domingo, 31 de março de 2013

Enquanto é apedrejado pelos Terroristas LGBTs, Marco Feliciano vai à Bolívia ajudar Corintianos presos - Isso é Direitos Humanos.

Marco Feliciano vai para Bolívia interceder por torcedores conrinthianosDepois de visitar o consulado da Bolívia, o pastor foi convidado a ir à Bolívia para acompanhar de perto o caso dos brasileiros suspeitos de matar um jovem durante uma partida de futebol

Publicação: 25/03/2013 13:20 Atualização: 25/03/2013 13:57

Enfrentando forte pressão para deixar a presidência da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, desde que assumiu o cargo, o pastor Marco Feliciano (PSC-SP) anunciou no domingo (24/3), por meio de um post no site dele, que viajará à Bolívia para acompanhar de perto a situação dos torcedores do Corinthians detidos desde fevereiro.

A viagem oficial deve ocorrer nos próximos dias. Enquanto isso, o deputado visitou o consulado da Bolívia para apresentar um requerimento ao embaixador Jerjes Justino Talavera, que prevê ajudar os torcedores corinthianos suspeitos de participarem da morte do boliviano Kevin Douglas Beltrán Espada, de 14 anos, durante o jogo San José x Corinthians. O crime ocorreu em 20 de fevereiro. 

Leia mais notícias em Política

O diplomata boliviano explicou ao pastor sobre a constituição daquele país e disse que há caminhos para a Comissão de Direitos Humanos encontrar uma solução para o caso dos torcedores presos na Bolívia. O embaixador aproveitou o encontro para convidar Feliciano para viajar à Bolívia e acompanhar o caso de perto. 

A assessoria de imprensa do parlamentar não confirmou a data em que Marco Feliciano viajará para Bolívia.
 

Herege e Herói dos Gayzistas, Ricardo Gondin defende causa LGBT contra Marco Feliciano, patrocinado pela Globo.



No mesmo dia que viu seu rosto num boneco de “judas” em uma manifestação da Federação de Umbanda e Candomblé do Distrito Federal, o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara, foi criticado publicamente por um pastor evangélico.

O jornal Estado de São Paulo publicou uma entrevista com o pastor Ricardo Gondim. Após ter passado anos como um dos mais influentes pensadores da igreja brasileira, Gondim rompeu com parte do movimento evangélico, depois ter sido atacado e chamado de herege, por suas críticas à chamada “teologia da prosperidade”.

O líder da Igreja Betesda, que já foi da Assembleia de Deus, denominação de Feliciano, foi bastante enfático: “A permanência do pastor Marco Feliciano no cargo de presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara desgasta a imagem do mundo evangélico no País, provoca constrangimentos e rejeições… O desgaste para o mundo evangélico já é patente. Existe o risco de rejeição ao grupo. Se ele realmente se vê como representante do mundo evangélico no parlamento, a renúncia seria a atitude mais lúcida diante do atual estado de coisas”.

Mestre em ciências da religião, Gondim, 58, também criticou as declarações de Feliciano no Twitter, afirmando de que a África e seus habitantes seriam amaldiçoados por Deus. “Tal tipo de teologia é racista e fundamentalista na sua essência”. Esse tipo de pensamento foi gerado centenas de anos atrás para justificar a escravidão, mas permanece vivo em alguns segmentos evangélicos, sobretudo nos que são mais influenciados pelos Estados Unidos.

Para o influente autor e teólogo, Marco Feliciano “pouco representa as tendências protestantes. Foi eleito por um segmento muito alienado politicamente. Candidatos como ele são eleitos, geralmente, para se tornarem os representantes de sua igreja no parlamento. Eles se preocupam mais com os interesses da igreja do que com as questões que dizem respeito a todo o País”.

O pastor Gondim vai além, dizendo acreditar que a união civil dos homossexuais deve ser aceita, pois o Estado é laico.

“A comunidade gay aspira por relacionamentos juridicamente estáveis e, na minha opinião, as demandas civis de qualquer grupo precisam ser contempladas pela sociedade e seus órgãos de representação”, assevera.

Curiosamente, também neste sábado Feliciano apagou todas as imagens de sua conta na rede social Instagram. Pelo Twitter, explicou “Fui obrigado a retirar as fotos, pois não há limites para a crueldade das pessoas em seus recados”. Disse ainda estar feliz com “as milhares mensagens de apoio” que tem recebido de pessoas “de todas as religiões, inclusive aos que não tem religião”. Com informações IG e Estadão.

Fonte: Gospel Prime

sábado, 30 de março de 2013

Federação Humbandista coloca boneco de Marco Feliciano prá ser linchado por crianças.

30/03/2013 17h12 - Atualizado em 30/03/2013 17h47

Manifestantes malham boneco de 

 

 

 

Feliciano em frente ao Congresso

 

Grupo aproveitou tradição de malhar o Judas para organizar o protesto.
Ato teve ainda cartazes contra 'intolerância religiosa, racial e sexista'.

Do G1, em Brasília

Manifestantes malharam um boneco do deputado Marco Feliciano (PSC-SP) neste sábado (30) em frente ao Congresso Nacional, em Brasília, numa referência à malhação do Judas, tradição dos sábados de Aleluia.  O grupo responsável pelo ato representa a Federação de Umbanda e Candomblé do Distrito Federal e da região do entorno de Brasília. Além do boneco de Feliciano, os manifestantes levaram cartazes em que criticavam a "intolerância religiosa, racial e sexista".
Manifestantes malham boneco do deputado Marco Feliciano (PSC-SP) em frente ao Congresso neste sábado de Aleluia  (Foto: Reprodução/TV Globo)Manifestantes malharam boneco do deputado Marco Feliciano (PSC-SP) em frente ao Congresso neste sábado de Aleluia (Foto: TV Globo/Reprodução)
Desde sua eleição para presidir a Comissão de Direitos Humanos da Câmara, Feliciano sofre pressão para deixar o posto por conta de declarações consideradas homofóbicas e racistas. A pressão se avolumou após o deputado ter divulgado vídeo que equipara as manifestações a "rituais macabros".
Na última terça-feira (27), durante audiência pública na Câmara, Feliciano afirmou que precisa ser “respeitado” como “todo ser humano”. “Conseguimos vencer uma barreira e mostramos que democracia é isso e, às vezes é preciso tomar medidas, não medidas austeras, mas à luz do regimento interno. Um parlamentar precisa ser respeitado, como todo ser humano precisa ser respeitado”, afirmou na ocasião.
Fonte: G1

Joelma compara gays a drogados e diz ser contra casamento homossexual

Joelma surpreende com declarações polêmicas/ Foto: Reprodução
Misture uma voz potente a um bate-cabelo inconfundível: isso é Joelma, o furacão louro por trás da banda Calypso, formada há 14 anos com o marido, o guitarrista Chimbinha. Em 2013, os planos estão a toda: eles preparam um CD em espanhol, outro de música gospel, um DVD acústico e o longa ‘Isso é Calypso — o Filme’, com gravações em maio, no Pará e no Rio de Janeiro.
De segunda a quarta, ela diz que reserva os dias para malhar e rezar. Há quatro anos, converteu-se à religião evangélica, depois que sofreu uma estafa. “Maltratei meu organismo porque trabalhava todos os dias da semana e tive um piripaque, uma alergia crônica que quase me sufocou. Deus salvou minha vida”.
Ela afirma que as roupas e atitudes sexy não destoam da fé. “Uso aquelas roupas curtas e rebolo, mas, quando falo de Deus, todo mundo entende”. Indagada sobre a legião de fãs gays, sai do tom. “Tenho muitos fãs gays, mas a Bíblia diz que o casamento gay não é correto e sou contra”. Acrescenta que, se tivesse um filho nessa situação, “lutaria até a morte para fazer sua conversão”. “Já vi muitos se regenerarem. Conheço muitas mães que sofrem por terem filhos gays. É como um drogado tentando se recuperar”.
“Não sou uma mulher sexy e morro de rir desse título. Sou um moleque. Não consigo ser daquela maneira fora do palco. Usava bermudão para dormir, mas agora comprei uns pijaminhas”, conta. Casada com Chimbinha há 16 anos, Joelma conta que o a chama não se apagou: “O rala e rola melhorou bastante com o tempo. Quero ter um filho aos 45 anos. É uma promessa de Deus para mim”. Chimbinha também é evangélico? “É, mas não tão maluco quanto eu”.
Joelma aprovou a escolha de atriz Deborah Secco para interpretá-la no cinema. “Ela veio aqui em casa e trocamos figurinha. Ela terá que ter uma reserva de energia muito grande porque as coreografias pedem. Mas a Deborah já fez balé e sabe dançar. Quando cantou com Chimbinha, mostrou que é afinada”. Sobre o filme, conta que sua única exigência foi que a produção usasse nos personagens o sotaque do Pará. “Nada na minha vida eu fiz para ganhar dinheiro. Quero que Deborah passe a verdade e nada que vise o lado mais comercial”.

Fonte: Época

Travesti denuncia que Homossexuais estão se vestindo igual a eles para assaltar clientes - Nunca foram Unidas!

Publicado em 28 de março de 2013 por Da Redação


Jéssica Rodrigues, presidente da ONG Boneca de Pano

A presidente da ONG Boneca de Pano, que defende o direito das travestis em Parnaíba, denunciou ao portalcostanorte.com que alguns homossexuais estariam se passando por travestis para assaltar clientes.

Jéssica Rodrigues começou esclarecendo que há uma diferenciação entre o que chamou de “gays” e travestis: “O primeiro se veste como homem de dia ou o tempo todo, já a outra está sempre caracterizado como mulher”.

Segundo ela, estes “gays” estão se disfarçando de travestis e indo para o conhecido ponto de prostituição na Avenida Pinheiro Machado, região do bairro Rodoviário, com o objetivo de assaltar os clientes que buscam programas.

“Meu objetivo com essa denúncia é mostrar para o parnaibano que além da imagem do travesti está bastante denegrida, estes gays estão acabando mais ainda. Queremos com isso pedir uma ação mais efetiva da polícia”, explicou.

Outro problema diz respeito à questão da violência. “Já que os clientes assaltados não tem coragem de registrar uma queixa na delegacia temendo o estigma social, o medo é que eles façam justiça com as próprias mãos”, completa.

Por Daniel Saturnino

Fonte:  Portalcostanorte

Homossexualismo existe entre os animais?

Homossexualismo existe entre os animais?

Olá, leitores.

Confesso que fiquei um pouco receoso de postar algo sobre o tema "homossexualismo", visto que não faz parte diretamente do escopo do blog, e pode me gerar mais polêmica do que eu posso gerir. Enfim, eu apenas achei este texto muito interessante, o encontrei por acaso no blog "Descontradizendo Contradições" (ver na aba lateral da página), que por sua vez tinha copiado do blog "Não quero ser gay". O texto não é repleto de achismos, e traz uma argumentação no mínimo consistente sobre um tema que é campeão de motivação de debate entre cristãos e ateus: o homossexualismo é ou não algo natural? Uma das principais argumentações do pró-homossexualismo consiste em justificar o ato como natural baseado na observação de tal comportamento entre os demais animais. O artigo a seguir pretende descartar este mito.

AVISO: Antes que começe a polêmica e as acusações de homofobia (hoje em dia está perigoso falar sobre  o assunto), quero lembrar que o objetivo deste blog é divulgar e questionar conhecimento científico que corrobora o cristianismo ou que refuta o ateísmo. Não é minha intenção causar danos morais a ninguém, muito menos ofender ou acusar de 'pecador'. Minha intenção é justamente mostrar a inconsistência de um dos argumentos que sustentam a doutrina pró-homossexual.

O mito do "homossexualismo animal"
Luiz Sergio Solimeo

Em seu esforço para apresentar o homossexualismo como normal, o movimento homossexual(1) virou sua atenção para a ciência para provar três maiores premissas:

  1. Homossexualismo é genético ou inato;
  2. Homossexualismo é irreversível;
  3. Na medida em que animais se engajam em comportamento sexual do mesmo sexo, o homossexualismo é natural.

Entusiasticamente sabedora de sua inabilidade em provar a primeira das duas premissas,(2) o movimento homossexual firma suas esperanças em uma terceira, a "homossexualismo animal".(3)

Animais fazem, assim é natural, correto?

O argumento por trás da teoria da "homossexualismo animal" pode ser resumida como se segue:

  • Comportamento Homossexual é observável em animais.
  • Comportamento animal é determinado pelos seus instintos.
  • A natureza requer que animais sigam seus instintos.
  • Portanto, o homossexualismo está de acordo com a natureza animal.
  • Desde que o homem também é animal, o homossexualismo deve também estar de acordo com a natureza humana.

Essa linha de raciocínio é insustentável. Se aparentemente os atos "homossexuais" entre animais estão de acordo com a natureza animal, então a matança paterna da prole e devora entre espécies estão de acordo com a natureza animal. Induzir o homem ao interior da equação complica as coisas mais adiante. Nós estamos para concluir que o filicídio e o canibalismo estão de acordo com a natureza humana?

Em oposição a essa linha de raciocínio, esse artigo sustenta que:

1. Não há "instinto homossexual" em animais,

2. A ciência é pobre em "ler" motivações humanas e sentimentos no interior do comportamento animal, e

3. Comportamento irracional animal não é parâmetro para determinar o que é comportamento moralmente aceitável para homem racional.

1. Não há instinto homossexual em animais

Qualquer pessoa empregada na mais elementar observação animal é forçada a concluir que "homossexualismo" animal, "filicídio" e "canibalismo" são exceções ao comportamento normal animal. Conseqüentemente, eles não podem ser chamados de instintos animais. Essas observáveis exceções ao comportamento normal animal resultam de fatores além de seus instintos.

Confrontando estímulo e Instintos Animais Confusos

Para explicar esse comportamento anormal, a primeira observação deve ser o fato que os instintos animais não são restritos pelo determinismo absoluto das leis físicas governando o mundo mineral. Em graus variantes, todos seres viventes podem se adaptar às circunstâncias. Eles respondem a estímulos internos ou externos.

Segundo, cognição animal é puramente sensorial, limitada ao som, odor, tato, gusto e imagem. Assim, aos animais falta a precisão e clareza da percepção intelectual humana. Portanto, os animais freqüentemente confundem uma sensação com outra ou um objeto com outro.

Terceiro, instintos de um animal dirigem-se rumo ao seu fim e estão de acordo com sua natureza. Porém, o impulso espontâneo pode sofrer modificações conforme cumpra seu curso. Outras imagens sensoriais, percepções ou lembranças podem agir como novo estímulo afetando o comportamento animal. De mais a mais, o conflito entre dois ou mais instintos pode algumas vezes modificar o impulso original.

No homem, quando duas reações instintivas se confrontam, o intelecto determina o melhor curso a seguir, e a vontade então retém um instinto sob controle enquanto encoraja o outro. Com animais faltam esse intelecto e vontade, quando dois impulsos instintivos se confrontam, o mais favorecido pelas circunstâncias em prevalência.(4)

Em tempos, esses estímulos internos ou externos afetando impulsos instintivos de um animal, resultam em casos de "filicídio", "canibalismo" e "homossexualismo animal".

"Filicídio" e "Canibalismo" Animal

Sarah Hartwell explica que gatos matam sua cria depois de receber "sinais misturados" de seus instintos:

A maioria dos gatos fêmea podem alternar entre o "modo brincar" e o "modo caçar" com vistas a não danificar sua prole. Em gatos isso essa troca por "modo caçar" pode ser incompleta e, quando eles se tornam altamente estimulados pela brincadeira, o instinto de "caça" vem com força e eles podem matar os gatinhos. O instinto de caçar é tão forte, e tão duro para trocá-los quando a presa está presente, que o desmembramento e até comer o gatinho pode se suceder.


Compare o tamanho, som e atividade de gatinhos com tamanho, som e atividade da presa. Ambos são pequenos, tem vozes berrantes e movem-se com movimentos rápidos e instáveis. Tudo isso desperta o comportamento de caça. No gato, o comportamento maternal sempre exceed o comportamento de caça e ela banqueteia os gatinhos exatamente da mesma forma que ele banquetearia a pequena presa. Seus instintos são confusos.(5)

A respeito do canibalismo animal, a Revista Iran Nature and Wildlife registra:

O canibalismo é mais comum entre vertebrados mais baixos e invertebrados, freqüentemente devido a um animal predatório errando uma de sua própria espécie como presa. Mas também ocorre entre pássaros e mamíferos, especialmente quando a comida é escassa.(6)

Animais Carecem de Meios pra Expressar suas Situações Afetivas

Em estimular e confrontar instintos, porém, nós devemos acrescentar um outro fator: expressando suas situações afetivas, um animal é radicalmente inferior a um homem.

Posto que aos animais carece a razão, seus meios de expressar suas situações afetivas (medo, prazer, dor, desejo etc.) são limitados. Aos animais carece a riqueza de recursos na disposição humana para expressar seus sentimentos. Os homens podem adaptar seu modo de falar, escrever, observar, gesticular em caminhos enormes. Os animais não. Conseqüentemente, os animais freqüentemente expressam suas situações afetivas ambiguamente. Eles "copiam" assim o falar, as manifestações do instinto de reprodução para manifestar os instintos de dominação, agressividade, medo, sociabilidade e por aí vai.

Explicando Aparentemente Comportamento "Homossexual" Animal

Bonobos são um típico exemplo dessa "cópia". Esses primatas da família chimpanzé se engajam em comportamento aparentemente sexual para expressar aceitação e outras situações afetivas. Assim, Frans B. M. de Waal, que gastou centenas de horas observando e filmando bonobos, afirma: 
Há duas razões para acreditar que atividade sexual seja a resposta dos bonobos a evitar conflito.


Primeiro, qualquer coisa, não somente comida, que estimula o interesse de mais do que um bonobo em um tempo tende a resultar em contato sexual. Se dois bonobos aproximam-se de um caixa de papelão atirada no interior de sua área, eles brevemente montarão um no outro antes de brincar com a caixa. Tais situações conduzem a disputas na maioria das outras espécies. Mas os bonobos são totalmente tolerantes, talvez porque eles usam o sexo para desviar a atenção e para difundir tensão.


Segundo, o sexo bonobo freqüentemente ocorre em contextos agressivos totalmente sem ligação com a comida. Um macho desconfiado poderia seguir um outro longe da fêmea, depois o que os dois machos se reúnem e se engajam em fricção escrotal. Ou depois que uma fêmea golpeia uma jovem, a mãe da segunda pode empurrar o agressor, uma ação que é imediatamente seguida por fricção escrotal entre os dois adultos.(7)

Como bonobos, outros animais montarão em outros do mesmo sexo e se engajarão em aparentemente comportamento "homossexual", embora sua motivação possa diferir. Cachorros, por exemplo, habitualmente fazem isso para expressar dominação. Cesar Ades, etólogo e professor de psicologia na Universidade de São Paulo, Brasil, explica que "Quando dois machos se emparceiram, o que está presente é uma demonstração de poder, não de sexo."(8)

Jacque Lynn Schultz, Diretor de Projetos Especiais de Ciências Animais da ASPCA, explica mais adiante:

Usualmente, um cachorro macho não esterilizado montará em um outro cachorro macho como uma exibição de dominação social – em outras palavras, como um caminho de permitir o outro cachorro saber quem é o chefe. Embora não seja freqüente, um cachorro fêmea poderia montar pela mesma razão.(9)

Cachorros montarão também em um outro por causa da veemência de sua puramente reação química ao cheiro de um cio fêmeo:

Não surpreendentemente, o cheiro de um cachorro fêmea no cio pode instigar um frenesi de comportamentos de montar. Até outras fêmeas que não estão no cio montarão naquelas que estão. Machos montarão em machos que tenham estado somente com estro fêmea se eles ainda reproduzem seu odor…. E machos que capturam o vento do odor de estro pode montar na primeira coisa (ou pessoa azarada) que eles se envolvam em contato.(10)

Outros animais se engajam em aparentemente comportamento "homossexual" porque eles falham em identificar o outro sexo propriamente. Nas espécies mais baixas no reino animal, a mais tênue e difícil em detectar são as diferenças entre os sexos, conduzindo a mais freqüente confusão.


Animais "Homossexuais" Não Existem

Em 1996, o cientista homossexual Simon LeVay admitiu a evidência assinalada a atos isolados, não o homossexualismo:

Embora o comportamento homossexual seja mais comum no reino animal, parece ser muito incomum que animais em particular tenham uma predisposição permanente em se engajar em tal comportamento à exclusão de atividades heterossexuais. Assim, uma orientação homossexual, se alguém pode falar de tal coisa nos animais, parece ser uma raridade.(11)

A respeito das aparências "homossexuais" de algum comportamento animal, esse comportamento não deriva de um instinto "homossexual" que é parte da natureza animal. Dr. Antonio Pardo, Professor de Bioética na Universidade de Navarra, Espanha, explica:

Propriamente falando, o homossexualismo não existe entre animais…. Por razões de sobrevivência, o instinto reprodutivo entre animais é sempre dirigida rumo a um indivíduo do sexo oposto. Portanto, um animal nunca pode ser homossexual com tal. Todavia, a interação de outros instintos (particularmente a dominação) pode resultar em comportamento que parece ser equacionado com uma "homossexualismo animal". Tudo isso significa que o comportamento sexual animal abrange aspectos além daqueles da reprodução.(12)

2. É não-científico "ler" motivação e sentimento humanos no comportamento animal

Como muitos ativistas dos direitos dos animais freqüentemente "lêem" motivação e sentimento humano dentro do comportamento animal. Enquanto isso, aproximação antropopático aproveita cidadania completa nos reinos da arte, literatura e mitologia que faz pela pobre ciência. Dr. Charles Socarides do National Association for Research and Therapy of Homosexuality (NARTH) observa:

O termo homossexualismo deveria ser limitado a espécies humanas, porque em animais o investigador pode certificar-se somente de comportamento motor. Tão logo ele interprete a motivação animal, ele está aplicando psicodinâmica humana -- uma arriscada, se não apressada aproximação científica.(13)

O etologista Cesar Ades explica a diferença entre relações sexuais humana e animal:

Seres humanos têm sexo de uma forma, enquanto animais tem de outra.


Sexo humano é uma questão de preferência onde alguém escolhe a pessoa mais atrativa para ter prazer. Isso não é verdadeiro com animais. Para eles, isso é uma questão de acasalar-se e reprodução. Não há prazer físico ou psicológico….O cheiro é decisivo: quando uma fêmea está no cio, ela emite um odor, conhecido como feromônio. O odor atrai a atenção do macho, e faz com que ele queira acasalar-se. Esse é o intercurso sexual entre animais. É a lei da natureza.(14)

Até o biológo Bruce Bagemihl, cujo livro Exuberância Biológica: homossexualismo animal e Diversidade Natural foi citado pela Associação Psicológica Americana e a Associação Psiquiátrica Americana em seu resumo amici curiae em Lawrence v. Texas e é angariado como prova que o homossexualismo é natural entre animais, é cuidadoso a incluir em uma advertência:

Qualquer descrição de homossexualismo e animais transgêneros é também necessariamente uma descrição de interpretações humanas a esses fenômenos.…Nós estamos no escuro a respeito da experiência interna dos participantes animais: como resultado, os preconceitos e limitações do observador humano –tanto na reunião como na interpretação de dados- vêm a frente nessa situação.….Com pessoas nós podemos falar diretamente a indivíduos (ou ler descrições escritas)….Com animais em contraste, nós podemos freqüentemente diretamente observar seus comportamentos sexuais (e associados), mas somente podemos inferir ou interpretar seus significados e motivações.(15)

A interpretação do Dr. Bagemihl, porém, por toda o seu livro de 750 páginas favorece sem vergonha a teoria da "homossexualismo animal". Suas páginas são preenchidas com descrições de atos animais que teriam uma conotação homossexual em seres humanos. Dr. Bagemihl não prova, porém, que esses atos tenham o mesmo significado para animais. Ele simplesmente lhes dá uma interpretação homossexual. Não surpreendentemente, esse livro foi publicado pela Stonewall Inn Editions, "uma impressão da St. Martin's Press dedicada aos livros de interesse de gays e lésbicas."

3. Comportamento irracional animal não é plano para o homem racional 

Alguns pesquisadores estudando comportamento "homossexual" animal extrapolam do reino da ciência ao interior daquele da filosofia e moralidade. A razão desses estudiosos da premissa que se animais fazem isso, está de acordo com sua natureza e assim é bom para eles. Se é natural e bom para animais, eles continuam, é também natural e moralmente bom para o homem. Porém, a definição da natureza humana pertence não ao reino da zoologia ou biologia, mas da filosofia, e a determinação do que seja moralmente bom para o homem pertence à ética.

Dra. Marlene Zuk, professora de biologia na Universidade da Califórnia em Riverside, por exemplo, declara:

Sexualidade é um termo muito mais largo do que as pessoas querem pensar. Você tem essa idéia que o reino animal é estrito, católico romano antiquado, que eles têm sexo para procriar. … Repressão sexual significa mais do que fazer bebês. Por que nós estamos surpresos? Pessoas são animais.(16)

Simon LeVay se entrete com a esperança que o entendimento do "homossexualismo" animal ajudará mudanças nos costumes sociais e crenças religiosas a respeito do homossexualismo. Ele declara que "parece possível que o estudo do comportamento sexual em animais, especialmente em primatas não-humanos, contribuirá para a liberalização das atitudes religiosas rumo a atividade homossexual e outras formas de sexo não-procriativo. Especificamente, esses estudos desafiam um particular senso do dogma que o comportamento homossexual seja 'contra a natureza': a noção que é única àquelas criaturas que, experimentando a fruta da árvore do conhecimento, tem somente se tornado moralmente culpável".(17)

Outros pesquisadores sentem-se compelidos a apontar a impropriedade de transpor comportamento animal ao homem. Embora muito favorável à interpretação homossexual do comportamento animal, Paul L. Vasey, da Universidade de Lethbridge no Canadá, todavia previne:

Para algumas pessoas, o que os animais fazem é um parâmetro do que é e não é natural. Eles fazem um salto em dizer se isso é natural, isso é moralmente e eticamente desejável. Infaticídio é freqüente no reino animal. Para se aventurar em dizer que é desejável não faz nenhum sentido. Nós não deveríamos estar usando animais para esculpir políticas morais e sociais para as espécies de sociedades humanas que nós queremos viver. Animais não tomam cuidado com os idosos. Eu não penso particularmente que deveria ser uma plataforma para fechar casas de assistência.(18)

O reino animal não é lugar para o homem procurar um padrão para moralidade humana. Esse padrão, com o bioeticista Bruto Maria Bruti registra, deve ser procurado no próprio homem:

É um erro freqüente para as pessoas contrastar comportamento humano e animal, como se os dois fossem homogêneos. …. As leis governando o comportamento humano são de uma natureza diferente e elas deveriam ser procuradas onde Deus as inscreveu, em outras palavras, na natureza humana.(19)

O fato que o homem tenha um corpo e uma vida sensitiva em comum com animais não significa que ele seja estritamente um animal. Nem significa que ele seja metade animal. Um homem racionalmente impregna a totalidade de sua natureza de forma que suas sensações, instintos e impulsos não sejam puramente animais, mas tenham aquele selo de racionalidade que os caracteriza como humano.


Assim, o homem é caracterizado não pelo que ele tem em comum com os animais, mas pelo que o diferencia deles. Essa diferenciação é fundamental, não acidental. O homem é um animal racional. A racionalidade do homem é o que faz a natureza humana única e fundamentalmente distinta da natureza animal.(20)

Considerar o homem estritamente como um animal é negar sua racionalidade e, portanto, seu livre arbítrio. Da mesma forma, considerar animais como se eles fossem humanos é atribuir-lhes uma não existente racionalidade.

Da Ciência para a Mitologia

A pesquisa de Exuberância Biológica do Dr. Bagemihl revela seu fundamental descontentamento com a ciência e o entusiasmo pela mitologia aborígene:

A ciência Ocidental tem muito a aprender sobre as culturas aborígines a respeito dos sistemas de gênero e sexualidade …(21)



Para a ciência Ocidental, homossexualismo (tanto animal quanto humana) é um comportamento anômalo e não esperado sobre tudo o que requer algum tipo de 'explicação' ou 'causa' ou 'raciocínio.' Em contraste, para muitas culturas indígenas ao redor do mundo, o homossexualismo e transgênero são uma rotina e ocorrência esperada tanto nos mundo humano quanto animal …(22)

A maioria das tribos nativas americanas formalmente reconhecem –e honram- homossexualismo e transgenêro humanos na função da pessoa de 'dois-espíritos' (algumas vezes conhecido formalmente como berdache). Os 'dois-espíritos' é um homem ou mulher sagrado que mistura categorias de gênero para vestir roupas de sexos opostos ou de ambos…. E freqüentemente se engajando nas mesmas relações sexuais. … Em muitas culturas nativas americanas, certos animais são também simbolicamente associados com duas-energias, freqüentemente na forma de mitos da criação e lendas de origem relacionados ao primeiro ou "supernatural" dois-espíritos….Uma história da criação Zuni relata como as primeiras criaturas dois espíritos que eram nem macho nem fêmea, ainda que ambos ao mesmo tempo fossem as doze descendências de um par irmão-irmã mítico. Algumas dessas criaturas eram humanas, mas uma era um morcego e outra um velho veado.

Dr. Bagemihl aplica esse mito andrógino, tão espalhado no movimento homossexual hodierno, ao reino animal com a ajuda de mitologia indígena e aborígene. Ele convida o Ocidente a adotar "um novo paradigma:"

No fim das contas, a síntese de visões científicas representadas pela Exuberância Biológica nos traz um círculo fechado pra trás do caminho de olhar para o mundo que esteja de acordo com algumas das mais antigas concepções indígenas de variabilidade de gênero sexual animal (e humana). Essa perspectiva dissolve oposições binárias….Exuberância Biológica é…uma visão de mundo que é uma só vez primitiva e futurística, em que gênero é caleidoscópico, sexualidades são múltiplas e as categorias de macho e fêmea são fluídas e transmutáveis.
Conclusão

Em conclusão, o movimento homossexual tenta estabelecer que o homossexualismo esteja de acordo com a natureza humana, provando sua teoria do "homossexualismo animal", baseada mais em crenças mitológicas e errôneas doutrinas filosóficas do que em ciência.
__________________

1. A expressão movimento homossexual é usada para designar uma vasta rede organizações, grupos de pressão, intelectuais e ativistas que aspiram impor mudanças nas leis, costumes, moralidade e mentalidade, de forma que o homossexualismo não seja somente tolerada mas também aceita como sendo boa e normal. Portanto, ativistas homossexuais pressionam a sociedade para legalizar tanto a prática e as manifestações públicas de homossexualismo, tais como "casamento," do mesmo sexo enquanto com crueldade atacam aqueles que defendem a moral tradicional.

2. Para um breve resumo da evidência desvendando o "está nos genes" e a irreversibilidade das teorias de orientação homosexual, veja o boletim de propaganda "Not Genetic! Not Irreversible! Not Natural!"

3. Cf. Simon LeVay, Queer Science: The Use and Abuse of Research into Homosexuality (Cambridge, Mass.: MIT Press, 1996). Bruce Bagemihl, Biological Exuberance: homossexualismo animal and Natural Diversity (New York: St. Martin's Press, 1999).

4. Cf. Régis Jolivet, Traité de Philosophie, (Lyon-Paris: Emmanuel Vitte, Éditeur, 1950), Vol. 2, pp. 306-396.

5. Sarah Hartwell, Cats that kill kittens, at http://www.messybeast.com/kill_kit.htm (grifos nossos)

6. "Cannibalism in Animals."(Our emphasis.)82-88,www.songweaver.com/info/bonobos.html. (grifos nossos)

7. Frans B. M. de Waal, "Bonobo Sex and Society," Scientific American, Mar. 1995, pp.

8. "Cachorro Gay?" Focinhos Online, www2.uol.com.br/focinhos/petsnodiva/index.shtml.

9. Jacque Lynn Schultz, "Getting Over the Hump," ASPCA Animal Watch, Summer 2002, www.petfinder.org/journalindex.cgi?path=/public/animalbehavior/dogs/1.2.36.txt&template. (grifos nossos)

10. Ibid. (grifos nossos)

11. LeVay, p. 207.

12. Antonio Pardo, "Aspectos médicos de la homosexualidad," Nuestro Tiempo, Jul.-Aug. 1995, pp. 82-89.

13. "Exploding the Myth of Constitutional Homosexuality," National Association for Research and Therapy of Homosexuality, www.leaderu.com/orgs/narth/exploding.html. (grifos nossos)

14. "Cachorro Gay?"

15. Bagemihl, p. 2. (grifos nossos)

16. Dinitia Smith, "Love That Dare Not Squeak Its Name," The New York Times, Feb. 7, 2004. (grifos nossos)

17. LeVay, p. 209.

18. Quoted by Dinitia Smith, "Love That Dare Not Squeak Its Name."

19. Bruto Maria Bruti, Domande e risposte sul problema dell'omosessualità, www.paginecattoliche.it/domande_omosessualita.htm. (grifos nossos)

20. "O homem é corretamente definido como um animal racional; animal refere-se ao gênero próximo; racional refere-se à diferenciação específica." Joannes di Napoli, Manuale Philosophiae (Turin, Italy: Marietti Editori, 1961), Vol. II, p. 165.

21. Bagemihl, p. 5.

22. Ibid., p. 215.

Fonte: http://eunaoquerosergay.blogspot.com/2011/08/o-mito-do-homossexualismo-em-animais.html

sexta-feira, 29 de março de 2013

Anonymous atacarão globalmente ao Facebook por censuras e bloqueios.

Anonymous prepara ataque ao Facebook

Segundo o site PC World, o grupo Anonymous fez um apelo chamado de ‘Operação Força Verdadeira’ – ‘#OPTruthForce) e pretende que os utilizadores sobrecarreguem a rede social com “material sem censura”.
PUB


O grupo de hackers alega situações de censura na rede social, onde está expressa uma barreira à liberdade de expressão. Essa censura é expressa com o bloqueio a contas d utilizadores que expressam opiniões ou sátiras a líderes políticos.

A data não foi escolhida ao acaso: 6 de Abril foi o dia em que Mahatma Ghandi convocou o povo indiano à luta pacífica contra a Grã-Bretanha.
 

Governador intervém e ordena investigação em universidade onde alunos eram obrigados a pisar no nome de Jesus

Rick Scott 200x200 Governador intervém e ordena investigação em universidade onde alunos eram obrigados a pisar no nome de JesusRecentemente, o professor universitário Deandre Poole causou polêmica ao sugerir a seus alunos que escrevessem o nome “Jesus” num pedaço de papel e pisassem sobre ele, como forma de afirmar que tal nome não tem valor. O caso tomou uma notoriedade maior ainda porque a Florida Atlantic University suspendeu um aluno mórmon que se recusou a participar do exercício sugerido pelo professor.
Apesar de a universidade ter se pronunciado pedindo desculpas para as pessoas que se sentiram ofendidas com o episódio, o governador da Flórida, Rick Scott, ordenou que fosse instaurada uma investigação sobre o incidente, para assegurar que casos semelhantes não voltassem a acontecer.
De acordo com o site The Miami Herald, Scott escreveu uma carta ao chanceler do Sistema Universitário Estadual, Frank Brogan, exigindo uma investigação.
- Estou pedindo um relatório do incidente, como ele foi tratado e uma declaração de políticas da universidade para assegurar este tipo de “lição” não venha a ocorrer de novo – escreveu Scott.
Curta-nos 
Em um comunicado oficial, a universidade garantiu que este exercício não será usado novamente.
- A Universidade tem de mais caro seus valores centrais. Pedimos sinceras desculpas por qualquer ofensa que isso causou. A Florida Atlantic University respeita todas as religiões e acolhe pessoas de todas as fés, origens e crenças. – declarou a universidade, que afirmou ainda que “alunos foram obrigados a participar do exercício” e que “nenhum aluno foi expulso, suspenso ou punido pela Universidade como um resultado de qualquer atividade que teve lugar durante a aula”.
Porém, o governador Rick Scott afirmou que quer mais do que simplesmente um pedido de desculpas, e que a atitude do professor vai contra os direitos de liberdade religiosa dos americanos.
- A lição do professor era ofensiva, e até mesmo intolerante, para os cristãos e pessoas de todos os credos, que merecem ter respeitados como americanos o direito de liberdade religiosa – afirmou Scott.

Humor Realidade

Danilo Gentile e Marcos Feliciano. Entrevista Completa, assista.


Domingos Dutra - Inimigo dos Evangélicos - usou empregada como fantasma e será levado ao Conselho de Ética.

Feliciano complicará a vida de Dutra.

A doméstica Regiane Abreu descobriu que seu nome foi usado pelo parlamentar como funcionária do gabinete.


O deputado federal, Domingos Dutra (PT), não sabe o grande mal que fez pra si mesmo após renunciar da Comissão de Direitos Humanos. Ocorre que seu desafeto, o também deputado Marco Feliciano e os evangélicos estão partindo para dá o troco.
Na reunião da última terça-feira, os evangélicos decidiram e apresentaram ao presidente da Câmara Federal, deputado Henrique Alves, a grave denúncia que pesa contra Domingos Dutra, da qual ele colocou uma empregada doméstica como funcionária da Câmara.
Na época, a doméstica Regiane Abreu descobriu que seu nome foi usado pelo parlamentar após entrar na Justiça do Trabalho para garantir direitos trabalhistas.
Com isso, os deputados evangélicos que defendem Feliciano vão pedir reabertura do processo contra Dutra no Conselho de Ética.
Denúncia feita no ano passado pelo deputado federal Chiquinho Escórcio.

quinta-feira, 28 de março de 2013

Deputado do PPS que articula remoção de Marco Feliciano da CDH, pressiona namorada a abortar sua criança - Que moral tem um palhaço desses?

A temida Penitenciária Americana para Jovens infratores - Que tal a idéia, Brasil?


Porque tanto ódio dos Ativistas Gays contra o Dep. Marco Felicino? Ele explica nesse vídeo.


"Pai-de-santo" gay diz briga com Feliciano acabará em morte - Estariam os Ativistas Gays condicionando o povo ao que pretendem fazer?

O bruxo e tarólogo Chik Jeitoso, famoso por suas previsões certeiras no mundo da política e
das celebridades, fez um alerta ontem à noite (27) sobre o quiproquó envolvendo o deputado pastor Marco Feliciano (PSC-SP), presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara Federal, e militantes da causa gay e dos direitos humanos.

“Vai acabar em Morte isso tudo”, previu pelo Twitter o macumbeiro baiano, radicado em Curitiba há 30 anos. Mais tarde, em nova tuitada, Jeitoso disparou essa: “Só avise ele [Feliciano] que eu vi tudo isto acabar em morte, isto está ficando muito sério, muito. Bruxo”.

As declarações do polêmico bruxo ocorreram depois de nova confusão, na Comissão, na qual Feliciano mandou prender um manifestante por tê-lo chamado de racista. “Aquele senhor de barba… Me chamou de racista… Vai sair preso daqui porque me chamou de racista”, ofendeu-se o parlamentar.

Em dezembro de 2012, o macumbeiro Chik Jeitoso enxergou nas “Lâminas Sagradas” – as cartas de tarô — a morte do ex-presidente do Senado, José Sarney (PMDB-AP), em 2013, além de riscos para o ministro Joaquim Barbosa, presidente do Supremo Tribunal Federal (STF).

Fonte: O Fuxico Gospel/Esmael Moraes


Nota: A totalidade dos "Pais e mães-de-santo" são homossexuais. Não há héteros nisso. É uma luta espíritual que está sendo travada. Vamos orar porque eles podem estar planejando um Atentado Terrorista cuja justificativa será atribuida à forças metafísicas conhecidas por demônios. Fiquemos atentos. Não obstante sabermos que dos seus, Deus cuida. Segue esse vídeo onde um Feitiçeiro Homossexual é desmoralizado por um Pastor cheio do Espírito.

Ativista Católica que notabilizou-se contra Aborto, defende ardorosamente Marco Feliciano - Enquanto falsos Evangélicos o perseguem e se aliam aos Gayzistas.


quarta-feira, 27 de março de 2013

"Estão dando à luz um Herói", declara Jornalista Reinaldo Azevedo aos Gayzistas sobre Marco Feliciano.


27/03/2013 às 19:30
Feliciano, a Comissão de Direitos Humanos e a evidência escandalosa de uma fraude intelectual e política


O deputado Marco Feliciano (PSC-SP), presidente da Comissão de Direitos Humanos e Minorias da Câmara, expulsou uma manifestante da sala que o chamou de “racista”. O rapaz integrava a turma que queria impedir uma nova sessão da comissão. A pauta do dia nada tinha a ver com direitos dos gays, mas com a contaminação por chumbo na cidade de Santo Amaro da Purificação, na Bahia, terra de Caetano Veloso. Caetano Veloso é aquele senhor que se destaca na música e que acredita, com acerto, que o Brasil precisa de um Congresso. Mas deu a entender também que o Congresso aceitável é aquele formado por pessoas com as quais ele concorda. Se jovens cantores e compositores se inspirarem em Caetano, estarão, creio, no bom caminho no que respeita à música popular. Se pessoas interessadas em democracia política tiverem Caetano como referência, aí estamos fritos.

Mas volto. “Racismo” é crime. Acusar alguém de “racista” corresponde a acusá-lo de ter cometido um crime. Não havendo provas, trata-se de calúnia, o que também é… crime!!! A imprensa brasileira tem sido vergonhosa nesse caso. Ela é livre para odiar Feliciano o quanto quiser; é livre para considerá-lo o mais despreparado dos seres para essa comissão ou qualquer outra. Mas é uma estupidez acusar alguém de homofobia por ser contra o casamento gay ou de racismo porque cita (e mal) um trecho da Bíblia. Isso é militância, não é jornalismo. Eu opino bastante, sim, quebro o pau a valer. Mas não atribuo nem às pessoas que mais desprezo crimes que não cometeram só para facilitar a minha crítica. Ao contrário até: prefiro a crítica difícil; prefiro demonstrar o erro de quem considero aparentemente certo a evidenciar o obviamente errado. Que graça há nisso?

Feliciano mandou retirar o rapaz da Câmara. Se quiser, pode processá-lo, sim, e aí o moço teria de provar que Feliciano cometeu racismo — se não o fizer, caracteriza-se a calúnia.

Muito bem! Expulso, e com motivos, da sala, Marcelo Regis Pereira, de 35 anos, antropólogo, gravou um vídeo, que já está no YouTube. Diz-se vítima de preconceito — e a imprensa está dando corda — por ser, atenção!, “negro, gay e pobre”. Vejam o vídeo, Volto em seguida.

Voltei. Negro, como se vê, Pereira não é. Como ele mesmo diz, assim ele se “autodeclara”. Eu posso me “autodeclarar” índio, por exemplo. Tenho legitimidade pra isso. Meu bisavô paterno mal arranhava o português. Aliás, a melhor parte que há em mim é o Espírito da Floresta. Feliciano, que tem comprovadamente a mãe negra, deve ser mais negro do que o acusador.

Ele chama o outro de “racista”, é expulso da sala e diz “Fizeram isso porque sou gay”. Ainda que isso estivesse na cara, ser gay não lhe dá o direito de ofender os outros. Ou dá? Mas como Feliciano poderia saber? Está escrito na testa? Há gente que parece e é, que não parece e é, que parece e não é… A menos que devamos estabelecer agora um outro padrão. Ofendido por alguém, ao reagir, devemos antes indagar: “Por favor, cidadão, como o senhor define a sua sexualidade? Hétero? Ah, então vou responder”. Ou no outro caso: “Ah, o senhor é gay? Então eu peço desculpas por tê-lo levado a me ofender”.

O rapaz tem 35 anos e é antropólogo. Não existe faculdade de antropologia no Brasil. É uma pós-graduação. Isso quer dizer que ele tem um curso universitário e uma especialização. É esse o padrão da pobreza no Brasil? Tome tento, meu senhor! Tenha compostura! Não seja ridículo! Pobre não tem cara, não! Mas a pobreza, ah, essa tem? Revejam: é o caso dele? Ademais, meus caros, “universitário com especialização” se declarar ”pobre”, num país como o Brasil, ofende a inteligência de qualquer pessoa de bom senso.

Esse vídeo é a manifestação do mais escancarado oportunismo. Faltassem evidências da pantomima que está em curso, agora não falta mais, está aí.

De fato, há gente acreditando que é legítimo invadir uma comissão, subir na mesa, chamar o outro de racista etc. Uma vez coibida a agressão, então é hora de gritar: “Preconceito!”. Com a pressurosa colaboração da imprensa, esse troço está indo longe demais!

Se e quando, na comissão, Feliciano fizer alguma coisa que esteja fora de sua competência e de seu direito legal, então que se proteste — aliás, a praça é imensa! Tentar arrancá-lo de lá porque não gostam de suas opiniões é intolerância, sim. De resto, esses fanáticos não se dão conta de que, na prática, estão dando à luz um herói. Já volto ao tema. (Grifos nossos)

A farsa, enfim, se revela.

Por Reinaldo Azevedo

Fonte: Veja
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...