terça-feira, 27 de novembro de 2012

Ativistas Gays usam símbolos Nazistas e interrompem várias vezes Pr. Silas Malfaia.

Audiência Pública sobre ‘cura gay’ é marcada por desrespeito a participação evangélica


A Audiência Pública promovida pela Comissão de Seguridade Social e Família da Câmara dos Deputados nesta terça-feira (27) para discutir o Projeto de Decreto Legislativo 234/2011 proposto pelo deputado federal João Campos (PSDB-GO). Que visa sustar partes da Resolução do Conselho Federal de Psicologia (CFP), que falam sobre a relação do profissional de psicologia em prestar atendimento quanto à orientação sexual de seus pacientes foi marcada por interrupções dos ativistas gays.

Os convidados para a audiência foram: o pastor Silas Malafaia, Humberto Cota Verona, presidente do CFP; Marisa Lobo, psicóloga com especialização em psicologia da sexualidade; e Toni Reis, presidente da Associação Brasileira de Lésbicas, Gays, Bissexuais, Travestis e Transexuais. Participaram também os deputados federais, Pastor Marco Feliciano, João Campos, Pastor Eurico e Jean Wyllys.

Durante a fala do pastor Silas Malafaia, que expressou a incoerência da Resolução por proibir o direito do paciente ao tratamento psicoterapêutico ao decidir mudar sua orientação sexual, ativistas gays interromperam por diversas vezes e exibiram cartazes de manifestação comparando o pastor ao movimento nazista.

De acordo com Malafaia “todo paciente adulto com saúde mental tem direito de decidir sobre seu próprio corpo”.

Malafaia comparou a Resolução do CFP as regras em outros países e disse não conhecer um país que proíba o paciente de procurar tratamento por não se sentir bem em uma condição. O pastor também afirmou que a maioria dos homossexuais foram abusados durante a infância e ao proibir tratamento o CFP estará acobertando o abuso sexual.

O líder da Associação Vitória em Cristo também criticou a militância gay do Conselho de Psicologia.

Wyllys fez um discurso criticando a participação dos evangélicos na audiência e questionando o currículo de psicologia da doutora Marisa Lobo e do pastor Silas Malafaia. O deputado também questionou o interesse do deputado João Campos como evangélico pelo assunto e disse que o projeto é inconstitucional.

O deputado federal, Pastor Marco Feliciano, um dos organizadores da audiência, lamentou o nível de discussão e as manifestações dos ativistas gays que interromperam por diversas vezes as falas dos representantes do contraditório.

“Quando pensamos em fazer essa Audiência Pública, em momento algum passou pela nossa cabeça o baixo nível que infelizmente foi essa Audiência Pública. É lamentável isso. Viemos aqui para discutir um assunto científico, eu faço parte dessa comissão, quero ajudar no processo do relator, queria entender isso. (…) Em momento algum, desde a primeira audiência que foi feita, nós tratamos sobre assunto de preconceito, de homofobia… Embora que em todas as audiências fomos chamados de homofóbicos, de caçadores de bruxas e coisas mais”, lamentou Feliciano, que afirmou ainda que se fosse possível pediria que a Audiência fosse cancelada e riscada dos anais da Câmara.

Fonte: O Verbo

Após 19 anos, homem pede anulação de casamento ao descobrir que casara com um Transexual.

 
Foto: Reprodução

Um morador da Bélgica de 64 anos de idade pediu que seu casamento fosse anulado depois de descobrir que sua mulher, com quem estava casado há 19 anos, na verdade era um homem e tinha passado por uma cirurgia para mudar seu sexo.

Jan e a indonésia Monica se casaram no ano de 1993. "Achei que ela fosse uma mulher. Ela não tinha traços masculinos", disse Jan. "Mesmo durante o sexo, eu nunca percebi nada", contou ele, que só descobriu agora que sua esposa era transexual.

Na época que Monica se mudou para a Bélgica, a Justiça do país chegou a ter dúvidas sobre a autenticidade de seus documentos, mas Jan não desconfiou de nada.

Jan ainda disse que o casal tinha decidido que não teria filhos, pois ele tinha dois de outro casamento. Ele desconfiou da esposa só depois que ela começou a usar roupas muito chamativas e curtas. Foi aí que o belga iniciou o processo judicial para ter seu casamento anulado.

Fonte: Yahoo

"Júlio Severo, você precisa parar de enfiar este cabo de vassoura no c..." Danilo Fernandes do GAYNIZAH.

27 de novembro de 2012

A boca suja do dono do Genizah (Parte 1)


A boca suja do dono do Genizah (Parte 1)

Julio Severo
Primeiramente, peço desculpas aos leitores por publicar um comentário obsceno. Mas tenho de fazer isso para que todos vejam um dos tais blogs calvinistas “apologéticos” aparecendo no meu blog e expressando exatamente o que está no coração dele.
Palavras de Danilo de Danilo Fernandes:
Danilo Fernandes <danilo@genizahvirtual.com> deixou um novo comentário sobre a sua postagem “Renato Russo ou Ana Paula Valadão?”:
Julio Severo, Voce precisa parar de enfiar este cabo de vassoura no cú! Assume esta sua gayzisse latente, larga este broxa do Olavo de Carvalho e volta para aquele seu amor do seminário que comia o seu cú gostoso! Quem sabe voce acaba com esta fixacao com os gays. Vá evangeliza-los e não espezinha-los!
Postado por Danilo Fernandes no blog Julio Severo em sexta-feira, 23 novembro, 2012
Palavras da Bíblia:
“Linguagem sã e irrepreensível, para que o adversário se envergonhe, não tendo nenhum mal que dizer de nós”. (Tito 2:8)
“Quanto ao mais, irmãos, tudo o que é verdadeiro, tudo o que é honesto, tudo o que é justo, tudo o que é puro, tudo o que é amável, tudo o que é de boa fama, se há alguma virtude, e se há algum louvor, nisso pensai”. (Filipenses 4:8)
“E até importa que haja entre vós facções, para que os aprovados se tornem manifestos entre vós”. (I Coríntios 11:19)
Que harmonia há entre os palavrões de Danilo e o que a Bíblia ensina de modo tão claro sobre nosso comportamento e linguajar padrão do cristão? Numa tacada só, Danilo Fernandes me calunia, debocha e xinga, e ainda por cima dá publicidade à malícia e obscenidades de Caio Fábio, que originou a mentira de que (1) estudei em seminário, (2) de que eu tinha relacionamentos homossexuais no seminário.
A presteza em usar sua habilidade para a comunicação para vulgaridades, fofocas e calúnias é algo notável em Danilo.
Que ele dê graças a Deus por eu não escutar Renato Russo e outros, enchendo o coração de lixo e depois vomitando tudo em cima dos outros.
Mas também que ele se olhe no espelho da Palavra de Deus, e veja exatamente o que Jesus disse:
“O homem bom, do bom tesouro do seu coração tira o bem, e o homem mau, do mau tesouro do seu coração tira o mal, porque da abundância do seu coração fala a boca.” (Lucas 6:45 ACF)
Olavo de Carvalho fala palavrões, mas ele não é evangélico. O dia em que ele realmente aceitar Jesus, tudo mudará, inclusive a boca dele.
Mas qual é a desculpa para Danilo ter um coração e boca tão sujos? Ele já é evangélico, gabando-se de ser calvinista. Suas atitudes e palavras deveriam envergonhar qualquer calvinista sério.
Se Danilo não estiver empenhado na desconstrução da apologética e na corrosão dos padrões de comportamento e linguagem dos cristãos, eu realmente não sei mais quem poderia estar — além, é claro, de seu próprio mestre.
A primeira e mais grave consequência desse rebaixamento sistemático da apologética cristã, promovido pelo tabloide Genizah e por seus parceiros e cúmplices, é a entrada de homens vulgares e sem nenhum compromisso real com o crescimento e amadurecimento da igreja evangélica no Brasil. E isso tem ocorrido de maneira gritante.
O fato do Genizah ter publicado tantos artigos de evangélicos progressistas que negam aberta ou discretamente doutrinas centrais da fé evangélica jamais pode ser visto como fruto de meros deslizes. O que Danilo Fernandes faz é dar propaganda gratuita para liberais e esquerdistas.
A falsa apologética dele e de seus companheiros contribui para o caos moral, doutrinário e comportamental. O que eles querem é preparar os evangélicos brasileiros para tolerar o que é intolerável aos padrões cristãos.
O contraste comportamental entre a elite pseudoapologética, onde o dono do Genizah é referência e destaque, e os padrões prescritos pelo apóstolo Paulo para a conduta, linguagem e cuidado na vida dos cristãos fica, a cada dia, mais visível.
Não menos lamentáveis são o apoio, a visibilidade e os louvores — com links e a republicação de artigos — que líderes e pastores, principalmente calvinistas, dão a figuras vulgares como Danilo.
Se os evangélicos brasileiros quiserem uma cultura interdenominacional mais rica, digna e que promova a saúde e edificação do Corpo de Cristo, chegou o momento de romper de uma vez com os calvinistas esquerdistas que infestaram a blogosfera apologética nos últimos anos.
Leitura recomendada:

segunda-feira, 26 de novembro de 2012

Criança que fêz filme Pedófilo com Xuxa vira ator pornô, para alegria da Globo.




Ator que fez filme com Xuxa lança obra pornô



Divulgação

Marcelo Ribeiro com as parceiras de elenco
O filme pornô estrelado por Marcelo Ribeiro , de 38 anos, que atuou ainda garoto em “Amor Estranho Amor” ao lado de Xuxa Meneghel, chega às prateleiras das locadoras nesta quinta-feira, 17.

Com duas horas de duração, o DVD vai se chamar “Estranho Amor”.

O título é quase idêntico ao do polêmico filme, dirigido por Walter Hugo Khouri, em 1982, no qual o ex-ator mirim, então com 12 anos,  protagonizou cenas com a apresentadora.

“Achei a experiência até o momento excelente. Já o que vai acontecer de agora em diante, eu não sei”, disse ele, sobre a repercussão de sua estréia pornô.

Atualmente solteiro, Marcelo divide as cenas do DVD, todas gravadas em motéis de São Paulo, com a loura Larissa Mendes e as morenas Bruna Ferraz e Babalu – nomes famosos no segmento erótico.


  DIFICULDADE NA PRIMEIRA CENA
Além do filme com Xuxa, Marcelo atuou aos 11 anos em “Eros, o Deus do Amor”, ao lado de estrelas da época como Dina Sfat e Kate Lyra. Apesar dos dramas eróticos no currículo, o novo astro pornô enfrentou dificuldades no set de gravação.

“No primeiro dia, pensei que não iria conseguir. Precisei tomar estimulante sexual para ajudar, mas não me senti bem com a pílula. Nunca havia tomado nada parecido”, conta ele.

Mesmo com o sufoco, Marcelo conseguiu fazer a cena de estréia com a morena Babalu, conforme mandava o roteiro.

Há anos longe dos holofotes, ele hoje trabalha como instrutor de informática numa empresa multinacional. “Muita gente já sabe que fiz o filme. Mas vamos ver como as coisas vão repercutir. Eu estou preparado para tudo”, afirma ele, que tem três filhos.

Dois são adolescentes do primeiro casamento, de 12 e 11 anos. E o caçula de oito meses, da última relação que durou dois anos.

A produção de “Estranho Amor” durou três dias. Marcelo preferiu trocar o cachê por uma participação nas vendas dos DVDs. Antes dele, Alexandre Frota, Rita Cadilac e Gretchen, entre outros nomes conhecidos, apareceram em filmes pornográficos.

Fonte: Ego.Globo

domingo, 25 de novembro de 2012

PT tenta vender ilusão aos conservadores usando até mãe Evangélica do Ministro Joaquim Barbosa, que não é.


"Vou te confidenciar uma coisa, que o Lula talvez não saiba: devo ter sido um dos primeiros brasileiros a falar no exterior, em Los Angeles, do que viria a ser o governo dele. Havia pânico. Num seminário, desmistifiquei: 'Lula é um democrata, de um partido estabelecido. As credenciais democráticas dele são perfeitas'."

O escândalo do mensalão não influenciou seu voto: em 2006, já como relator do processo, escolheu novamente o candidato Lula, que concorria à reeleição.
"Eu não me arrependo dos votos, não. As mudanças e avanços no Brasil nos últimos dez anos são inegáveis. Em 2010, votei na Dilma."(Ministro Joaquim Barbosa) clique aqui para ver a matéria na Folha de S. Paulo.

Só tem um jeito prá eu votar em Barbosa, se eu ver Dirceu atrás das grades e não nas praias como se vê atualmente, e o melhor, ver ele condenando o Lula. Ai eu digo que ele não tem o "rabo" preso e é homem de coragem. Mas, enquanto isso, prá mim ele é um esquerdista liberal pró-homossexual que vai dar muito trabalho ao Evangelho no Brasil. Quem é crente é a mãe dele, não ele. Se vê pelos seus votos contrários ao Evangelho.




 Condenado e curtindo praia. Eis o homem que Barbosa condenou.

Quando resolvi arregaçar as mangas e partir para o Contra-Ataque.

Por Ricardo Ribeiro

Quando eu começei a Blogar há quase três anos atrás, iniciei as postagens com temas "educadozinhos", politicamente corretos e logo as pesquisas frequêntes me revelaram conspirações governamentias que nos atingiam fronta e fatalmente. Passei a me aprofundar e percebi a divisão entre os que acreditam e os que não acreditam nas mesmas. Sim, havia exageros, sensacionalismos, oportunismos, mas jamais inverdades. Começei a ligar os pontos e descobri que a Maçonaria estava por trás do avanço da Agenda Gay. Me perguntei, mas porque diabos esses caras ricos, influêntes e caridosos querem que isso se espalhe, quando isso além de trazer prejuízos para os próprios homossexuais, também aumentarão a promiscuidade e as doenças resultantes dela? Resposta, Redução Populacional.

Descobri um sem números de pastores envolvidos com a Maçonaria. Alguns acusados de serem maçons na verdade silênciaram, outros como Pr. Silas Malafaia vieram a público em vídeo e desmentiram o boato, escrevendo até para quem lhe acusava disso, Dr. Pedrosa. Por isso, creio que realmente ele não o seja. No entanto, os pastores que silênciaram e além disso começaram a apoiar candidatos pró-homossexuais, começei a perceber sua ligação com tais sociedades secretas, denunciadas por seu silêncio traidor.

Começei então a Blogar mudando o foco teológico para o Apologético, com ênfase na defesa da família, procurando revelar e desmascará tal movimento. Meu método se constituia basicamente em usa imagens, montagens, visto que uma imagem fala mil vezes melhor do que um longo texto, visando as massas e não apenas seletos grupos intelectuais. Com uma linguagem coloquial e acessível. Algumas vezes fui bem incisivo, para não dizer atrevido. Procurei dar um Choque de Ordem e com isso, passei a ver antigos amigos se afastando. Não desanimei e continuei a luta pois, reconhecia que não havia ninguém batendo de frente a não ser nosso herói Julio Severo, que estava pagando o preço fora do país, com sua família por causa dos Ativistas Gays Tony Reis e do Pedófilo Luis Mott. Fiquei muito feliz quando minha esposa me passou o celular e quando vi o número, era "00000000", ligação do Julio para saber como eu estava e minha esposa. Ele consegui ainda fazer doações para nós, mesmo distante, la nos Estates. Obrigado por tudo amigo Júlio. Jamais te esquecerei e só descansarei quando ver você receber uma Medalha Pró-Família no Congresso Nacional.

A covardia de alguns dos "amigos" blogueiros começou a se tornar mais evidente. Quando entrava em algum outro blog que abordava o tema e comentava, sentia a frieza. Na verdade em tais blogs os ídolos eram entre outros, pasmem, Caio Fábio, um adúltero, que fora investigado pela policia federal por acusar e não provar nada contra o Ex-Presidente Fernando Henrique Cardoso. Começei a receber ameaças de Ativistas homossexuais, inclusive de morte. Contudo, sentia a doce presença do meu Rei ao lado do meu Notebook dizendo: "Estou contigo e teu note foi ungido prá defender o meu Reino, eles não te farão nenhum mal, se não lhes permitir." Senti várias vezes poderosos hackers e crackers tentando dominar minha central e o Senhor não permitia.

De posse de encorajamento divino, continuei e descobri os recursos do Twitter e Facebook. Começei a incomodar novamente com minhas montagens bombásticas. Especialmente no dia que publiquei "A bactéria homofóbica canibal", que atingiu os gays que atacaram os cristãos na California e o Concurso "Jesus Gay Gostosão." A Fúria Gay foi implacável, suas ameaças mais ainda. Não me intimidei e continue. Sentia a solidão do meu trabalho mas, quando pensava no amigo Julio Severo, em situação pior que aminha, longe do Brasil com quatro filhos e sua esposa, vivendo das doações dos amigos, aquilo me reconfortou. Um grande intelectual cristão esquecido dos evangélicos no Brasil. Os gays rastrearam meu trabalho e consigueram influênciar meus chefes que me demitiram da Capelania na cidade de Alhandra. Foi uma grande covardia pois, estava com minha esposa grávida e não sabia o que fazer, apenas confiar no mei Rei. E Ele me disse que estava trabalhando e que eu não temesse.

Deus usou um casal, Toniho e Ana Maria, em Minas Gerais que nos convidou para a cidade de Conselheiro Pena onde havia preparado tudo para o parto de minha esposa. Minha esposa ficou aos cuidados de um dos melhores médicos do Brasil, Dr. Paulo Amorim. E Deus transformou o atendimento pelo SUS, em atendimento particular em sua clínica. Glória a Deus. Sou muito grato aos mineiros amados que nos deram toda assistência e carinho. Voltamos para a Paraíba com todas as despesas pagas pelo Rei da Glória, trazendo móveis da criança e roupas enviadas para ela da Inglaterra e até dos EUA. Nunca faltou nada.

Em todo esse tempo e vai e vém, não parava onde estivesse, fosse numa Lan-House ou em casa, de defender nosso povo. Machucava o coração ver o silêncio dos pastores, dos 'amigos', a falta de noção e consideração, como se estivéssemos inventando tudo aquilo. Eram frequêntes a náuseas perante a exibição narcisistico-teológicas e pusilânimes. Entrei num blog de um pastor ao qual muito admirava e fui enxotado de lá por afirmar que Barack Obama afundaria os EUA com sua Agenda Gay. Ele convidou alguns "amigos" americanos prá mi massacrar. Descobri depois que ele era esquerdista e amigo da Lixeira do Genizah, o que tem de pior em Comunismo disfarçado de evangélico na internet. Hoje sabemos que os EUA está correndo risco de guerra civil e muitos estados querem separar-se da União. Estávamos certos mais uma vez. Barack Hussein Obama Pró-Gays declarou que a "América não é mais um país cristão."

Nossa luta continua. Muitos outros amigos leais e fies foram levantados para nos ajudar aqui no Face, no lugar dos que nos abandonaram. Mas, também descobri que estamos no ninho das próprias serpentes. Seus donos são ativistas gays que sete vezes me bloquearam por 30 dias e outras vezes para amizade. Sofri ataques diretamente da California, Reduto dos Homoativstas. E o povo cristão que nos acompanhava começou a perceber o que a Mídia não revela, a verdadeira intolerância dos Ativistas Gays. "O grupo mais intolerante da pós-modernidade", como bem diz Pr. Silas Malfaia. E nosso povo começou a reagir, por isso hoje, a Globo está pedindo uma "trégua." Com medo. Doía demais ver inclusive que os que mais nos ignoravam, eram os que eu mais admirava e defendia.

O que importa hoje, é ver com satisfação que nosso povo acordou e nossa luta não foi em vão, graças a Deus, ao Júlio Severo, ao Olavo de Carvalho, à Rozangela Justino, os pioneiros no froint de batalha. Conseguimos a partir da Internete, pressionar pastores, padres, e estes aos politicos cristãos que abriram suas bocas por nós lá dentro e barraram Kit-Gay e a Sodomização da Nação e prisão de pastores e padres através da PLC 122. Obrigado a você que tem nos acompanhado e apoiado direta ou indiretamente. Eu compreendo os que não conseguem se expor mais, por não terem o devido conhecimento das leis do país. Como eu tenho pleno conhecimentos do Direito, até por ter trabalho em Tribunal de Justiça e haver estudado no curso Teológico e amar o estudo das leis, e agora também como jornalista, não tem porque temer. Procurem confiar que estamos no caminho certo. Se a perseguição vier, será pela vontade de Deus e não por nossa omissão. Divulguem nosso trabalho o quanto puder, não temos muito tempo. Não esqueçam, um com Deus é maioria. Pela Família TUDO, sem Jesus Cristo, NADA.

Ricardo Riberio
Vosso Conservo

sexta-feira, 23 de novembro de 2012

Feitiçeiros gays duelam com Pastor cheio do Espírito em frente a Igreja e saem carregados.


A esquerda bárbara

23 de novembro de 2012

A esquerda bárbara


A esquerda bárbara

Edson Camargo
Estes bárbaros desfrutam hoje da hegemonia cultural, que se traduz em votos. Tudo o que atacam parece fazer cada vez menos sentido na cultura que persistem em tentar remodelar. A sacralidade da vida? Não! Nas velhas eras pagãs, valia a lei do mais forte, ou o desejo dos líderes. Sexualidade saudável, dentro da família? Não! No mundo antigo, tudo se resumia a penetrador e penetrado. E gritam: “somos a vanguarda, num novo ‘momento histórico’”. Mas o que promovem mesmo é o retorno aos velhos tempos pagãos pré-cristãos.
Estes bárbaros desprezam a individualidade da pessoa, bem como seu valor intrínseco. Nivelando todos os valores, dizendo que são todos subjetivos, querem mesmo é que César diga o que é certo ou errado. O resto não passa de “constructo social”. Da suprema blasfêmia a essa paganismo segue um trecho: “Consideramos estas verdades como evidentes por si mesmas, que todos os homens sejam criados de modo igual e providos pelo Criador de certos direitos inalienáveis; entre eles, a vida, a liberdade e busca da felicidade”.
Estes bárbaros enaltecem o poderio de César. Pela saúde, pela paz, pela educação, alegam. Sempre se frustram, mas não se permitem atentar para o real. E, para tanto, não são nada discretos em sua sanha de controlar escolas, mídia e a produção cultural, visando uma modelagem comportamental em larga escala. Subjetividade e autonomia da consciência individual é escândalo ao mundo antigo: “Estes homens, ó Nabuconosor, não te respeitaram; a teus deuses não serviram, nem adoraram a estátua de ouro que levantaste”. Os bárbaros não toleram o homem livre, senhor de suas próprias ideias e princípios.
Estes bárbaros sacralizam a natureza. Que não toquem nas árvores e nos micos-leões! E que em nome deste panteísmo não se plante, não se construa, não se aumentem as famílias e a população. “Não é ‘sustentável’”, clamam. Agora com legitimidade jurídica, o humano volta a ser uma besta servil de forças misteriosas das florestas, como nas velhas eras pagãs.
Estes bárbaros abortam. Para eles vale mais o bem estar da tribo do que a vida por si mesma. E os fetos se reduzem a assunto de saúde pública, a consequências indesejáveis da promiscuidade das militantes que, sem dó, esquartejam e expelem suas crias. Nas velhas tribos bárbaras, deidades crúeis sacralizavam o prazer. No velho mundo bárbaro, as chamas de Moloque recebiam os pequeninos, e as trombetas do deus pagão cobriam seus últimos e agonizantes choros.
Estes bárbaros, ontem, como hoje, desprezam o Deus de Israel e seus princípios. Não é à toa que abominam o Ocidente, fruto civilizacional da cosmovisão judaico-cristã, que em tudo afronta esses nostálgicos das eras pagãs. Que em tudo denuncia a barbárie decorrente da ausência daquele Espírito que, onde habita, ali há liberdade (II Co. 3:17).
Estes bárbaros mal disfarçam em ideologias suas velhas crenças pagãs. O pastor Wurmbrand bradou: “Marx era, na verdade, um satanista”. A bruxa Margot Adler fez questão de mostrar o quanto o paganismo inspirou o feminismo desde seus primeiros momentos. Eric Voegelin e outros autores perceberam o quanto as ideologias utópicas que mataram milhões no século XX se assemelham, em tantos aspectos, a antigas crenças gnósticas. Peter Gay afirmou que o Iluminismo foi o berço do paganismo moderno e outros historiadores já afirmaram que este período, para além da imagem pública, foi mesmo um festival de bruxaria e ocultismo. Dentre os inspiradores da United Religions Initiative, hoje tentáculo da ONU, não se pode excluir nomes como Madame Blavatsky e Aleister Crowley. Como Lee Penn bem denuncia em seu livro False Dawn, esta instituição está claramente determinada a obstruir a evangelização cristã, sempre em nome da promoção ecumênica da paz mundial, incriminando os cristãos conservadores como intolerantes. Buscando reduzir o cristianismo a mero ativismo social, promove uma nova espiritualidade global, uma religião de plástico que irá dar novo valor a velhas práticas ocultistas e teosóficas.
Estes bárbaros também sabem se disfarçar de cristãos. Estes bárbaros sabem se infiltrar em instituições e veículos de mídia que se afirmam como defensores e divulgadores do cristianismo. Estes bárbaros sabem que a fé cristã diz respeito a todas as áreas do conhecimento: política, arte, economia, psicologia, ciência, filosofia, etc. E por isso que em tudo atrapalham os cristãos, impedindo-os a perceber as inúmeras riquezas deste legado com o qual Deus os presenteou, tendo anteriormente concedido a eles a salvação, por meio do sacrifício do Senhor Jesus Cristo.
Estes bárbaros sabem que, no momento em que os cristãos se posicionam e contra eles se opõem, começam a ter sérios problemas.
Estes bárbaros, seguindo o deus deste século, sabem que vivem na mentira. E que “não prevalecerão no dia do juízo” (Sl 1:5).
Fonte: GospelMais

quinta-feira, 22 de novembro de 2012

Ativistas Homossexuais estão usando armas e pregando violência contra os Cristãos.



A reportagem mostra no Distrito de Castro, São Francisco, California, EUA. 2008, uma multidão de Ativistas Homossexuais espacam gravemente a Cristãos que adoravam a Deus em via pública, em retaliação a derrota do Casamento Homossexual em referendo; ainda outro ativista gay que invade Igreja armado com pistola 9 mm e dispara, atingindo um policial sendo em seguida preso. Ele estava irado pelas dificuldades do casamento gay não ter sido aprovado, bem como propaganda de incitação ao ódio e a luta armada pregada em Seminário LGBT nas dependências do Congresso Nacional dirigida pelo Deputado Federal Homossexual Jean Wyllys e feita tal declaração criminosa pelo homoativista Marcio Retamero que afirmou: "...Os fundamentalistas religiosos, essses desgraçados, tem um projeto politico que está só se consolidando...mas, eu estou disposto a pegar em armas..."

 E agora? A guilhotina está pronta, a cadeira elétrica também. Os cristãos vão se entregar para morte sem reação alguma? Onde estão as autoridades? Qualquer espirro de pastor hoje é homofobia e alguns até estão sendo presos mas, e isso? É um claro crime que deve ser punido e nós iremos cobrar. Nós não iremos aceitar tais imposições, não estamos em Cuba ou Coreia do Norte, China ou no Irã. Aqui é BRASIL, O MAIOR PAÍS CRISTÃO DO MUNDO.

terça-feira, 20 de novembro de 2012

Nova função que a população oferece ao Procurador Pró-Homossexual Caçador do nome Deus das cédulas.



Olha o histórico do Procurador Aloprado que quer tirar o nome de Deus do dinheiro. Pró-Sodomita é apelido.
O procurador Jefferson Aparecido Dias tem o seguinte histórico:

1º - Mobilizou para caçar e cassar todos os crucifixos de prédios públicos

2º - Também foi ele que tentou, sem sucesso, levar o pastor Silas Malafaia às barras dos tribunais
quando este protestou contra o uso de santos católicos em situações homoeróticas numa parada gay. Referindo-se a ações na Justiça, o pastor afirmou que a Igreja Católica deveria “baixar o porrete” e “entrar de pau” nos organizadores do evento.

3º - Entrou com uma ação contra a RedeTV! e a Igreja Internacional da Graça de Deus sob acusação de terem ofendido os ateus. Na ação, a Procuradoria reclama de frase dita pelo pastor João Batista no programa “O Profeta da Nação”, exibido no dia 10 de março.

Todas julgadas improcedentes. Que vcs acham? Parece mais um militante num cargo importante?

Link da ação dele contra o "Deus seja louvado": http://www.bahianoticias.com.br/ckfinder/userfiles/files/ACP%20Deus%20seja%20louvado%2012-11-12.pdf


segunda-feira, 19 de novembro de 2012

Juiz afirma que cristão rebaixado no trabalho por se opor ao casamento gay no Facebook foi punido ilegalmente







Juiz afirma que cristão rebaixado no trabalho por se opor ao casamento gay no Facebook foi punido ilegalmente

  Por Dan Martins em 18 de novembro de 2012


No final de 2011 o cristão inglês Adrian Smith teve seu salário reduzido para quase metade e foi destituído de seu cargo de gerência no Consórcio de Moradia de Trafford por causa de um comentário que fez em sua conta no Facebook contra o casamento gay dentro de igrejas.

- Não, não realmente. Não compreendo o motivo por que as pessoas que não tem fé ou não creem em Cristo iriam querer casar na igreja. A Bíblia é bastante específica que o casamento é para homens e mulheres. Se o Estado quer oferecer casamentos civis para homossexuais, então cabe ao Estado. Mas o Estado não deveria impor suas normas em lugares de fé e consciência – declarou Smith na época.

Porém, na última semana o juiz Michael Briggs decidiu a favor de Smith na Alta Corte de Londres, e afirmou que o fato de alguns ficarem ofendidos por suas afirmações é “um preço necessário a ser pago pela liberdade de expressão”, segundo informações do jornal inglês The Telegraph.

O consórcio havia afirmado que Smith tinha quebrado as regras do código da empresa referentes a sites de relacionamento pessoal, ao publicar seus comentários numa página do Facebook que o identificava como administrador no Consórcio de Moradia Trafford. Porém Briggs declarou que atitude de Smith não feria os estatutos da empresa, visto que seu comentário foi publicado em uma conta pessoal na rede social e fora de seu horário de trabalho.

Smith recebeu uma indenização simbólica pelo constrangimento que passou em decorrência do processo contra ele, mas afirmou que não fez isso por dinheiro, mas porque existe um princípio maior em jogo.

- Algo envenenou a atmosfera na Grã-Bretanha, onde um homem honesto como eu pode ser punido por fazer comentários perfeitamente educados sobre a importância do casamento – afirmou.

Por Dan Martins, para Gospel+

domingo, 18 de novembro de 2012

Homem acusado de abusar sexualmente do filho pode ter a prisão decretada

Se comprovado o abuso praticado, por meio dos exames de corpo de delito e coito anal, a prisão preventiva será solicitada à Justiça. O adolescente acusou o próprio pai após confessar estupro de uma criança de seis anos



O pai (da esquerda usando camisa com listras) foi ouvido no 31º DIP em Iranduba (Winnetou Almeida)


O pai do adolescente de 13 anos, que abusou sexualmente de uma criança de seis anos na última terça-feira (13), no distrito de Cacau Pirêra – município de Iranduba, na Região Metropolitana de Manaus –, é investigado pela Polícia Civil do Amazonas. O adolescente chegou a relatar que era abusado por ele desde os seis anos. A acusação pode ser comprovada após a realização de exames na próxima semana.

De acordo com o delegado do 31º Distrito Integrado de Polícia (DIP), Elcyr Barroso, os exames de corpo de delito e coito anal foram solicitados e o jovem deve realizá-los na próxima quarta-feira, (21).

O adolescente deve sair do Centro Socioeducativo Dagmar Feitosa, no bairro Alvorada, Zona Centro-Oeste de Manaus, para onde foi encaminhado após ser apreendido, também na próxima quarta.

“Se comprovado o abuso praticado pelo pai, a prisão preventiva será solicitada à justiça. Eu como pai de família me senti triste e emocionado com o caso, mas temos que agir com o rigor da lei”, relatou Barroso.

Entenda o caso

Um adolescente de 13 anos confirmou que abusou sexualmente de um menino de seis anos. Em depoimento, ele negou o fato, alegando ter sido seduzido pela criança e levado até um terreno, onde o ato sexual teria ocorrido com o consentimento de ambos.

O Ministério Público decidiu ainda na quarta-feira (14) pela internação do adolescente.
 

sexta-feira, 16 de novembro de 2012

Parada Gay, Cabra e Espinafre.

PARADA GAY, CABRA E ESPINAFRE

Segue transcrição de artigo do J. R. Guzzo, publicado na Revista Veja, no dia 14 de novembro de 2012.

Já deveria ter ficado para trás no Brasil a época em que ser homossexual era um problema. Não é mais o problema que era, com certeza, mas a verdade é que todo esforço feito há anos para reduzir o homossexualismo a sua verdadeira natureza – uma questão estritamente pessoal – não vem tendo o sucesso esperado. Na vida política, e só para ficar num caso recente, a rejeição ao homossexualismo pela maioria do eleitorado continua sendo considerada um valor decisivo nas campanhas eleitorais. Ainda agora, na eleição municipal de São Paulo, houve muito ruído em torno do infeliz “kit gay” que o Ministério da Educação inventou e logo desinventou, tempos atrás, para sugerir aos estudantes que a atração afetiva por pessoas do mesmo sexo é a coisa mais natural do mundo. Não deu certo, no caso, porque o ex-ministro Fernando Haddad, o homem associado ao “kit”, acabou ganhando – assim como não tinha dado certo na eleição anterior, quando a candidata Marta Suplicy (curiosamente, uma das campeãs da “causa gay” no país) fez insinuações agressivas quanto à masculinidade do seu adversário Gilberto Kassab e foi derrotada por ele. Mas aí é que está: apesar de sua aparente ineficácia como caça-votos, dizer que alguém é gay, ou apenas pró-gay, ainda é uma “acusação”. Pode equivaler a um insulto grave – e provocar uma denúncia por injúria, crime previsto no artigo 140 do Código Penal Brasileiro. Nos cultos religiosos, o homossexualismo continua sendo denunciado como infração gravíssima. Para a maioria das famílias brasileiras, ter filhos ou filhas gay é um desastre – não do tamanho que já foi, mas um drama do mesmo jeito.

Por que o empenho para eliminar a antipatia social em torno do homossexualismo rateia tanto assim? O mais provável é que esteja sendo aplicada aqui a Lei das Consequências Indesejadas, segundo as quais ações feitas em busca de um determinado produzido podem produzir resultados que ninguém queria obter, nem imaginava que pudessem ser obtidos. É a velha história do Projeto Apollo. Foi feito para levar o homem à Lua; acabou levando à descoberta da frigideira Tefal. A Lei das Consequências Indesejadas pode ser do bem ou do mal. É do bem quando os tais resultados que ninguém esperava são coisas boas, como aconteceu no Projeto Apollo: o objetivo de colocar o homem na Lua foi alcançado – e ainda rendeu uma bela frigideira, além de conduzir a um monte de outras invenções provavelmente mais úteis que a própria viagem até lá. É do mal quando os efeitos não previstos são o contrário daquilo que se pretendia obter. No caso das atuais cruzadas em favor do estilo de vida gay, parece estar acontecendo mais o mal do que o bem. Em vez de gerar a paz, todo esse movimento ajuda a manter viva a animosidade; divide, quando deveria unir. O kit gay, por exemplo, pretendia ser um convite à harmonia – mas acabou ficando com toda a cara de ser um incentivo ao homossexualismo, e só gerou reprovação. O fato é que, de tanto insistirem que os homossexuais devem ser tratados como uma categoria diferente de cidadãos, merecedora de mais e mais direitos, ou como uma espécie ameaçada, a ser protegida por uma coleção cada vez maior de leis, os patronos da causa gay tropeçam frequentemente na lógica – e se afastam, com isso, do seu objetivo central.

O primeiro problema sério quando se fala em “comunidade gay”é que a “comunidade gay” não existe – e também não existem, em consequência, o “movimento gay” ou suas lideranças. Como o restante da humanidade, os homossexuais, antes de qualquer outra coisa, são indivíduos. Têm opiniões, valores e personalidades diferentes. Adotam posições opostas em política, religião ou questões éticas. Votam em candidatos que se opõem. Podem ser a favor ou contra a pena de morte, as pesquisas com células-tronco ou a legalização do suicídio assistido. Aprovam ou desaprovam greves, o voto obrigatório ou o novo Código Florestal – e por aí se vai. Então por que, sendo tão distintos entre si próprios, deveriam ser tratados como um bloco só? Na verdade, a única coisa que têm em comum são suas preferências sexuais – mas isso não é suficiente para transformá-los num conjunto isolado da sociedade, da mesma forma como não vem ao caso falar em “comunidade heterossexual” para agrupar os indivíduos que preferem se unir a pessoas do sexo oposto. A tendência a olharem para si mesmos como uma classe à parte, na verdade, vai na direção exatamente oposta à sua principal aspiração – a de serem cidadãos idênticos a todos os demais.

Outra tentativa de considerar os gays como um grupo de pessoas especiais é a postura de seus porta-vozes quanto ao problema da violência. Imaginam-se mais vitimados pelo crime do que o resto da população: já se ouviu falar em “holocausto” para descrever a situação. Pelos últimos números disponíveis, entre 250 e 300 homossexuais foram assassinados em 2010 no Brasil. Mas num país onde se cometem 50000 homicídios por ano, parece claro que o problema não é a violência contra os gays: é a violência contra todos. Os homossexuais são vítimas de arrastões em prédios de apartamentos, sofrem sequestros-relâmpago, são assaltados nas ruas e podem ser mortos com um tiro na cabeça se fizerem gesto errado na hora do assalto – exatamente como ocorre a cada dia com os heterossexuais: o drama real, para todos, está no fato de viverem no Brasil. E as agressões gratuitas praticadas contra gays? Não há o sinal de que a imensa maioria da população aprove, e muito menos cometa, esses crimes: são fruto exclusivo da ação de delinquentes, não da sociedade brasileira.

Não há proveito algum para os homossexuais, igualmente, na facilidade cada vez maior com que se utiliza a palavra “homofobia”; em vez de significar apenas a raiva maligna diante do homossexualismo, como deveria, passou a designar com frequência tudo o que não agrada a entidades ou militantes da “causa gay”. Ainda no mês de junho, na última Parada Gay de São Paulo, os organizadores disseram que “4 milhões” de pessoas tinham participado da marcha – já o instituto de pesquisas Datafolha, utilizando técnicas específicas para este tipo de medição, apurou que o comparecimento real foi de 270000 manifestantes, e que apenas 65000 fizeram o percurso do começo ao fim. A Folha de S. Paulo, que publicou a informação, foi chamada de “homofóbica”. Alegou-se que o número verdadeiro não poderia ser divulgado, para não “estimular o preconceito” – mas com isso só se estimula a mentira. Qualquer artigo na imprensa que critique o homossexualismo é considerado “homofóbico”: insiste-se que sua publicação não deve ser protegida pela liberdade de expressão, pois “pregar o ódio é crime”. Mas se alguém diz que não gosta de gays, ou algo parecido, não está praticando crime algum – a lei, afinal, não obriga nenhum cidadão a gostar de homossexuais, ou de espinafre, ou de seja lá o que for. Na verdade, não obriga ninguém a gosta de ninguém; apenas exige que todos respeitem os direitos dos outros.

Há mais prejuízo do que lucro, também, nas campanhas contra preconceitos imaginários e por direitos duvidosos. Homossexuais se consideram discriminados, por exemplo, por não poder doar sangue. Mas a doação de sangue não é um direito ilimitado – também são proibidas de doar pessoas com mais de 65 anos ou que tenham uma história clínica de diabetes, hepatite ou cardiopatias. O mesmo acontece em relação ao casamento, um direito que tem limites muito claros. O primeiro deles é que o casamento, por lei, é a união entre um homem e uma mulher; não pode ser outra coisa. Pessoas do mesmo sexo podem viver livremente como casais, pelo tempo e nas condições que quiserem. Podem apresentar-se na sociedade como casados, celebrar bodas em público e manter uma vida matrimonial. Mas a sua ligação não é um casamento – não gera filhos, nem uma família, nem laços de parentesco. Há outros limites, bem óbvios. Um homem também não pode se casar com uma cabra, por exemplo; pode até ter uma relação estável com ela, mas não pode casar. Não pode se casar com a própria mãe, ou com uma irmã, filha, ou neta, e vice-versa. Não pode se casar com uma menor de 16 anos sem autorização dos pais, e se fizer sexo com uma menor de 14 anos estará cometendo um crime. Ninguém, nem os gays, acha que qualquer proibição dessas é um preconceito. Que discriminação haveria contra eles, então, se o casamento tem restrições para todos? Argumenta-se que o casamento gay serviria para garantir direitos de herança – mas não parece claro como poderiam ser criadas garantias que já existem. Homossexuais podem perfeitamente doar em testamento 50% dos seus bens a quem quiserem. Têm de respirar a “legítima”, que assegura a outra metade aos herdeiros naturais – mas essa obrigação é exatamente a mesma para qualquer cidadão brasileiro. Se não tiverem herdeiros protegidos pela “legítima”, poderão livremente doar 100% do seu patrimônio – ao parceiro, à Santa Casa de Misericórdia ou à Igreja do Evangelho Quadrangular. E daí?

A mais nociva de todas essas exigências, porém, é o esforço de transformar a “homofobia” em crime, conforme se discute atualmente no Congresso. Não há um único delito contra homossexuais que já não seja punido pela legislação penal existente hoje no Brasil. Como a invenção de um novo crime poderia aumentar a segurança dos gays, num país onde 90% dos homicídios nem sequer chegam a ser julgados? A “criminalização da homofobia” é uma postura primitiva do ponto de vista jurídico, aleijada na lógica e impossível de ser executada na prática. Um crime, antes de mais nada, tem de ser “tipificado” – ou seja, tem de ser descrito de forma absolutamente clara. Não existe “mais ou menos” no direito penal: ou se diz precisamente o que é um crime, ou não há crime. O artigo 121 do Código Penal, para citar um caso clássico, diz o que é um homicídio: “Matar alguém”. Como seria possível fazer algo parecido com a homofobia? Os principais defensores da “criminalização” já admitiram, por sinal, que pregar contra o homossexualismo nas igrejas não seria crime, para não baterem de frente com o princípio da liberdade religiosa. Dizem, apenas, que o delito estaria na promoção do “ódio”. Mas o que seria essa promoção? E como descrever em lei, claramente, um sentimento como o ódio?

Os gays já percorreram um imenso caminho para se libertar da selvageria com que foram tratados durante séculos e obter, enfim, os mesmos direitos dos demais cidadãos. Na iluminadíssima Inglaterra de 1895, o escritor Oscar Wilde purgou dois anos de trabalhos forçados por ser homossexual; sua vida e sua carreira foram destruídas. Na França de 1963, o cantor e compositor Charles Trenet foi condenado a um ano de prisão, pelo mesmo motivo. Nada lhe valeu ser um dos maiores nomes da música popular francesa, autor de mais de 1000 canções, muitas delas obras imortais como Douce France – uma espécie de segundo hino nacional de seu país. Wilde, Trenet e muitos outros foram homens de sorte – antes, na Europa do Renascimento, da cultura e da civilização, homossexuais iam direto para as fogueiras da Santa Madre Igreja. Essas barbaridades não foram eliminadas com paradas gay ou projetos de lei contra a homofobia, e sim pelo avanço natural das sociedades no caminho da liberdade. É por conta desses progressos que os homossexuais não precisam mais levar uma vida de terror, escondendo sua identidade para conseguir trabalho, prover o seu sustento e escapar às formas mais brutais de chantagem, discriminação e agressão. É por isso que se tornou possível aos gays, no Brasil e no mundo de hoje, realizar o que é a maior e a mais legítima ambição: a de serem julgados por seus méritos individuais, seja qual for a atividade que exerçam, e não por suas opções em matéria de sexo.

Perder o essencial de vista, e iludir-se com o secundário, raramente é uma boa ideia.

Fonte: Vinacc

terça-feira, 13 de novembro de 2012

Socialistas e Gayzistas franceses batem em retirada

Socialistas franceses batem em retirada



Quando Francois Hollande e os socialistas franceses atingiram o poder em Maio deste ano, a aprovação do "casamento" homossexual, bem como a aprovação de outras medidas anti-vida e anti-família, pareciam inevitáveis. No entanto, e passados que estão alguns meses, Hollande e os seus aliados encontram-se na defensiva depois dos seus planos terem sido recebidos com uma oposição forte. Essa resistência é liderada por André Vingt-Trois, Arcebispo e Cardeal de Paris.

Vingt-Trois, tal como os líderes Protestantes, Judeus e Muçulmanos, expressaram de forma assertiva a sua oposição a estas medidas, e receberam o apoio de políticos conservadores e activistas pró-vida que organizaram um protesto de alerta no dia 23 de Outubro. Outros protestos de dimensão ainda maior estão agendados para os dias 17 e 18 desde mês.

O resultado consequente foi uma alteração significativa na opinião pública, cujas sondagens haviam revelado de modo consistente um apoio ao "casamento" homossexual e ao aborto. Segundo sondagens recentes levadas a cabo pela IFOP, comissionadas pela revista Le Figaro, a oposição à adopção homossexual aumentou 10% em apenas um mês, resultando numa maioria de 52% contra. Numa aparente resposta ao clamor, os socialistas adiaram o debate em torno da proposta de lei para o próximo ano.

O Cardeal Vingt-Trois está a apelar às pessoas que entrem em contacto com os seus representantes e façam saber a sua oposição ao que os socialistas classificam de "casamento para todos." Recentemente Vingt-Trois disse ao seguinte à imprensa:

Uma visão do ser humano que não reconheça diferenças sexuais seria uma decepção que abalaria os fundamentos da nossa sociedade e estabelecer formas de discriminação contra as crianças.

Denunciando "a pressão ostensiva de certos lobbies", Vingt-Trois acrescentou:

Isto não seria 'casamento para todos' mas sim casamento imposto a todos por parte duns poucos. Continuamos a apelar aos Cristãos e a todos que partilham da nossa perspectiva, que entrem em contacto com os seus representantes, escrevendo-lhes cartas, levando a cabo encontros e expressando-lhes as suas convicções.

A oposição de Vingt-Trois e ecoada por Claude Baty, líder da Federação Protestante de França e que afirma que "na criação, existe uma vontade de distinguir os sexos", e pelo Rabino Chefe de França, Giles Bernheim, que avisa que os activistas homossexuais buscam formas de "derrubar de forma definitiva" as diferenças sexuais.

A revolta tem também sido conduzida por vários mayors em jurisdições mais suburbanas e rurais, que declararam abertamente que não realizarão "casamentos" homossexuais, mesmo que a proposta de lei seja aprovada. Entre estes, o mais proeminente é Francois Lebel, mayor do 8º "Arrondisement" de Paris, que de modo destemido confrontou as sensibilidades liberais em Outubro último:

Amanhã, como é que alguém se oporá à poligamia em França, um princípio que só é tabu na civilização Ocidental? Porque é que a idade legal dos conjugues será mantida? E porquê proibir casamentos dentro da família, a pedofilia, e o incesto, que ainda são prácticas comuns no mundo?

O bispo de Toulon-Fréjus, Dominique Rey, afirma que já recolheu 100,000 assinaturas contra o "casamento" homossexual e já declarou as suas intenções de participar num protesto organizado pela Life Alliance, uma organização pró-vida e pró-família, que vai decorrer no próximo dia 17.

No dia seguinte, os activistas Católicos da "Civitas Institute", que a imprensa francesa classifica de "homofóbica" por esta denunciar o comportamento, também se manifestará contra a proposta de lei. O seu secretário geral , Alain Escada, afirma que indivíduos de 40 localizações diferentes serão trzidos para o evento.

Fonte: O Homossexualismo

sábado, 10 de novembro de 2012

Ore comigo...

Oh, Senhor meu Deus. Venho a tua presença neste momento, te agradecer pela vida, pela salvação, pela família abençoada e o lindo dia em tua presença. Obrigado pela oportunidade que tenho neste espaço virtual chamado Facebook, de glorificar o teu nome e divulgar o teu reino amado. Rogo por cada um dos meus 1.918 amigos. Alguns dos quais um tanto ausentes por motivos vários, mas a todos sem exceção, especialmente aos que lutam conosco nesta batalha da fé, defendendo os valores da família, a instituição que criaste e por isso é tão odiada por nossos adversários.

Cada um dos meus amigos cubra de bençãos e livramentos. Não temos claramente o que está por vir mas, pela tua palavra já sabemos o final, É SÓ VITÓRIA PARA O TEU POVO. Não importa quem fará a cara-feia, quem ameaçará, quem trairá, quem jogará pedras, quem humilhará, quem pisará. O que importa é que tenhamos sempre o teu amor e a tua presença bem pertinho de nós. Sem tua presença somos nada e nada faremos. Somos conscientes.

Peço tua benção prá vida de cada Homossexual que por este meu perfil passa. Pelo teu Santo Espírito, faça-os entender que não os odiamos. Isso é invenção do inferno. Os amamos pois, isso nos ensina o teu santo Evangelho. E fato é, que os que realmente os usam e ao seu sofrimento para sugar o Governo, não se importaram quando o degolador, esquartejador e incinerador de homossexuais esteve no Brasil, o Presidente do Irã. Os tais que nos acusam de Homofobia, foram lamber-lhes as botas. Não o denunciaram, por que temiam-no. Mas, criam coragem para acusar os que ajudam sempre os gays, aidéticos, leprosos, presidiários, marginalizados..., enfim. Faça-os, Senhor, compreender que retirando-se a influência cristã desta nação, virá a influência Muçulmana e então, será o fim deles e de todos.

Abençoe minha família, minha esposa Rosilda e filhinha Ester, amada mãe, pai e irmãos, tias, tios, primos e primas distantes, incluindo as que estão na Itália e Grécia.

Abençoe nosso amigo Marcelo Rodrigues e sua família abençoada, nesta linda terra chamada Alhandra, que não é mais terra de Jurema mas, sim terra do Senhor Jesus Cristo. Dê cada vez mais sabedoria ao teu filho e o livre do mal pois, muitos intentarão o mal contra teu Servo mas, o Senhor é maior em sua vida. Sê com teu filho Pai, ensinando o caminho da humildade, prudência e mansidâo. E que ele não dê ouvidos às línguas ferinas que só sabem dividir o povo pois, não o ajudarão em nada. Envia homens sábios para lhe aconselhar em sua administração afim de que todos saibam, que ÉS O VERDADEIRO DONO DE ALHANDRA.

Tenha misericórida de nossas autoridades Brasileiras, punam os que roubam nossa nação, nossa pátria. Os que levam nosso Nióbio, nosso Ouro, Nossas riquezas e armam laços ocultamente contra nosso povo. Levanta-te Senhor e faze Justiça! Ouve o clamor dos 12 milhões que padecem de sede no Sertão e vêem seu gado morrer, sua fonte de sustento. Envia chuva, Pai. Já que as autoridades constituidas só pensam em "Pão e Circo". Olha para os Pobres desta nação. Olha para os Policiais de São Paulo, que estão sendo massacrados pelas forças das trevas. Elas te representam na terra. Não deixe o mal prevalecer. Console as famílias enlutadas. Guarde os que estão nas ruas se arriscando.

Tenha Misericórdia de nossos irmãos Americanos. Olha os intentos deste homem, Obama, que procura a todo custo ofender tua Noiva na América. Livra teus filhos de uma Guerra Civil. De derramamento de sangue a mais. Opera um grande Avivamento nos EUA, que também venha sobre o Brasil. Atinja a Europa e incendeie novamente este mundo que É TEU!

Obrigado por tudo Senhor. Nos ensine a usar os recursos tecológicos para a Glória do teu excelso nome. E que sejamos sim, a Igreja viva do Senhor, no Facebook. Dá-nos uma noite de paz e um sono reparador a todos. Em nome do Senhor Jesus Cristo. Amém.

Ricardo Ribeiro
Vosso Conservo.

A Farsa do Ativismo Gay no Brasil. Lula afaga o Carrasco dos Gays e a Militância LGBT vai render-lhe homenagens. 'Ah, mas, os Homofóbicos são os Cristãos, esses malditos!'


 Sabe quem mandou enforcar esses homossexuais? Não foi nenhum cristão. Foi um amigo de Lula, o Presidente do Irã, Armadinejah. Ele esteve no Brasil e sabe o que o PT, PSol e outros partidos fizeram? Foram lamber suas botas. Prestar homenagens e solidariedade. Nenhuma palavrinha gritando "Fora Homofóbico!" foi ouvida. Nem Jeam Wyllys, nem Marta Suplicy, nem Tony Reis disseram NADA. Não tiveram coragem. Agora contra os Cristãos que ajudam a esse povo, eles tem coragem para gritar, ameaçar, processar e o escambau. CHEGA DESSA FARSA!!! DETENHAM OS ATIVISTAS GAYS JÁ!!!!ELES ESTÃO LUCRANDO EM CIMA DO SOFRIMENTO DOS HOMOSSEXUAIS E NÃO COMBATEM HOMOFOBIA COISA NENHUMA!!! (Quer ver que vou ser bloqueado de novo pela 8ª vez no Facebook, cujos donos são Homoativistas, clique aqui para ver. ELES NÃO MUDAM, NEM EU. DIVULGUEM ESSA VERDADE OMITIDA PELA IMPRENSA)



quinta-feira, 8 de novembro de 2012

Reeleição de Obama: Da Certidão Falsa de Nascimento à paralisação ridícula do Império ou a Aranha que imobilizou a Águia.

12 de junho de 2012


Estados Unidos estão paralisados diante de Obama

Falsificações de Obama são claras, mas, mergulhados em seus próprios pecados, EUA não conseguem reagir

Julio Severo
Quem diria: a aranha paralisou a águia!
Pela lei dos EUA, só pode ser presidente quem nasceu nos EUA. Obama conseguiu “provar” que nasceu nos EUA, com documentações que hoje são colocadas em dúvida. A dúvida maior veio no mês passado, quando veio à tona que um livreto promocional de autoria de Obama, publicado em 1991, revelava que o futuro presidente dos EUA “nasceu no Quênia”.
Os defensores de Obama alegam que a editora Dystel & Goderich cometeu um erro, mas a editora, como padrão, requer que todos os autores escrevam suas próprias informações biográficas. Além disso, o “erro” permaneceu de 1991 a 2007!
Em 2004, a Associated Press disse que Obama, que estava então se candidatando ao Senado nos EUA, havia nascido no Quênia.
São informações importantes, mas o Partido Democrático, que defendeu a candidatura presidencial de Obama em 2008, pouco se importou com a lei americana que proíbe estrangeiros de se candidatar à presidente.
O Partido Republicano, que costuma fazer oposição amistosa ao descarado esquerdismo do Partido Democrático, não quis questionar o fato de que Obama estava desqualificado para concorrer à presidência da maior potência do mundo.
Obama não enfrentou problemas na sua ilegalidade. O Partido Democrático estava paralisado pela ideologia politicamente correta e anticristianismo doentio. O Partido Republicano estava e está paralisado pelo puro idiotismo. E a justiça americana se mostrou igualmente paralisada diante de Obama, como se ele fosse um messias acima das leis.
A própria imprensa da Rússia, perplexa diante do silêncio ensurdecedor da mídia americana nessa questão, tem dado oportunidades para americanos fazerem cobranças sobre as falsificações da certidão de nascimento de Obama.
A eleição de Obama foi também provavelmente o mais poderoso golpe e zombaria de Satanás contra os EUA.
O governo do presidente anterior, George W. Bush, invadiu o Iraque islâmico e derrotou Saddam Hussein só para ver o governo de seu próprio país sendo tomado por outro Hussein. O nome oficial do queniano é Barack Hussein Obama, cuja família no Quênia é islâmica.
É quase como se, logo depois da 2ª Guerra Mundial, o diabo tivesse conseguido empossar nos EUA um presidente nazista. E teria conseguido, se a imprensa e a elite americana tivessem pregado durante anos o “nazismo como religião de paz”.
No caso do islamismo, a religião de todos os integrantes do grupo que cometeu o maior ataque terrorista da história dos EUA em 11 de setembro de 2001, a imprensa e a elite dos EUA tinham apenas uma reação, pregação e propaganda: o islamismo é uma religião de paz.
O próprio Bush, um conservador em vários aspectos morais, caiu na mesma armadilha: começou a pregar, feito papagaio, que a religião dos terroristas era uma “religião de paz”.
Não deveria ser então surpresa nenhuma que os EUA que derrubaram um Hussein no Iraque ganharam depois um Hussein na própria Casa Branca.
E esse Hussein queniano que conquistou a maior potência do mundo tem a mesma religião de seus parentes quenianos: a religião que trouxe “paz” para as Torres Gêmeas de Nova Iorque. A religião do “descanse em paz”.
Mas como é que ninguém ficou sabendo da religião de Obama?
O Pr. Jeremiah Wright, que fez o casamento de Obama e foi seu conselheiro espiritual durante 20 anos, afirmou que sofreu tentativa de suborno para ficar de boca fechada durante a primeira campanha presidencial de Obama.
O Pr. Wright declarou que Obama era realmente muçulmano.
A revelação veio através do escritor Ed Klein, autor de recente biografia de Obama. Klein esteve no mês passado no programa de Sean Hannity da Fox News. O programa transcorreu assim:
Apresentador Sean Hannity da Fox News: “Aqui está o escritor Ed Klein. Faremos o que a grande mídia não fará, mostraremos a gravação a recente entrevista dele com o Rev. Reverend Jeremiah Wright…”
KLEIN: Alguma vez você achou que ele era muçulmano?
WRIGHT: Sim…
HANNITY: O que você pensa disso?
KLEIN: Quando perguntei ao Rev. Wright sobre essa questão toda de islamismo e Cristianismo, ele disse: “Sabe, Barack Obama estava impregnado de islamismo desde sua infância. Mas ele sabia muito pouco de Cristianismo. E facilitei para ele não sentir-se culpado por aprender sobre o Cristianismo sem voltar as costas aos amigos islâmicos dele”.
Na atual campanha de reeleição de Obama, seu antigo pastor não precisou de nenhuma tentação de suborno para ficar de boca fechada.
É óbvio, nessa altura, que Obama percebeu que todos estão paralisados diante de sua imagem. A nação mais poderosa do mundo está impotente diante de um messias político com um histórico de falsificações morais e legais. O Hussein queniano foi mais esperto do que os americanos. O adepto da religião do “descanse em paz” hipnotizou uma nação. O Hussein do Quênia chegou a alturas que o Hussein do Iraque nunca teria sonhado.
Se o Hussein do Iraque pudesse ver hoje na Casa Branca o Hussein do Quênia, ele diria: “Descanse em paz, EUA”.
Quando um passarinho cai na teia, a aranha termina com um grande banquete.
Quem diria que um queniano com histórico muçulmano colocaria os EUA em estado de paralisação.
Mergulhados em seus próprios pecados, os EUA estão efetivamente paralisados pelo veneno das ideologias politicamente corretas, medo, anticristianismo doentio e idiotismo.
A aranha paralisou a águia.
Versão em inglês deste artigo: America paralyzed by Obama
Versão em espanhol deste artigo: Estados Unidos está paralizado por Obama
Presidente da Gâmbia: Preferimos comer capim a aceitar a conduta homossexual
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...