo de Marta Suplicy
Se Suplicy e sua volta da mentira do PLC 122 tiverem êxito, a legalização do que não é natural e não é motivo nenhum de orgulho para ninguém produzirá opressão e injustiças na sociedade brasileira.
Clodovil chegou a reconhecer que queria uma mudança. Tal mudança o PLC 122 nunca poderá dar, mesmo que o governo, tirando dinheiro de nosso bolso, pague caríssimas operações de mudança de sexo.
Pena que não haja ainda operações de mudança de cérebro.
Transplantar o cérebro de Clodovil para Suplicy faria muito bem ao Brasil.
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...