domingo, 29 de setembro de 2013

Carta do Brasil Cristão ao Deputado Federal Marco Feliciano

Ao Excelentíssimo Sr. Deputado Federal Pr. Marcos Feliciano


Saudações em Cristo Jesus,
A Paz do Senhor,


Inicialmente queremos parabeniza-lo pela representatividade digna de um verdadeiro Herói que o Brasil precisa nestes tempos de desafio. Temos lhe acompanhado e apoiado em todas as Redes Sociais, através dos nosso blogs, páginas e perfis do Facebook e Twitter desde quando nem ainda era Deputado. Em nosso Blog quando se chamava “Somente a Verdade” e que passou depois a chamar-se “Esperança Conservadora”, [1][2] que já alcança 1 milhão de visualizações e que foi citado em seu vídeo “Marcos Feliciano Renuncia”.

Interagimos algumas vezes em temas críticos e lhe retwuitamos várias vezes. Hoje temos uma página solidificada com acompanhamento de milhões de pessoas por semana - segundo estatistica interna do Facebook -, a página que resolvemos nomear como “Marcos Feliciano e Bolsonaro, Esperança Conservadora”, na qual expomos todos os nossos anseios, visão e preocupações com os rumos da atual política no nosso país, com destaques para a real ameaça da Agenda LGBT e a manutenção da esperança de vê-lo como Presidente deste país em 2014.

Desde 2005 que militamos como combatente Pró-Família, precedido pelo nosso Guerreiro-Mor Julio Severo, que de tão perseguido por essa “casta intocável”, teve que fugir para destinos ignorados fora do país, dada a ameaça de prisão, junto com quatro filhos e esposa grávida. Eu, por minha vez, cheguei a ser demitido de um emprego de Capelania por defender a família. Rastrearam e cruzaram minhas informações e resolveram me atingir no bolso e isso com minha esposa também grávida. O fato é que tudo que, tanto eu, quanto o Júlio e um sem número de pessoas passaram e ainda estão passando nas mãos desse Ativismo doentio que nem os homossexuais comuns apoiam, serviu apenas para fortalecer nossa resistência.

Segue o motivo de nossa preocupação. Temos visto que o PSC, onde o caro Deputado e Pastor Marcos Feliciano está inserido, está preso a alianças com o PT e PMDB por vias subliminares publicamente e visceralmente às ocultas. Eclesiásticamente na pessoa do Pr. José Wellingtom que já adiantou em entrevista à Folha de S. Paulo: [3] que apoiaria a reeleição de Dilma, bem como desmereceu vosso trabalho e o rebaixou. Isso é notório, não há o que negar. E pelas vias da Maçonaria que é a mola mestra de impulso ao Movimento Gayzista, que vem historicamente da formação dos Templários que foram banidos no passado por associarem-se às práticas Sodomitas e Satânicas. Toda essa influência é real em nosso meio “Evangélico”. Em resumo, os atuais Comunistas estão querendo deter a marcha de Feliciano rumo ao Planalto. Querem impedí-lo de um dia “saudar à nação brasileira com a Paz do Senhor”, na condição de Presidente.

E para tentar minar mais suas forças, estão aceitando até representante dos interesses da Sociedade Homossexual de Hollywood, a fábrica de Luxúrias dos EUA, nos referimos ao Dr. Ray. Já estão querendo agora o Wesley “Safadão” [4] da banda Garota Safada. Os princípios foram deixados de lado pela pressão podre dos atuais templários gayzistas do Planalto.

E não adianta o caro Deputado Feliciano recuar pois, por onde quer que for, será perseguido e caçado como se Hitler fosse, com suas filhas e esposa. O sonho de paz para nós Cristãos, acabou-se com as conspirações aderidas pelo PSC que saiu do anonimato por todo sofrimento que você passou e que por nós e outros sites similares divulgavam incessantemente dando a correta interpretação dos fatos. Queriam lhe amordaçar antes mesmo do PLC 122 ser aprovado e isso dentro do próprio partido, para dar prioridade a um desconhecido, Everaldo Pereira, que só atenderá os interesses do Pr. José Wellingtom, que por sua vez atenderá os interesses do seu filho Paulo Freire servo de Dilma. Não é à toa que ele passou rapidamente a liderar a Bancada Evangélica. Nós sabemos que as intrigas Ministeriais hoje se arrastam nos bastidores da política também. Uma máfia descarada e violenta que não esconde mais sua ambição pelo poder eclesiástico e secular, nem que para isso tenha que incomodar a Justiça reiteradas vezes, como tem ocorrido. Os Dízimos “Assembleianos” estão financiando o PT.

As traições estão ficando tão comuns, que ontem descobrimos que a página “Defensores do Evangelho”, (e Crente Santão) na verdade são defensores de Marina Silva e estão propagando a mentira de que o caro Deputado Feliciano não sairá mais candidato à Presidente e Marina, a Melância do Planalto, é que deve ser apoiada, a mulher que cujo partido 70% apoia Casamento Gays e as drogas. Mas, os desmascaramos na pessoa do Moderador responsável por isso e alertamos ao membros para não servirem de massa de manobra. Chega de Comunismo disfarçado. Eles estão aplicando a “Estratégia das Tesouras” de Stálin, segundo a qual, fingem haver partidos oponentes quando na verdade todos eles fazem apenas um teatro para entreter ao público, para que ao fim das eleições, os mesmos repartam os despojos da guerra política e mantenham os mesmos personagens no poder. Sendo assim, PT, PSDB, PMDB, REDE, e a maioria dos partidos do país, são apenas máscaras do mesmo “Mestre das sombras” que continuará dando as cartas na política nacional Anti-Cristã e Anti-Família.

É imperioso para seu próprio bem pessoal e da sua família, bem como do povo Cristão Católico e Evangélico ao qual o Deputado representa, que saia do PSC o quanto antes, pois eles é que precisam de você e não você deles. Esse partido só tem vida com você, acredite. O Brasil em peso só está esperando isso, sua iniciativa e nada mais. E para aumentar sua esperança, saiba que os Conservadores da Noruega [5], dias atrás, conseguiram eleger uma Presidente provando que o mundo quer de volta os valores perdidos e evitar o colapso global deste trem descarrilado chamado Socialismo LGBT.

Aclarando os fatos, deixe-me contar algo sobre o homem responsável por evitar a destruição dos EUA. No livro recomendadíssimo “A Viagem da Sabedoria de Andy Andrews” [6], encontramos tal façanha. Seu nome, Joshua Chamberlain, General dos Exércitos do Norte abolicionistas Cristãos que lutavam contra os Escravocrátas do Sul. Em dado momento da batalha, ele jazia esfarrapado em uma colina, com meia-dúzia de homens famintos, sem munição e sem esperança. Um deles criando coragem lhe perguntou se deveriam se render. Eles estava cercados e humanamente não havia saída. Quando então ele disse a todos em tom assustador: “Às baionetas!”, e em seguida, pulou em cima do pequeno muro da colina, deu um grito assombroso que pôs seus adversários para correr. Na mente deles, o esperado e poderoso Exército da França estava vindo do outro lado da colina e só lhes restava a fuga. O efeito psicológico daquele ato, tal qual o de Davi na Bíblia, que ouviu o “Anjo do Senhor andar sob a copa das amoreiras”, e também venceu seus inimigos, foi decisivo para a vitória dos EUA afim de consolidar sua liberdade. Anos mais tarde, um Franco atirador lhe escreveu uma carta na qual lhe dizia, que todo o tempo em que ele se expôs, teve seu peito na mira do seu fuzil, mas não conseguiu atirar pois, uma “força superior” o impedia. É por isso que você ainda está de pé, Marcos.

E é desta forma que vemos sua atual situação. Traído por amigos e correligionários. Dentro do seu ministério, CGADB, não pode falar nada para evitar desgastes eclesiásticos e políticos também. Mas, sente a faca entrando na quinta costela. Pr. Marcos Feliciano, se você deixar passar mais quatro anos, se prepare para ser cassado pior do que rato. Se prepare para sair do país, pois eles irão querer eliminar o homem que inspira o retorno da Moral e dos Bons Costumes e para eles, isso é inaceitável. Se prepare para viver seus últimos pesadelos sendo elevados ao cubo. Nós estamos lidando com uma Máfia pior do que a Yakuza, do que a Máfia Mexicana, Chinesa, Italiana, Russa. Boa parte dos Agentes dos Serviços Secretos dos EUA e da Inglaterra são homossexuais Ativistas. Isso deve lhe dizer muito coisa. Você e nós estamos vivos e ativos ainda, por que nosso Deus também está vivo e atento nos protegendo. Bastaria aos nossos inimigos acionar os serviços da “Deep Web” e teriam o que querem. Mas nosso Deus também manda nesse inferno chamado “Deep Web”.

Permitir mais quatro anos de vantagens para eles, é assinar uma carta de concessão à instalação da Pedofilía, Zoofilía, Necrofilía, Satanismo, Canibalismo e toda sorte de perversões que em nada ajudarão os homossexuais comuns, inclusive os chamados “Gays de Direita” que nos apoiam e são contra tudo isso. Prá que lhe serviria um cargo de Senador ou ser reeleito Deputado Federal se isso só ajudaria ao partido que segura seu sonho? Como Presidente, você poderá vetar Leis ameaçadoras e absurdas. Chegou a hora de fazer o que é certo primeiramente por você e sua família e sua integridade física e moral, depois por seu povo e sua Fé. Se não for agora, não será mais nunca. Pois em mais quatro anos de PT no poder, eles o perseguirão com mais intensidade, os escândalos que fabricarão serão mais fortes, as passeatas nas frentes de suas Igrejas farão decair seus cultos, só farão aumentar os problemas. E seu diminuto “poder” como Senador ou Deputado Federal não resolverá nada. Prepare-se para sentir seus próprios olhos descer sobre sua face, pois já não haverá lágrimas.

Encerrando este alerta, apelamos para passagem bíblica que lembra os nossos dias: “Então Mardoqueu mandou que respondessem a Ester: Não imagines no teu íntimo que, por estares na casa do rei, escaparás só tu entre todos os judeus. Porque, se de todo te calares neste tempo, socorro e livramento de outra parte sairá para os judeus, mas tu e a casa de teu pai perecereis; e quem sabe se para tal tempo como este chegaste a este reino?” Ester 4:13-14.

Aquela Profecia lá no Gideões na qual foi dito que não era para você sair candidato agora, digo sem medo de errar, NÃO FOI DEUS! Deus não deixaria para salvar uma mulher de um estupro, depois de ser estuprada. Deus não é menino. Se não reagires agora, saia do país o quanto antes, pois sua cabeça será tão valiosa quanto ouro para os LGBT. Como prova, segue reportagem que fizemos: “Ativistas Homossexuais estão usando armas e pregando violência contra os Cristãos.” [7]

Sem mais, na esperança de sermos compreendidos e serem acatadas as recomendações e alertas de milhões de Brasileiros Cristãos que lhe acompanham, oram e torcem pelo seu sucesso, aqui por nós representados, reiteramos votos de estima e mais alta consideração em Cristo Jesus, nosso Senhor e Salvador, que está contigo ombro a ombro, lado a lado.

Subscreve seus correligionários na pessoa de,



Ricardo Ribeiro de França

Jornalista da AJESP – Associação de Jornalistas do Estado de São Paulo. Ass. Nº 0044, MTB 03.309/PB. Teólogo, Capelão e Conferencista. Dono da página e do Blog “Esperança Conservadora”.

Referências e citações:
[1] https://www.facebook.com/MarcoFelicianoEBolsonaroEsperancaConservadora?ref=hl
[2] http://www.resistenciacristaj.blogspot.com.br/
[3] http://www1.folha.uol.com.br/poder/1261988-feliciano-quer-tirar-proveito-da-situacao-diz-lider-de-sua-igreja.shtml
[4] http://noticias.uol.com.br/politica/ultimas-noticias/2013/03/13/partido-de-pastor-feliciano-que-wesley-safadao-como-candidato-em-2014.htm
[5] http://expressoambiental.com.br/noticia.php?cat=4&art=1452
[6] A Viagem da Sabedoria. Andy Andrews. http://www.livrariasaraiva.com.br/produto/1979585/a-viagem-da-sabedoria-uma-historia-sobre-as-sete-decisoes-fundamentais-da-vida
[7] http://www.youtube.com/watch?v=CeSEIumwYGs

sexta-feira, 27 de setembro de 2013

Jornalista da Época Guilherme Fiuza é mais um que 'sai do armário' e detona a DITADURA GAY!


Jornalista da Época Guilherme Fiuza

A causa gay, como todo mundo sabe, virou um grande mercado – comercial e eleitoral. Hoje, qualquer político, empresário ou vendedor de qualquer coisa tem orgulho gay desde criancinha. Se você quer parecer legal perante o seu grupo ou o seu público, defenda o casamento entre pessoas do mesmo sexo. Você ganhará imediatamente a aura do libertário, do justiceiro moderno. Você é do bem. Em nome dessa bondade de resultados, o Brasil acaba de assistir a um dos atos mais autoritários dos últimos tempos. Se é que o Brasil notou o fato, em meio aos confetes e serpentinas do proselitismo pan-sexual.

O Conselho Nacional de Justiça decidiu obrigar os cartórios brasileiros a celebrar o casamento civil entre pessoas do mesmo sexo. Tudo ótimo, viva a liberdade de escolha, que cada um case com quem quiser e se separe de quem não quiser mais. O problema é que a bondade do CNJ é ilegal. Trata-se de um órgão administrativo, sem poder de legislar – e o casamento, como qualquer direito civil, é uma instituição fundada em lei. O CNJ não tem direito de criar leis, mas tem Joaquim Barbosa.

Joaquim Barbosa – presidente do Supremo Tribunal Federal e do Conselho Nacional de Justiça – é o super-herói social. Homem do povo, representante de minoria, que chegou ao topo do Estado para “dizer as verdades que as pessoas comuns querem dizer”. O Brasil é assim, uma mistura de novela com jogo de futebol. Se o sujeito está no papel do mocinho, ou vestindo a camisa do time certo, ele pode tudo. No grito.

Justiceiro, Joaquim liberou o casamento gay na marra e correu para o abraço. Viva o herói progressista! Se a decisão de proveta for mantida, o jeito será rezar para que o CNJ seja sempre bonzinho, e não acorde um dia mal-humorado, com vontade de inventar uma lei que proíba jornalistas de criticarem suas decisões. Se “o que o povo quer” pode ser feito no grito, o que o povo não quiser também pode. O Brasil já cansou de apanhar do autoritarismo, mas não aprende.

E lá vai Joaquim, o redentor, fazendo justiça com as próprias cordas vocais. Numa palestra para estudantes de Direito, declara que os partidos políticos brasileiros são “de mentirinha”. Uma declaração absolutamente irresponsável para a autoridade máxima do Poder Judiciário, que a platéia progressista aplaude ruidosamente. Se os partidos não cumprem programas e idéias claras, raciocinam os bonzinhos, pedrada neles. Por que então não dizer também que o Brasil tem uma Justiça de mentirinha? Juízes despreparados, omissos e corruptos é que não faltam. Quantos políticos criminosos militam tranquilamente nos partidos “de mentirinha” porque a Justiça não fez o seu papel?

A democracia representativa é baseada em partidos políticos, que com todas as suas perversões – e são muitas – garantem o seu funcionamento. E também legitimam a ação de pessoas sérias que cumprem programas e idéias, pois se fosse tudo de mentira, um chavista mais esperto já teria mandado embrulhar o pacote todo para presente, com Joaquim e tudo.

A resolução do CNJ sobre o casamento entre homossexuais é uma aberração, um atropelo às instituições pelo arrastão politicamente correto. A defesa da causa gay está ultrapassando a importante conquista de direitos civis para virar circo, explorado pelos espertos. Um jogador de basquete americano anuncia que é homossexual e isso se torna um espetáculo mundial, um frisson planetário. Como assim? A esta altura? A relação estável entre parceiros do mesmo sexo já não é aceita na maior parte do Ocidente? Por que então a decisão do jogador é uma bomba?

Simples: a panfletagem pró-gays virou um tiro certo. O presidente dos Estados Unidos, por exemplo, dá declarações solenes até sobre a opção sexual dos escoteiros. Talvez um dia os gays percebam que foram usados demagogicamente, por um presidente com sustentação política precária que quer se safar como herói canastrão das minorias.

Ser gay não é orgulho nem vergonha, não é ideologia nem espetáculo, não é chique nem brega. Não é revanche. Não é moderno. Não é moda. É apenas humano.

A luta contra o preconceito precisa ser urgentemente tirada das mãos dos mercadores da bondade. Eles semeiam, sorridentes, a intolerância e o autoritarismo. Já para o armário!

terça-feira, 24 de setembro de 2013

Julio Severo entrevista Dep. Marco Feliciano: Como uma oposição gayzista colossal catapultou o nome dele à fama, tornando-o o político evangélico mais proeminente do Brasil

24 de setembro de 2013

Julio Severo entrevista Dep. Marco Feliciano: Como uma oposição gayzista colossal catapultou o nome dele à fama, tornando-o o político evangélico mais proeminente do Brasil


Julio Severo entrevista Dep. Marco Feliciano: Como uma oposição gayzista colossal catapultou o nome dele à fama, tornando-o o político evangélico mais proeminente do Brasil

Julio Severo
Marco Feliciano se tornou o líder evangélico mais proeminente na política brasileira. Sua fama ocorreu involuntariamente. Como deputado federal, ele foi nomeado como presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados em março passado. Imediatamente, toda a esquerda começou uma campanha em massa contra sua nomeação. Artistas, políticos e até ministros do governo socialista da presidente Dilma Rousseff o queriam fora da presidência da comissão.
Marco Feliciano
Até mesmo entre líderes evangélicos, havia oposição feroz. Dois importantes pastores reformados esquerdistas, o Rev. Marcos Amaral e o Rev. Ariovaldo Ramos, participaram de campanhas nacionais para remover Feliciano.
Sob tal oposição feroz, as chances de Feliciano permanecer no cargo eram irrisórias. Ninguém queria ficar com ele.
Eu estava entre a minúscula minoria de líderes cristãos que o estavam apoiando, apesar de seu passado. Como Ariovaldo Ramos e muitos evangélicos e católicos esquerdistas, Feliciano apoiou a eleição da presidente socialista Dilma. Mas meus contatos pró-vida católicos me garantiram que a ajuda dele foi fundamental em muitas batalhas pró-vida no Congresso do Brasil. Além disso, essas fontes me informaram que o apoio dele à socialista Dilma ocorreu meramente por causa de sua ingenuidade. Diferente de Ariovaldo e Marcos Amaral, que são militantes ideológicos e apoiaram Hugo Chavez e governos socialistas no Brasil, continuando a apoiá-los mesmo depois que começaram a promover o aborto e a homossexualidade, Feliciano parou de apoiar Dilma por causa dessas questões. Aliás, a oposição em massa à sua nomeação aconteceu devido às suas sólidas posturas contra o aborto e a homossexualidade.
Marco Feliciano é o presidente da Catedral do Avivamento, uma igreja ligada a Assembleia de Deus no Brasil. Sua fama catapultou porque ele permaneceu, apesar da sistemática hostilidade socialista, como o presidente da Comissão de Direitos Humanos da Câmara dos Deputados.
Antes de sua nomeação, durante muitos anos essa comissão, que era controlada por socialistas poderosos, havia aprovado alocações de verbas para grupos homossexuais. Desde 2010, mais de 300 mil reais foram alocados para a agenda gay. Com Feliciano no cargo, esses enormes recursos financeiros estão sendo destinados a legitimas necessidades de direitos humanos.
Grupos esquerdistas em toda a sociedade brasileira estão furiosos com as perdas gays. Mas os verdadeiros direitos humanos estão ganhando.
Tenho o privilégio de entrevistar o deputado federal Marco Feliciano para deixar você saber sobre a batalha colossal dele para sustentar valores pró-família na política brasileira — que é dominada por socialistas determinados a impor a cultura da morte no Brasil.
Julio Severo: Sua nomeação à presidência da Comissão de Direitos Humanos (CDHM) provocou revolta no governo do PT e nas esquerdas. Nunca vi um político evangélico tão atacado quanto você. Por que o PT e as esquerdas fizeram isso?
Marco Feliciano: As esquerdas brasileiras odeiam a tudo e a todos que servirem de bloqueio aos seus nefastos projetos progressistas. Desde que fui eleito em 2010, honrando os votos do meu segmento cristão, me dobrei diante dos temas que me eram interessantes e para minha surpresa encontrei quase 200 projetos que transformavam gays em uma super-raça. Hoje num pente fino bem apurado, descobri tramitando pela Câmara dos Deputados mais de 900 projetos que ferem a família tradicional, as igrejas e a liberdade de expressão. Tornei-me uma espécie de “guarda-costas” da família. Bem antes da CDHM eu já havia, por exemplo, pedido o impeachment de um ministro do STF por ter antecipado o voto sobre o aborto dos bebês anencéfalos. Fiz isso junto com o já falecido Dom Bergonzini, bispo de São Paulo. Fui também autor de um PDC de plebiscito sobre o casamento homossexual. Tive várias batalhas em comissões e no plenário quando o assunto era orientação sexual, e desde então me transformaram em inimigo público. Quando meu nome foi indicado para CDHM, a oposição surtou. Afinal, não era um deputado numa mísera comissão sem expressão. Era o deputado conservador, alguém basicamente de direita assumindo uma comissão criada exclusivamente pela e para a esquerda.
Marco Feliciano com líderes católicos pró-vida
Julio Severo: Ariovaldo Ramos, Rev. Marcos Amaral e outros representantes da esquerda evangélica se uniram aos protestos contra você. Por que eles fizeram isso contra você e nunca contra as políticas abortistas e homossexualistas do governo do PT?
Marco Feliciano: Um belo dia recebi uma ligação de alguém ligado ao Ariovaldo, dizendo que ele queria me ouvir antes de se pronunciar. Confesso, nunca antes havia ouvido falar dele. Segui a ordem bíblica: “segui a paz com todos.” Fui ao encontro desse senhor que me recebeu com vários outros senhores que compunham a diretoria da Aliança Evangélica. Por mais de uma hora dei minhas explicações, denunciei como as coisas funcionavam em Brasília, falei das centenas de projetos que ameaçavam a liberdade de culto e a destruição da família tradicional, etc. Contudo, fui questionado como eu me comportaria diante das reivindicações dos índios, dos pobres, questões sociais, e então percebi que estes senhores, amigos do peito do governo esquerdista, nada se preocupavam com as minhas preocupações. Eram apenas ativistas, preocupados em não provocar uma “guerra” santa, me aconselhando a não ser intolerante, me doutrinando sobre o perfeito governo de Lula e os bons relacionamentos com o Ministro da Casa Civil Gilberto de Carvalho. Um dos meus assessores que me acompanhava, me confidenciou: esse cidadão (Ariovaldo) não é dos nossos… Dias depois vi que essa palavra se cumprindo: Ariovaldo e os outros já haviam assinado um documento público contra mim, antes da reunião, e depois dela não deram uma nota sequer.
Julio Severo: Em seu desespero, você chegou a procurar ajuda da ANAJURE, uma associação evangélica criada recentemente para defender os direitos civis dos cristãos. Qual foi a resposta?
Marco Feliciano: Era desespero mesmo. Fazia quase 30 dias que eu estava sob fogo cruzado e até então pouquíssimos saíram ao meu socorro. Lembrei-me da ANAJURE. Lembrei-me também do pedido desesperado que esses nobres juristas “cristãos” fizeram à Frente Parlamentar Evangélica dizendo que a ANAJURE só seria reconhecida se houvesse a aprovação dos parlamentares. Afinal, era para isso que estavam criando essa entidade: para proteger os parlamentares evangélicos em suas lutas pela liberdade religiosa e pela família. Liguei para o então presidente* da ANAJURE que estava na França. Falei com ele mais de uma vez, e o que ele me disse era que estava do meu lado e que a ANAJURE iria me defender juridicamente. Papo furado! Balela! Dias depois uma nota destes santos juristas me espancou e me aconselhou a sair da CDHM porque eu não era uma pessoa qualificada. Após esse episódio, a ANAJURE perdeu alguns de seus membros fundadores mais importantes, inclusive nossa guerreira da fé em Brasília, Dra. Damares.
Julio Severo: Na época da grande perseguição contra você, o presidente da ANAJURE lançou um comunicado nacional alertando que sua presença na Comissão de Direitos Humanos iria “dividir, ainda mais, a própria igreja evangélica… Tudo isso porque os projetos pessoais estão acima dos valores da Verdade do Evangelho de Cristo”. Por que, em vez de ajudar você, o presidente da ANAJURE optou por tal comunicado público?
Marco Feliciano: Por ser covarde, porque não era conveniente aliar a imagem de sua instituição a um “cão leproso” como eu naquele momento. Eu era um vexame para eles. Pouquíssimos acreditavam que eu conseguiria aguentar a pressão. Ele apostou na minha saída, na minha queda. Mas o Senhor através da oração da igreja me sustentou.
Julio Severo: O que você sofreu com tanta oposição, vinda da mídia e da esquerda secular e evangélica?
Marco Feliciano: Perseguição, ameaças de morte, ataques físicos e humilhações públicas. Minha esposa contraiu uma doença psicossomática da qual ainda não se recuperou. Minhas filhas menores (10 e 11 anos) precisaram de apoio psicológico, pois em um culto os ativistas gays subiram sobre o meu carro, expondo seus órgãos sexuais, aos gritos, xingamentos, cusparadas, enquanto minhas crianças estavam no carro, aos gritos e prantos. Eu emagreci 10 quilos, pois não conseguia me alimentar nem dormir. A mídia foi cruel, editando mensagens que preguei há mais de 15 anos atrás e todos dias estampavam em seus jornais e TV. A mídia social foi terrível. Criaram perfis fakes no Facebook. Por causa disso, a Xuxa me chamou de monstro. Eu ia processá-la, mas aí li a citação dela, e vi que ela citava algo que eu nunca havia dito. Procurei e encontrei um perfil fake com mais de 100 frases racistas supostamente ditas por mim. As igrejas se amedrontaram e não tiro a razão em alguns casos. Fiquei 4 meses sem poder pregar. Tenho um ministério de igrejas com pouco mais de 5 anos de trabalho. Os ativistas gays depredaram nossos templos e fizeram campanha na porta de algumas igrejas proibindo as pessoas de entrarem. Em algumas cidades pequenas a tormenta foi tão grande que os membros não tinham mais coragem de ir à igreja, porque ao chegarem lá encontravam os ativistas gays fumando, se drogando, bebendo e dançando seminus. Fechamos algumas congregações. E até hoje fazem terrorismo. Descobrem onde vou estar pregando e pela mídia social ameaçam ir com milhares de pessoas para frente das igrejas com trios-elétricos. Você deve ter visto na net o vídeo do avião (link: http://bit.ly/18jf9zm), e outros mais.
Protesto contra Marco Feliciano
Julio Severo: A pressão da militância gay afetou sua vida do dia-a-dia? Como?
R: Sim. Hoje, raramente ando em locais públicos. Quando o faço, se alguém me chama pelo nome, ou se aproxima abruptamente, meu coração dispara, pois não sei o que vai acontecer e qual será a intenção da pessoa. Por isso não vou mais a restaurantes, shoppings, e quando vou me descaracterizo para tentar passar despercebido.
Julio Severo: Sua família chegou a sofrer ameaças por causa das pressões gayzistas?
Marco Feliciano: A minha filha primogênita, 18 anos, teve que trancar sua matricula escolar aqui no Brasil, pois o sobrenome Feliciano pesou. Tive que mandá-la para fora do Brasil. Hoje ela está nos EUA estudando.
Julio Severo: Os militantes gays têm xingado e ameaçado você. Você também os tem xingado e ameaçado?
Marco Feliciano: Meu perfil é de paz e tranquilidade. Tenho equilíbrio emocional. Nunca xingo. Nunca ameaço. Até mesmo quando tenho o amparo legal para iniciar um processo, não o faço. Sou cristão, não apenas nominal, mas praticante.
Julio Severo: O que você pensa do comportamento homossexual? É medicamente saudável? É moralmente saudável?
Marco Feliciano: É um fenômeno comportamental que está longe de ser compreendido. É um assunto que precisa ser estudado, mas a militância gay mundial fez com que psicólogos abandonassem o assunto e dessem por encerrado. O que é lamentável e por que não dizer criminoso. Transformaram em “moda”, e quem irá pagar por isso serão as próximas gerações. O comportamento gay trás transtornos, angustias, tristezas e desespero. Sinto muito por eles.
Julio Severo: O que você pensa das condenações que Deus faz na Bíblia ao comportamento homossexual?
Marco Feliciano: Não questiono Deus nem seus pensamentos. O Velho Testamento aponta proibições no intuito de preservação da espécie. Por exemplo, a circuncisão, alimentos como carne de porco ou frutos do mar. Hoje sabemos como a separação do povo dessas práticas alimentares bem como a circuncisão davam sobrevida ao povo. Era para mantê-los saudáveis. Vejo a condenação ao ato homossexual por Deus por vários aspectos, a preservação da espécie. Se você colocar 500 gays em uma ilha por 70 anos, no fim a ilha ficará deserta. O coito anal é anti-higiênico. Doenças como HPV e AIDS se proliferam com facilidade entre a comunidade GLBTT, e temos a questão do pecado, que é tudo aquilo que ofende e entristece Deus. Lembrando que as condenações eram no VT, na dispensação da Lei. Com Cristo no Novo Testamento a condenação ficou para a alma, na eternidade. A lei do olho por olho foi trocada pelo ama o próximo como a ti mesmo. Por isso amo os homossexuais, mas abomino o ato homossexual. 
Marco Feliciano é apoiado na Marcha pela Família em junho
Julio Severo: O que você pensa do PLC 122?
Marco Feliciano: O PLC 122 é o cadeado que lacrará para sempre a liberdade de expressão e castigará fortemente a igreja cristã verdadeira.
Julio Severo: Você concorda com a atitude do governo, com a cumplicidade dos meios de comunicação, de forçar as crianças e adolescentes a serem expostos à doutrinação homossexual nas escolas e outros ambientes?
Marco Feliciano: Sou contra e pago um alto preço por isso. A assim chamada “nova estrutura familiar” é desonesta, macabra, pútrida, desgraçada e implacável! Pais cuidem de seus filhos!
Julio Severo: Antes de você, o que acontecia na Comissão de Direitos Humanos? É verdade que muito dinheiro era canalizado para financiar projetos homossexuais? Pode mencionar algum projeto financiado?
Marco Feliciano: A CDHM foi criada quase 20 anos atrás e era usada como plataforma de visibilidade ao movimento LGBTT. Nos últimos 18 anos estima-se que algo em torno de 350 milhões de reais foram destinados a este grupo. Há inúmeras denúncias que, quando apuradas, esbarram numa redoma política. O Ministério da Cultura tem uma espécie de sub-ministério só para os gays. Em São Paulo com apoio do governo estadual criou-se o museu gay. As marchas de orgulho gay têm apoio legal dos cofres públicos, e por vai.
Julio Severo: E agora sob sua presidência, como a Comissão de Direitos Humanos canaliza os recursos? Para onde vai o dinheiro do povo?
Marco Feliciano: Uma comissão não pode mandar dinheiro, mas indica onde as verbas deveriam ser empregadas. Isso acontece no fim do ano. Ainda não o fiz, mas quando o fizer, fiquem tranquilos que indicarei os que realmente precisam do dinheiro do povo.
Julio Severo: Você acha que a imensa revolta da militância gay contra sua presidência na Comissão de Direitos Humanos tem a ver com a perda milionária de recursos que o movimento gay sofreu?
Marco Feliciano: É claro que sim. E também com a perda da visibilidade na própria Câmara dos Deputados. Embora este ano eles apareceram mais na mídia, o que deveria ser bom pra eles, foi um verdadeiro tiro no pé. As pessoas estão acordando e percebendo o que eles fazem de fato.
Julio Severo: No passado, você apoiou politicamente Lula e Dilma. O que fez você mudar de posição? Entre valores éticos, especialmente contra o aborto e o homossexualismo, e apoio ao PT, por que você preferiu valores éticos?
Marco Feliciano: Em 2010 estávamos entre a cruz e o punhal. De um lado, no segundo turno, estava o PSDB e José Serra, que assumiu publicamente que era a favor do aborto. Do outro, Dilma, que assinou um documento público dizendo que era contra o aborto e que em seu governo não o aprovaria. O que você faria? Eu escolhi o menos pior, o candidato que tinha um documento físico que poderia ser usado para cobrar a promessa feita. Apoiei Dilma. Arrependi-me. Para esta esquerda que ai governa, valores só existem quando é dinheiro.
Julio Severo: Por que Ariovaldo Ramos e outros representantes da esquerda evangélica, que também apoiaram Lula e Dilma, preferiram se unir ao PT e à militância gay contra você na presidência na Comissão de Direitos Humanos? Valores éticos, especialmente contra o aborto e o homossexualismo, não são importantes para eles?
Marco Feliciano: Quem sabe? Com certeza deve ter algum ganho especial que desconhecemos. Cito aqui o velho poeta, “Entre o céu a terra existem mais mistérios que a nossa vã filosofia de viver”… Eu não consigo acreditar em uma igreja que prefere o erro, mas não a verdade. Não consigo compreender o que leva um pastor a apoiar um sistema maligno do que ficar ao lado do seu simples e fraco irmão. Não entendo mesmo.
Julio Severo: Você passou por uma grande prova de fogo. Com tanta oposição à sua nomeação para a presidência da Comissão de Direitos Humanos, parecia que você não ia conseguir durar muito tempo. Como foi sua experiência com Deus nesse período?
Marco Feliciano: Não me lembro de ter ficado tão perto de Deus antes. Foi profundo. A dependência dEle foi total. A oração tinha um foco virtuoso. Eu que já ouvia falar dEle, O conheci de verdade. Depois de 40 dias vi os cristãos se levantarem em meu socorro. Evangélicos, católicos e, pasme, até espíritas, babalorichás e ateus conservadores se uniram na internet, nas ruas, em oração, em programas de TV e rádio. A manifestação promovida pelo Pr. Silas Malafaia em Brasília foi uma benção. Vi Deus mover a nação cristã em oração.
Julio Severo: Depois de imensa oposição, sua permanência como presidente da Comissão de Direitos Humano é um milagre. Você sente que Deus tinha esse propósito para você? Jean Wyllys, o deputado gayzista, diz que foi colocado na política pelos orixás. E no seu caso? Você tem um chamado de Deus para a política?
Marco Feliciano: Quando me candidatei a deputado federal, foi um choque para muitos. Poucos entenderam o que eu fazia naquele momento. Eu tive um sonho espiritual. Fui movido por Deus para atuar como político. Minha vida na política despertou a mente de boa parte da igreja. Provei que é possível ser politico e continuar cheio do Espirito Santo. Continuo sendo pastor e pregador. Meus princípios permanecem. No ano que vem a igreja mostrará sua força nas urnas. Tenho certeza que Deus está neste negócio. Eu creio que Deus ainda tem “Josés e Daniéis” para governos. Lembrando que o profeta do Velho Testamento era a consciência política dos reis.
Marco Feliciano
Julio Severo: Muitos gostariam de votar em você para presidente no próximo ano, pois possivelmente todos os candidatos serão pró-aborto e pró-homossexualismo. Nem a socialista Marina Silva, que está buscando o voto evangélico, é confiável nessas questões. Ela tem o apoio de muitos esquerdistas, inclusive evangélicos, que fizeram oposição sistemática a você. Você seria a única opção eleitoral para os cristãos. Por que você não se candidata a presidente?
Marco Feliciano: Eu também me decepcionei com a nossa “irmã” Marina. Marina é tão de esquerda que o próprio PT não foi radical o suficiente pra ela. Vejam os que estão ao lado dela na construção da Rede e entenderão o que falo. Se hoje um partido com tempo de TV me desse a legenda, eu me candidataria sem medo. Se não for dessa vez, quem sabe na próxima. Estou em oração. Tenho muito que aprender. Tenho 40 anos de idade e iniciando minha vida política, lembrando que nunca fui nem vereador. Tenho convicção de que não estou 100% preparado, mas para isso existem assessorias, ministérios, etc. É um sonho. Vamos sonhar. Sonhemos com o dia em que ao ouvir a Voz do Brasil, o jornalista dirá: Com a palavra sua excelência o presidente da Republica Federativa do Brasil, e o presidente iniciará seu discurso assim: EU CUMPRIMENTO OS COMPATRIOTAS BRASILEIROS COM A PAZ DO SENHOR!
* Uziel Santana.
Leitura recomendada:

sábado, 7 de setembro de 2013

"Rebeldes sírios [Apoiados pelos EUA] usaram armas químicas", afirma inspetora da ONU.

Grupos rebeldes sírios usaram armas químicas durante o atual conflito contra as tropas do regime do ditador Bashar Assad, afirmou a magistrada suíça Carla del Ponte, membro da comissão especial criada pela ONU (Organização das Nações Unidas) para investigar as violações de direitos humanos cometidas na Síria.

"Dispomos de testemunhos sobre a utilização de armas químicas, em particular do gás sarin. Não por parte do regime sírio, mas dos opositores", disse Del Ponte em entrevista a uma rádio suíça, na madrugada desta segunda-feira.

A ex-procuradora-geral da Suíça, que atuou no Tribunal Penal Internacional para a antiga Iugoslávia, disse, no entanto, que "as investigações ainda estão longe de serem concluídas", e que ainda será esclarecido se o regime de Assad também utilizou ou não armas químicas.

A acusação foi negada por um grupo rebelde, o Exército Livre Sírio, uma das maiores forças contrárias ao regime de Assad. O porta-voz da entidade, Qasem Saadedin, disse que os comentários são meras especulações.

O representante rebelde afirmou que ela não tem provas e disse que a ONU não pode comprovar o uso por não ter conseguido entrar na Síria. Os inspetores da organização ainda não conseguiram permissão do governo para entrar no país.

Para ele, os únicos capazes de controlar as armas são o regime sírio e milícias do grupo radical libanês Hizbollah. A declaração, no entanto, não contempla outros grupos rebeldes sírios, incluindo a Frente al Nusra, vinculada à Al Qaeda.

O sarin é um potente gás neurotóxico, considerado uma arma de destruição em massa desde 1991 pela ONU. Absorvido pela respiração ou em contato com pele e mucosas, ele entra na corrente sanguínea causando desmaios, convulsões e o bloqueio da transmissão de impulsos nervosos, levando à morte por parada cardiorrespiratória.

ARMAS QUÍMICAS

O embaixador da Síria na ONU, Bashar Jaafari, disse na última terça-feira (30) que o regime de Assad é vítima de uma "estratégia internacional coordenada" para acusar o país de usar armas químicas para reprimir os rebeldes.

Nas últimas semanas, Estados Unidos, Israel e Reino Unido disseram ter provas da probabilidade do uso de gás sarin em pequenas quantidades nos combates por parte do regime. O uso das armas foi a condição imposta pelo presidente americano, Barack Obama, para fazer uma intervenção militar.

O representante sírio havia afirmado que terroristas lançaram um pó contra civis na cidade de Salaqeb, no norte do país. As vítimas do suposto ataque foram tratadas na Turquia o que, segundo ele, "faz parte de um cenário para incriminar o Exército sírio".

"Essa estratégia busca envolver o governo sírio sobre uma base falsa e desviar a atenção das acusações de Damasco contra a oposição", disse Jaafari.

No mesmo dia, o presidente dos EUA, Barack Obama, afirmou que ainda tem dúvidas sobre o uso de armas químicas na Síria. Para ele, as provas apresentadas pela inteligência americana ainda são insuficientes para optar por uma intervenção militar.

Em entrevista coletiva, ele afirmou que as informações divulgadas pelo o secretário de Defesa, Chuck Hagel, ainda são preliminares e que ainda faltam dados sobre em que circunstâncias as armas foram aplicadas.

Obama diz que é preciso de informações precisas e comprovadas sobre o ataque para definir qualquer ação contra o regime sírio, principalmente em caso de intervenção militar, e voltou a dizer que as armas químicas mudaria o cenário da guerra civil.

quarta-feira, 4 de setembro de 2013

'É contra a natureza', diz Alain Delon sobre homossexualidade

04/09/2013 08h26 - Atualizado em 04/09/2013 08h28

'É contra a natureza', diz Alain Delon




 sobre homossexualidade



'Que se casem entre eles. O que não quero é que adotem', afirmou.
Brigitte Bardot também declarou ser contra adoção de filhos por gays.

Da EFE
49 comentários
O ator Alain Delon (Foto: François Guillot/AFP)O ator Alain Delon (Foto: François Guillot/AFP)
O ator francês Alain Delon, de 77 anos, causou polêmica em seu país ao afirmar que considerava a homossexualidade "contra a natureza" e condenou a adoção por casais do mesmo sexo. "É contra a natureza. Estamos aqui para amar uma mulher, para cortejar uma mulher, não para seduzir ou deixar se seduzir por um cara", disse em entrevista ao canal de televisão "France 5".
O ator justificou que não tem nada contra a homossexualidade mas que não quer que os casais do mesmo sexo adotem filhos. "Nunca falei da homossexualidade. Que se casem entre eles por mim é a mesma coisa. O que não quero é que adotem", afirmou o antigo galã do cinema francês, famoso por filmes como "O Sol por Testemunha" e "O Leopardo".
A entrevista gerou uma forte polêmica nas redes sociais e Delon foi muito criticado pelos internautas. O ator, aposentado do cinema, já disse levar atualmente uma vida solitária e essencialmente familiar.
Em recente entrevista para a revista "Paris Match", Delon reconheceu que é um homem nostálgico e que frequentemente olha para o passado. "O mundo atual não me agrada demais. Nada me excita realmente e, no entanto, eu era uma pessoa apaixonada. O que me falta são as vontades, a paixão", disse na ocasião.
Rival histórico dos diretores da Nouvelle Vague, como François Truffaut e Jean-Luc Godard, Delon mantém uma amizade há décadas com outra polêmica lenda do cinema francês: Brigitte Bardot. A musa, aposentada do cinema, próxima à extrema direita e dedicada a uma cruzada pela defesa dos animais, diz respeitar os homossexuais mas é contra a adoção de filhos por pessoas do mesmo sexo.
A atriz, que anos atrás reconheceu ter mantido relações sexuais com uma mulher jovem, atacou em um livro a adoção homossexual. "As crianças devem ser criadas na harmonia de um casal composto por uma mulher e um homem", opinou a diva em seu livro "Um grito no silêncio".
Fonte: G1

Vídeo – Assista a entrevista completa do Pr Marcos Pereira ao SBT - A Farsa do AfroreGay sendo desmontada.


4 de setembro de 2013

Vídeo – Assista a entrevista completa do Pr Marcos Pereira ao SBT




conxao


O pastor Marcos Pereira, preso desde maio sob acusação de ter estuprado fiéis da Assembleia de Deus dos Últimos Dias, concedeu uma entrevista ao programa Conexão Repórter, do SBT.
Na conversa com o jornalista Roberto Cabrini, Pereira disse que “a cadeia não tem como” segurá-lo, porque ele entende que não está preso, e sim, cumprindo a vontade de Deus.
“Eu me sinto privilegiado, porque homens como eu foram presos, evangélicos. Tem sido um privilégio estar aqui porque eu sinto as marcas de Cristo. Ele disse que nós seríamos perseguidos”, afirmou o pastor, que se queixou do tamanho da cela: “É pequena. Um banheiro e uma cama. Só”.
Pereira comentou que tem tido contato com “pessoas perigosas”, presas por diversos crimes. “Eu tenho pregado pra eles, e graças a Deus, tem sido muito bom. Inclusive chegou uma leva de uns oito novos que já me conheciam das ruas”, revelou.
Apesar das queixas quanto ao tamanho da cela e do relato de atividades evangelísticas que realiza lá dentro, Marcos Pereira revela ter uma visão bastante peculiar da prisão: “Não me sinto preso. Me sinto um homem que está fazendo a vontade de Deus. Se fui conduzido para um presídio, vou continuar fazendo o mesmo trabalho que faço”, disse o pastor.
Usando o arrebatamento como ilustração, Marcos Pereira demonstrou não se sentir preocupado com a possibilidade de ficar detido por muitos anos em caso de condenação: “A cadeia não tem como me segurar. Na hora que a trombeta tocar, o céu se abrir no Oriente e no Ocidente e o homem de branco descer, eu vou desaparecer”, afirmou.
Sobre José Junior, coordenador da ONG AfroRegge, Marcos Pereira afirmou que desde 2012 ele o “acusa sem prova e sem conteúdo”, e disse que não estuprou ou manteve relações sexuais consentidas com fiéis de sua denominação.
Vídeo: Conexão Repórter completo com o Pastor Marcos Pereira
fonte: gospel+
Related Posts Plugin for WordPress, Blogger...